Português | English

Cartas

COMO CASAR PODE GERAR ANGUSTIAS NA CARNE?

COMO CASAR PODE GERAR ANGUSTIAS NA CARNE?

 

 

 

 

 

----- Original Message -----

From: COMO CASAR PODE GERAR ANGUSTIAS NA CARNE?

To: contato@caiofabio.com.br

Sent: Tuesday, March 04, 2008 1:27 PM

Subject: Se der...

 


Querido Caio: PAZ!

 

Se for possível me explique o seguinte:

 

Mas, se te casares, não pecaste; e, se a virgem se casar, não pecou. Todavia estes padecerão tribulação na carne e eu quisera poupar-vos. 1 Coríntios 7:28

 

Não entendo este texto. Sempre achei que o mais coerente seria acreditar que os solteiros é que teriam tribulações na carne, não os casados.

 

O que você me diz disso?


 

Bjs

 

________________________________________________________________

 

Resposta:

 

 

 

Minha querida amiga: Graça e Paz!

 

 

Nos contextos antecedente e imediato do texto em questão, Paulo está tratando do casamento em relação às tribulações deste mundo. Ele diz que os dias eram difíceis, pois a opressão dos imperadores romanos estava crescendo.

 

Paulo veio a morrer em razão disso, sob Nero. Assim eram aqueles dias.

 

Portanto, para Paulo, a tribulação na carne a que ele faz referencia no verso que você citou, é aquela não-sexual; e que decorre de ter que se separar do cônjuge em fuga; ou de ter que levar mulher e filhos para uma situação de perigo. Sem falar que frequentemente alguém morria ou desaparecia.

 

A tribulação na carne que o casamento supostamente deve resolver é aquela de natureza sexual, e que decorre tanto da solidão, como também do “abrasamento”; sem falar ainda da pressão de emancipação social pela via do casamento.

 

Entretanto, no verso em questão Paulo fala dos dias atribulados, e de como o melhor em tempo de guerra, é que todos se tornassem “assim como eu” — diz ele. Ou seja: livre de casamento, solto para ir e vir, e sem angustias sexuais enquanto isso.

 

Assim, o que Paulo está propondo [em tempos como aqueles] é a vida de um guerrilheiro.

 

Por tudo isto é que todas as coisas que Paulo e todos os escritores da Bíblia escreveram, devem ser lidas nos seus contextos. No caso de I Coríntios sete não se pode esquecer que os conselhos ali dados têm a ver com tempos anormais; e não são acerca de uma sociedade livre, democrática e pluralista. Ao contrario: era uma sociedade escravagista, imperialista, de castas, sexista e perversa, capaz de se divertir com a morte.

 

Assim, para uma sociedade como a nossa, muitas coisas que Paulo disse, vistas fora do contexto histórico e sem as questões que ele respondia, soam estranhas. Afinal, nas cartas de Paulo só se tem a resposta dele, e não as questões levantadas. Estas se pode discernir pelo que ele escreve e pelo contexto histórico, e que depende de leituras paralelas até que tudo se torne um bloco só de percepção em nós.

 

Outra coisa especifica sobre a sua questão tem a ver com a confusão que a palavra “carne” gera na mente dos cristãos, tamanha foi a concentração no aspecto pecaminoso, notadamente sexual da carne.

 

Carne, entretanto, em Paulo, conforme eu escrevi no livro Sem Barganha com Deus, tem muitos significados positivos e negativos. Entre os positivos [já que os negativos se conhece razoavelmente] está a simples idéia de corpo e da mera existência na condição do mundo caído. Ora, no verso bíblico que você mencionou o sentido de carne é de angustia na existência dadas as circunstâncias.

 

De coração espero ter sido útil a você, a quem quero todo bem.

 

Nele, que nos ama na carne, e não apenas no espírito, pois, tudo que Ele fez é bom quando santificado Nele,

 

Caio

 

04/03/08

Lago Norte

Brasília

DF