Português | English

Cartas

CHEIO DE ESPERANÇA NO DERRAMAR DE DEUS

CHEIO DE ESPERANÇA NO DERRAMAR DE DEUS

REVERENDO CAIO, É muito bom ver o que Deus tem feito nesse dois últimos anos. O caminho tomado pelo site é coisa bonita de se ver. Percebe-se nele um espírito, não é verdade? Por mais virtual que seja esse ambiente a impressão é que tem vida própria. Muito bom isso! Me orgulho do privilégio de acompanhar o desenvolvimento disso tudo desde os primeiros textos e de ter a marca dessa consciência crescente em mim. Me surpreende o quanto tenho crescido nessa caminhada. A impressão é que a pobreza de espírito – em seu sentido coloquial – vai se transformando em pobreza de espírito conforme disse o Senhor no sermão do monte. As questões vão mudando... são de outra ordem. As polêmicas já não fascinam mais, a matemática doutrinária vai mostrando sua sem-graceza. Até mesmo as questões mais nobres que reocupam a mente vão dando sinais de que também desvanecem, como num presságio da própria ausência delas, de um estágio por vir onde o que resta é a singeleza da fé dos humildes, a quem pertence o reino dos céus. A expectativa que você, Caio, compartilha conosco quanto àquilo que Deus há de fazer no contexto brasileiro – saiba! – nos contagia, pois é Esperança. Ontem ouvi nosso querido irmão Marcelo Gualberto falar de sua preocupação quanto a quem sucederá a gente boa de Deus da geração dele no meio eclesiástico, turma que vem abraçando a causa do Evangelho a algumas décadas. A "geração gospel" tem preparo para se manter fiel à Palavra? O questionamento do Marcelo faz todo o sentido e eu, como jovem influenciado também pelo seu ministério junto à Mocidade Para Cristo, me pego imaginando como manter a fidelidade de maneira não-omissa. Ele mesmo propôs a volta à centralidade da Palavra, é disso que precisamos. Como disse, o que há é a Esperança de que Deus há de nos surpreender. Te ouvir testemunhar que havemos de ver em breve um avivamento que não seja fruto da manipulação e do marketing é edificação e consolo. O rebanho está sedento, faminto e machucado. Está desorientado e disperso. Bom é saber que o Bom Pastor se mantém Fiel e tem algo especial para o momento em que vivemos. Receba meu carinho e gratidão pelo seu ministério. Saiba que meu senso de vocação ministerial é profundamente marcado pela sua concepção do que é serviço a Deus e que me sinto a cada dia inspirado em nossa real caminhada virtual. Quero ser usado por Deus, por quantos anos Ele permitir, anunciando o Evangelho que nos dá consciência da Graça em Cristo. Que Ele continue me concedendo esse privilégio. O fruto do meu serviço a Deus é e será também fruto seu. Somos de Cristo e Nele cooperamos. Com carinho fraterno, TIAGO MEIRELES ___________________________________________________________________________________ Resposta: Amigo Tiago: Graça e Paz! Uma coisa simples da compreensão do Evangelho e da soberania de Deus, em Sua Graça, é que ninguém tem que se preocupar com quem vai nos suceder. Quem tem controle sobre isso? E que poder, qualquer de nós, tem hoje? Temos o poder de fazer o quê? Nosso melhor poder, hoje, é viver hoje o Evangelho. Basta a cada dia o seu próprio mal se aplica também ao que vem depois de nós, mesmo que seja na pregação da Palavra. “Não andeis ansiosos...” quanto a quem haverá de vos suceder! Nós não conseguimos nem mesmo saber o próximo passo, o próximo meio metro de caminho! É dessa total impotência que vem minha total esperança! Sabe por que? Porque eu e nem ninguém tem poder de fazer nada, nem hoje e nem amanhã. A gente vive o Hoje como fé, não como poder de fazer acontecer. No entanto, quando a gente abre mão de criar o sucessor, de ajudar Deus nas escolhas, de determinar de onde vem o que é bom ou o que é ruim, e de pensar que nós temos algum poder—então, nessa hora, Deus começa a agir. Vejo que vem algo lindo chegando porque vejo muita arrogância caindo e muita impotência se manifestando. Esse é o melhor ambiente para o espírito. Sinto esse vento. Não sei de onde vem e nem para onde vai... Mas o sinto e o sei. Quem é sensível já está sentindo. E há muitos em silencio perplexo. Há outros em angustia. E há muitos se esperançando. Se nós nos mantivermos impotentes e confiantes, fracos e intrépidos, pequenos e imensos na esperança, então, veremos algo novo e chocante. Quanto a mim, quero ter apenas o privilégio de ver, se for possível, mas não acho que eu tenha que estar aqui para que isso aconteça. Nem eu e nem ninguém vivo hoje. Crer na soberania de Deus, de fato, não como uma doutrina, mas como um bem da confiança do espírito, faz com que você apenas sirva a sua própria geração, e dê o seu melhor; ao mesmo tempo em que liberta você da angustia de ter que fazer provisões para que o reino de Deus não fique órfão sem nós. Se Jesus confiou seu reino ao Espírito que Ele enviou, quem sou eu para ter qualquer preocupação? O Bom Pastor é Ele. Ele deu a vida pelas ovelhas. Ele vai adiante delas. Elas apenas o seguem. E depois de nós, outros o seguirão! Quanto a nós, que mantenhamos a confiança e a simplicidade. Deus é quem vai fazer. Nós seremos apenas os agraciados. Um grande e carinhoso beijo! Um abração no Marcelo e na moçada da MPC. Nele, que sopra onde quer... Caio