Português | English

Cartas

CASAMOS OBRIGADOS, MAS ELE TEM CIÚMES

CASAMOS OBRIGADOS, MAS ELE TEM CIÚMES



----- Original Message -----
From: CASAMOS OBRIGADOS, MAS ELE TEM CIÚMES
To: assessoria@caiofabio.com
Sent: Thursday, April 14, 2005 1:32 PM
Subject: ENC: Ajuda (urgente)



Oi Caio...


Deixe-me contar minha história.

Sempre fui evangélica...desde os 6 anos, por aí... Me desviei uma vez e depois voltei. Conheci um rapaz e começamos a namorar, éramos do ministério de louvor da igreja. Passou algum tempo caímos em pecado, resultando uma gravidez.

Nosso namoro sempre foi conturbado. Ele é muito ciumento e não me deixa ter amigos, sair com o pessoal do trabalho para almoçar, conversar com homens, nada posso fazer, nem mesmo ter e-mail...

Acontece que com a gravidez e por minha mãe ser da igreja, estar na frente do trabalho, não queria envergonhá-la mais, e resolvi me casar. Eu também gostava dele, mas não o amava ao ponto de assumir algo tão sério.

Casamos e nosso casamento sempre foi conturbado... minha gravidez inteira ele esteve no meu pé com suas inseguranças, ciúmes loucos.... uma situação insuportável.

Tudo ele quer saber, se tem homens bonitos no meu trabalho, se alguém me chama de gatinha, se encontrei alguém na parada...

Creio que não dou motivos... ele me julga pelo que fiz no passado antes de conhecê-lo...

Caio, quando era solteira eu realmente namorava e fazia tudo que uma jovem normal faz.

Certa vez fiquei com um homem casado, mas só foram beijos... Mas isso eu nem conhecia ele (meu marido) ainda... Só que no nosso namoro contei pra ele. Desde então ele me julga, fala que não sou séria...

Em nossas brigas ele me agride verbalmente, diz que não presto, me fala muitas coisas....e eu fico desesperada por que não sou isso... Eu respeito ele....sempre respeitei. Tento fazer de tudo para darmos certo, mas nada ajuda.

Passamos mais dias brigados do que na paz...tentamos conversar pra melhorar, mas nada nunca muda. Eu vivo infeliz, me sinto só... carente... Ele não me preenche, não tenho vontade de beijá-lo e muito menos ter relação sexual com ele...

Ele já me machucou muito com palavras, e hoje sinto que não gosto dele como antes.

Ele me enche de perguntas idiotas, fica vasculhando a roupa suja pra ver a roupa que fui trabalhar; e eu me sinto sufocada.

Nosso bebê está com 11 meses e não quero que ele cresça vendo nossas brigas.

Preciso de ajuda....preciso de uma resposta.

Tenho vontade de me separar, de estudar, viver minha vida, e, quem sabe, achar alguém que me ame, me dê carinho e me trate como mereço.

Caio, sou tão sozinha! Nem amigos tenho! Perdi todos com esse casamento.

Só tenho 22 anos. Não posso fazer cursos, não posso fazer nada... porque ele me enche o saco.

Quero ser feliz Caio....pelo amor de Deus, me responda.





Resposta:



Minha filha: Graça e Paz!



A coisa mais simples que existe é dizer a você para se separar dele, que isso tudo foi um equívoco, que você casou pelas razões erradas, e que seu casamento tem toda a chance de jamais dar certo; e, para que seja assim, nem precisava ainda haver todas as coisas adicionais que você narrou.


No entanto, apesar de ter pessoalmente a opinião que acima já expressei, desejo explicar a você o que deve estar acontecendo com ele.

Insegurança e ciúmes não são, necessariamente, algo que acontece a quem ama alguém. Ao contrário, os amores maduros e recíprocos, em geral não sofrem desses males, a menos que haja razão objetiva para tal.

O que pode estar acontecendo com ele?

1. Ele também pode estar se sentindo preso a este casamento assim como você. E como ele está por obrigação, fica com raiva, e o modo como ele expressa essa raiva é massacrando você, como ele costuma fazer.

2. Ele está fazendo um sacrifício quanto a assumir o casamento; e, como estar com você é fruto desse sacrifício, tudo em seu passado se tornou objeto de raiva dele; como quem diz: “Eu não queria, e ainda tenho que ficar casado com uma mulher a quem eu não amo, e, ainda pior: tenho que encarar o fato de que ela já teve outros.” Assim, a raiva dele pode ser fruto dele estar casado com quem não queria; e, por essa razão, o ‘seu passado’ se tornou a desculpa que ele dá para si mesmo a fim de tratar você mal.


3. Como ele não deve sentir nenhuma forma de compromisso pessoal com você, ele julga que você também sente a mesma coisa; nesse caso, pensa ele, se você sente por ele o que ele sente por você, nada mais lógico do projetar sobre você o que ele mesmo experimenta: quem sabe se interessando por outras moças, achando-as belas e desejáveis... Ora, se é assim com ele, e, certamente ele sabe que você também não o ama, o raciocínio dele é simples: se eu sinto assim, ela também sente assim.

4. Quase todo homem, por mais que não ame a mulher, teme horrivelmente ser traído; pois, nesse caso, o cara pensa: “Ainda vou levar um chifre de quem eu não gosto, numa relação que não vale a pena!”


5. Além disso, inconscientemente, ele pode estar boicotando de tal modo a sua vida que a expectativa dele é que você uma hora dessas não agüente e o deixe. O que, para ele, poderá ser uma grande libertação.


Não creio que ele ame você. Provavelmente ele também cumpriu compromissos outros ao se casar com você. Gente da igreja costuma fazer tais sacrifícios, e, depois, vive no inferno, assim como vocês estão vivendo.

Deixe-o livre. Peça apenas que ele ajude você a criar o filho de vocês, mas não o prenda. O casamento de vocês tem todas as chances de só ficar pior. E vocês são jovens demais para ficarem cumprindo papéis que não são reais e nem verdadeiros para vocês.

Além disso, nessas circunstâncias, uma hora dessas a carência bate feio e você, quando vir, já estará amando outro, ou mesmo na cama de outro.

Casamentos de jovens infelizes quase sempre acaba em traição!

Esse negócio de casar para a mãe não ficar mal e nem envergonhada na igreja é algo desumano e perverso.

Não faça isso com a sua alma. O preço é grande demais.

Pense no que lhe disse e depois me responda.


Receba meu carinho e orações!



Nele, em Quem casamento não é martírio,



Caio