Português | English

Cartas

CAIO, DIZEM QUE VOCÊ É ARROGANTE...

CAIO, DIZEM QUE VOCÊ É ARROGANTE...

 

 

 

 

 

 

 

----- Original Message -----

From: CAIO, DIZEM QUE VOCÊ É ARROGANTE...

To: contato@caiofabio.com

Sent: Monday, September 10, 2007 10:47

Subject: Arrogância

 

Irmão Caio, Graça e Paz!!

 

 

Muitos o acusam de arrogância. Minha pergunta é simples: o que é ser arrogante? Para além da mera definição e dentro de sua longa experiência de observação humana, o que é isso? Como defender o Evangelho longe da arrogância?

 

Não lhe considero arrogante, e sim, um discípulo do Caminho e um instrumento da Graça de Deus.

 

Em Cristo,

________________________________________

 

Resposta:

 

 

Amado amigo: Graça e Paz!

 

 

O arrogante é aquele que se arroga ao que não é.

 

Ora, quem é...?

 

Assim, o arrogante é ingrato e cego, pois, não vê que tudo o que é, vem de Outro.

 

Além disso, o arrogante carrega o espírito da altivez soberba e vaidosa.

 

O diabo é soberbo.

 

O arrogante é um discípulo dele; um gandula da soberba; ainda na fase da vaidade do pensar sobre si mesmo além do que convém.

 

Pensar de si mesmo além do que convém ou além da medida do dom da Graça [conforme disse Paulo] — é arrogância.

 

Pensar além... é arrogância. Pensar aquém... é ingratidão.

 

Na gratidão existe o equilíbrio para todo sentir sobre si mesmo. Sem gratidão tudo é pecado. Mas na genuína gratidão tudo é puro. Pois o grato age emocionado e tangido pela Graça recebida. Portanto, onde há consciência verdadeira da Graça [favor imerecido], aí não há arrogância.

 

Ora, se eu disser que poderia falar até amanhã sobre arrogância, achar-me-ão arrogante... Mas o que posso fazer se é verdade? Falar sobre isso até amanhã é fácil. Difícil mesmo é viver dia a dia com o humor e a atitude da gratidão.

 

Posso não falar, posso nada dizer sobre nada...

 

Há alguém, entretanto, dizendo que não vê o dom da Graça agindo em mim?

 

Não! Não há!

 

Assim, o que eles não dizem é que me acham insuportável por eu andar cheio da certeza de ser habitado pela Graça.

 

Ah! Isto eles podem dizer e estarão falando a verdade!

 

É arrogância ou certeza na fé conforme a Graça?

 

Todavia, se afirmo que sou todo favor imerecido, o que digo..., se não que sou abençoado pela injustíssima justiça divina que me justifica exclusivamente pela fé em Jesus?

 

Sim! E por uma fé que eu não criei em lugar algum, mas que também me foi dada gratuitamente?

 

Quem me acusa de ser arrogante?

 

Ora, os que não suportam minha independência no Evangelho!

 

Assim, quanto mais livre no Evangelho, mais arrogante eles me acham!

 

Para os fariseus Jesus era um sebo de arrogância. E para os judaizantes Paulo era a própria arrogância.

 

Quem não se curva a um arrogante será logo por ele chamado de arrogante!

 

Sou arrogante?

 

Arrogante contra a mentira do diabo, e que perverte o Evangelho?

 

Quais os pobres ou pequeninos que jamais me viram assim?

 

Ou são os que têm algum poder [ou julgam que têm] os que assim dizem de mim?

 

Ou será que eles querem dizer: “O Caio não anda pela média das nossas opiniões”?

 

Sim! Nem pela média e nem por coisa alguma que não me chegue como Evangelho de Deus!

 

Sou arrogante?

 

Ora, quem me dera ter o dízimo da “arrogância” de Paulo!

 

Veja:

 

“... o evangelho que prego não o aprendi de homem algum...”

 

“... e nem subi a Jerusalém àqueles que eram apóstolos antes de mim...”

 

“... trabalhei mais do que todos eles [os demais apóstolos]... não eu, mais a graça de Deus comigo...”

 

“... se sois servos de homens já não o sois de Cristo...”

 

“... pois pouco de me dá de ser julgado por vós ou por qualquer assembléia humana...”

 

“... a esses não nos submetemos nem por um momento...”

 

“Oxalá fossem castrados os que vos incitam à rebeldia...”

 

“... pois não são servos de Cristo... o deus deles é o ventre...”

 

“... se alguém acha que pode se gloriar na carne, eu ainda mais...”

 

 

Assim, quem quiser que me julgue o que bem ou mal desejar.

 

Eu, todavia, sei quem sou; sei como ando; e ando conforme creio e discirno; e busco viver no espírito do Caminho em Jesus.

 

Assim, no que me toca tenho a consciência limpa e tranqüila; certo de que se sou visto como arrogante é apenas para os soberbos de coração; os quais assim me julgam apenas porque em mim não encontram espírito de subserviência humana; pois, sou chamado a servir com alegria o meu próximo; porém, em momento algum isto será em mim jamais nada como subserviência.

 

O subserviente é adulador, é o rei da média e é sempre um covarde.

 

Ora, infelizmente para quem prefere ver minha fé em Jesus como arrogância... — tenho a notícia a dar que adulador, rei da média e covarde não o sou.

 

Entretanto, é uma “arrogância” declarar tal coisa...

 

O melhor mesmo seria dizer: “Com toda humildade cristã de discípulo do Senhor Jesus, eu declaro com toda sincera humildade, que sou arrogante...”. Ou então se poderia dizer: “Posso contar quem são os três homens mais humildes que conheço, e, também posso dizer como conheci os outros dois...”

 

Porém, ante Aquele que é Manso e Humilde de coração o melhor de mim é ainda um sebo de arrogância mesmo. É por isso que busco refugio Nele; pois, somente Nele minha alma se alegra na verdade da Graça sem perder a gratidão que faz tudo ser bonito e puro, quando feito mediante a fé que atua pelo amor.

 

Entretanto, eu sei que sou cheio de Graça por causa da Graça do Deus de toda Graça!

 

É arrogância?

 

Então estou condenado!

 

O que devo dizer?

 

“Ai de mim, pois a Graça me habita?”

 

Então: “Aleluia!”; e não “aileluia”...

 

 

 

Nele, que foi servo de todos sem nenhuma subserviência a nada,

 

 

Caio

 

12/09/07

Manaus

AM

 

É madrugada...

Adriana se foi outra vez...

É esperar...

É tempo de espera...

Ela lá...

Eu aqui...

Ele entre nós...

Sempre...

Assim...

Nunca ela lá e eu aqui...

“Aqui” é nós Nele...