Português | English

Cartas

CAIO DE LA MANCHA!

CAIO DE LA MANCHA!

 

 

 

 

CAIO DE LA MANCHA!

 

----- Original Message -----

From: Baú do Escriba

To: contato@caiofabio.com

Sent: Tuesday, August 21, 2007 10:30

Subject: Caio de La Mancha!!!

 

Olá tem alguém em casa? Tô entrando!!

 

Karis kai eirene!!!

 

Amigo Caio de La Mancha,

  

 

Você não é o único aventureiro do mundo, nem o mais louco. Alexandre Magno queixava-se de seu pai Filipe que com suas conquistas não deixaria nada para ele conquistar. Aos 30 anos de idade construiu um império. Ao invés de repousar, olhava para as estrelas com o punho cerrado, raivoso por não poder colocar lá em cima os seus exércitos. Morreu frustrado porque nas suas veias corria o sangue de qualquer mortal. A flecha lhe revelou que seu sangue era vermelho. Fora enganado. Sempre lhe tinham dito, menos Aristóteles seu mestre, que era um deus. 

 

— Dom Quixote, suas lanças nunca investiram contra o céu. Sua fúria não feriu mais que moinhos de vento.

 

— Júlio César chorou diante duma estátua de Alexandre, lamentando: “Na minha idade ele já tinha conquistado o mundo”. Não chorou nas guerras das Gálias, nem quando uma floresta de punhais furava seu corpo. Chorou de inveja.

 

— Carlos Magno, coroado imperador pelo Papa, não se contenta em ser monarca; quer ser também o árbitro religioso do mundo: “Eu fui sagrado com o óleo santo; sou Papa como o Bispo de Roma”.

 

— Luís XIV, o “rei-sol”, “pela graça de Deus” (que des-graça!), dirige e governa tudo o que se faz e se pensa na terra, como nem mesmo Deus faz no céu e na terra. Orienta a moda, dá temas aos poetas e pintores, cria academias, inventa normas artísticas, constrói obras “grandiosas”, decide sobre tudo, até na Religião. Brinca de rei 24 horas por dia, desde o momento sublime que sai da cama e limpa as remelas dos olhos – (os reis também têm remelas) __ assistido pelos palacianos que vêm oferecer em procissão a peruca, a camisa e os calções, até à noite, quando novamente se despe da peruca, da camisa e dos calções. A Liturgia de Versalhes!!

 

— Meu Quixote, sua corte era Sancho Panza. Os calções, você mesmo vestia.

 

A rainha Vitória, da Inglaterra, saía do palácio todas as manhãs, na sua carruagem e ia tirar sorte com um cigano italiano, que lhe profetizava com a maior seriedade do mundo: “Vida longa, senhora, vida muito longa e feliz, como a vida duma rainha”. E ela voltava para o palácio satisfeita, sonhando, embalada com as palavras do cigano.

 

— Os astronautas chegaram até a lua. Lá em cima se esquecem por instantes da missão científica e pulam como crianças, brincando de “amarelinha” e jogando futebol com um pedaço de pedra. É preciso ir até à luz para ressuscitar a criança!

 

— Beethoven compõe músicas impossíveis, para desespero dos violinistas. “Nenhum violino consegue expressar essas notas” — queixavam-se eles. “Pior para o violino”, respondia Beethoven.

 

— Drummond de Andrade sonhou que estava sonhando, sonhou que o sonho existia. Coisa velha como o mundo. O romano Celso, pagão, há dois mil anos zombava dos cristãos: “Essa gente sonha acordada”. Morrem sorrindo, pensando na ressurreição.

 

— O Papa Inocêncio III, contemporâneo de Francisco de Assis, fazia tremer todos os tronos da Europa. Pergunte meu Quixote, para qualquer passante na rua: “Quem foi Inocêncio III e quem foi Francisco de Assis?” Saberão responder quem foi Francisco de Assis, mas nunca ouviram falar do maior homem do século XIII. E será que sabem do seu paradeiro? Dante Alighieri sabia. O poeta viu o Papa no inferno, completamente nu, apenas com a tiara na cabeça!

  

Dom Caio de La Mancha, ilustre “louco”, sabe por que estou mencionando tudo isso? Por uma simples razão: suas loucuras conseguiram gerar simpatia acho que em todos os rincões; ao passo que as outras não é possível definir.

 

Eu sei o segredo de sua tresloucada sabedoria: os “Sanchos Panzazzz” que estão sempre ao “seu lado” no seu histórico e revolucionário site.

 

Suplico a Deus que não levante “Sanchos Panzazzz” as avessas para devolver-te ao famigerado “bom senso e equilíbrio” do mundo dos hipócritas. “Tenho horror dos homens sem dúvidas, sem inquietações, sem procuras, certos de tudo, infalíveis, dogmáticos, condenadores dos fracos, (...) dos complexos e que são representadas por esta “NOVA” casta de “NOVOS PASTORES” que na verdade representam à eterna e velha família dos fariseus. Tenho mais horror do farisaísmo do que do ateísmo”. Por isso eu PROTESTO!! Não volte ao “BOM SENSO”. Não!!! Não se lembra daquelas ingênuas palavras do seu escudeiro? “Não entendo de TOLOGIA. Minha única TOLOGIA é fazer bem aos outros.”

 

Embora já tenha algum tempo, apreciei muito aquela sua resposta ao tema de “Veja” (“os novos pastores”). Pelo que li na época (sem trocadilhos) o Linhares e eles estão cego e surdo. O mais triste meu caro é que com exceção de alguns poucos pregadores a maioria não tem uma opinião pessoal sobre nada. O que prevalece é a chamada “mensagem enlatada”, - éééé aqui em Uberlândia tem muito disso – a pastorada no CONPAS (“Conselho de Pastores”) é quem decide. Tivemos um episódio que se não fosse triste e deprimente seria cômico. O pastor Marco Feliciano; você já deve ter ouvido falar, resolveu promover seu aniversário de ministério aqui, pois segundo o próprio Marco ele “devia” muito devido a algumas experiências aqui. Fez a divulgação junto a alguns irmãos de algumas igrejas - e veio. Você acredita que as “igrejas” boicotaram o coitado deixando alguns “gatos pingados” em seu aniversário de ministério! Aqui se você não passar pelo crivo do sinedrio eles te detonam. O CONPAS se CONPRAS em muitas e quantas coisas. Ufá! Só o Projeto “Resgate Uberlândia” pra dar uma amaciada no nosso CONPAS ou seria CONPRAS? Não sei. Esses movimentos anuais “fedem a mofo” e dá enjoou e náuseas. É sempre a mesma novelesca sem um capitulo novo em Deus. Aprendi que os gregos, particularmente os atenienses, eram os homens mais curiosos do mundo. A primeira coisa que diziam pela manhã ao encontrar um amigo na praça não era um “bom dia”, nem “como vai”, mas “o que há de novo?”. O povo da liberdade e da ciência, que inventou as palavras “democracia”, “política”, “poesia” (“poesia” como sinônimo de “arte” e “ação”) e ainda a palavra “teoria” que significava “estudo”. Temos certas “festividades” aqui que mais parece romaria da água suja.

 

Depois de avaliar sua loucura “PERESTRÓIKIANA” isso no estrito sentido do termo; quero convidá-lo a ler o manuscrito do meu opúsculo – e aproveitando para pedir que faça apresentação do mesmo. O nome do opúsculo? AS REVELAÇÕES DE JÓ.  Já a minha PERESTRÓIKA é este opúsculo. Talvez o primeiro e último a lê-lo será você, se o livro conseguir passar pela censura. Cá entre nós Caio, digo-lhe um segredo: escrevi o livro para uma única pessoa, para mim mesmo. Só resolvi publicá-lo por curiosidade. Na administração, aprendemos que há uma ferramenta para determinar o tipo de liderança. São quatro quadrados sobre dois eixos. Aplicando isso à teologia, os eixos seriam humildade e conhecimento. Dos quatro quadrados possíveis, o pior seria o que indicasse orgulho e ignorância. O segundo pior seria orgulho e conhecimento. O segundo melhor seria humildade, ainda que acompanhada de ignorância. O melhor seria humildade com conhecimento. Assim, o conselho é: cultive a humildade sem negligenciar o conhecimento.

 

A-braços e braços-a de minha parte.

 

Deus te guarde: dia-a-dia, todo dia, a cada dia – no Caminho.

 

 PR Giovane J. L. Villela

      TEMPO DE ATOS

 

 ADENDO: Poderíamos te chamar de profeta “contra” (“NOVOS PASTORES DE VEJA?”) – Pois bem, leste e viste a Veja ca-olha do mês? É a veja que o Linhares insiste em dizer que “viu” - o quê? Será que a Re-nascer como sugere o nome, ressurgirá das podres cinzas da corrupção?? Pág. 64 da vesga veja!! Embora eu pense que recebemos as agruras da Lei como conseqüência de nossa corrupção, ainda sim, sem nenhuma sinuosidade de alma estou triste por ver o que veja insiste por pura conveniência não ver.

 

___________________________________________

 

 

Resposta:

 

 

Querido Giovane:

 

Karis kai Eirene sobre você também!

 

 

Quem me dera ter tido Sanchos Panzazzz ao meu lado. Na vida real, andando comigo no sonho em tempos de batalha, saiba: eles só vêm quando não há volta quanto ao sonhado e profetizado.

 

Aliás, durante uns tempos, havia um amigo meu que se dizia meu fiel escudeiro. Ora, enquanto os perigos eram vividos num clima em que ele me via com poder, tudo bem. Mas quando o tal de Dossiê Cayman apareceu, ele não quis saber a história; simplesmente sumiu.

 

Então ficaram apenas os meus Sanchos Panzazzz de sempre: que são e sempre foram uns carinhas que atendem pelo nome de Mateus, Marcos, Lucas e João — e mais o tal Paulo [intrigante e provocativo]; e um outro Tiago; e o oculto escritor de Hebreus.

 

Paulo um dia disse: “Somente Lucas está comigo!”

 

Eu tive melhor fortuna que Paulo; pois pude dizer: “Somente Mateus, Marcos, Lucas e João — e mais o tal Paulo [intrigante e provocativo]; e um outro Tiago; e o oculto escritor de Hebreus — estão comigo”. Esses nunca me faltaram em minha loucura advinda da deles.

 

 

No mais, quando tive Sanchos Panzazzz eles todos atendiam pelo nome de “Igreja Evangélica”; e minha ligação com eles era estranha; pois, quanto mais neles batia, mais me apoiavam; até o dia em que não me tendo como apoio, resolverem derrubar-me como quem corta uma árvore na floresta a fim de plantar mandioca. E como nasceu farinha se mandioca na oca deles!

 

Mesmo assim jamais me controlaram; mas, de fato, constrangeram muitas de minhas convicções; as quais, sempre confessei em verdade branda; mas sem a espada aguda que tais realidades demandam.

 

Meus heróis são esses que só querem conquistar o que ninguém quer. Os que desejam conquistar o que todos ambicionam, são os que para mim sofrem da loucura que para Jesus era dita assim: “Louco! Hoje mesmo pedirão a tua alma; e o que tens, para quem irá?

 

Outro dia minha mãe disse:

 

O Caio [meu pai] é a pessoa que eu mais admiro porque ele, entre outras coisas, só quer o que ninguém deseja. Todos querem cultura, ele a tem e não a louva. Todos querem dinheiro, ele tem a capacidade de ganhar dinheiro sem fazer nada, mas não quer. Ele poderia assumir o que desejasse onde quisesse [convites nunca faltaram], mas jamais se empolgou com nada, até sentia vergonha. Nunca quis nada, e tudo o que teve foi escolhido por Deus para ele. Quando chega num lugar deixa que todos se acomodem, e só depois busca o que sobra; se sobrar!

 

Este é o meu Dom Caio de La Luz!

 

Ele sim é o grande louco que já conheci. Louco do bom senso que para os sábios é loucura!

 

A sabedoria de Deus é loucura para os homens; e a sabedoria dos homens é loucura para Deus!

 

Quanto à “Veja”, virou “Vejina” faz tempo; que é a irmã auto-cegada da “Carolina”, que tem olhos e não vê; mas “Vejina” escolhe o que ver.

 

Sobre escrever livros, o bom mesmo é escrever para nós próprios; e quando se faz referencia ao leitor, que ele seja nós mesmos, tanto na necessidade, como também na critica e na avidez do receber.

 

Quanto a essa bendita Terra da Farinha [Uber-landia] o que lhe pode acontecer é que se torne Uberaba: Terra da Farinha Podre; conforme me ensinaram há alguns anos. Uberaba nada tem a ver com seu nome, necessariamente; mas Uberlândia pode muito bem encarnar, religiosamente, o que Uberaba significa etimologicamente.

 

Ficarei aguardando seu livro. Não vi nenhum anexo em sua carta.

 

Receba meu carinho e meu estimulo para que escreva; pois, de fato, sua verve é excelente e seu humor também.

 

 

 

Nele, em Quem nosso Escudeiro é Sábio em Sua Loucura de amor por nós,

 

 

Caio

 

 

21/08/07

Manaus

AM