Português | English

Cartas

CAIO, A GRAÇA ME ALCANÇOU!

CAIO, A GRAÇA ME ALCANÇOU!

-----Original Message----- From: Flavio Sent: quinta-feira, 1 de janeiro de 2004 18:13 To: contato@caiofabio.com Subject: é tão simples.... Caio, a Graça me alcançou ! Na verdade agora é que estou me dando conta disso... Você tem parte nessa história. Eu era um menino, de 13 ou 14 anos, quando descobri algo valioso: a possibilidade de comunhão com Deus era viável e realizável na comunhão com meus irmãos! Ir a "igreja" significava a concretização de tudo isso. Claro que nem tudo é exatamente como gostaríamos que fosse, mas dentro dessa realidade,a igreja não ser perfeita era perfeitamente admissível, já que é constituída de homens. Homens. Falhos, cheio de ambigüidades, contradições...então como esperar algo diferente de...homens ? E assim eu caminhava e sentia que rumava em alguma direção. Com o tempo, os homens foram se tornando "super homens"... Mas pôxa vida! se somos "capacitados por Deus" e se "posso tudo Naquele que me fortalece"? por que me espanto com isso ? Éramos um "povo escolhido", "sacerdócio santo" e que seguíamos Aquele que é o caminho verdade e vida.... Me preocupava ao ver as pessoas "no mundo"...sem saber da verdade...e se perdendo em seus próprios caminhos... Eram gente boa, de coração puro, mas por ignorância (deles) não seriam salvos...eram do mundo , diferente de nós... Afinal de contas não eram evangélicos e não sabiam daquilo que eu sabia! Mas o que eu sabia ? Que só Jesus salva e que a igreja é sua casa! Com o tempo, acompanhando os “ex” e “atuais super-homens” percebia que nem tudo era coerente com o que eu ouvia. Mas...devemos olhar para Jesus e não para os homens, que são falhos e prestarão contas diante DEle pelo que fizeram... Minha obrigação era permanecer e não questionar; afinal de contas, "ai daquele que questionar o ungido do Senhor". Só que chegou um momento em que não era mais possível permanecer de olhos fechados ! Ou eu saía daquilo ou teria que admitir que na casa de Deus havia espaço pra coisas tão ruins que não são nem admitidas nas casas "do mundo".. Era o risco de chegar em um ponto em quem eu teria, obrigatoriamente, que cauterizar minha consciência, sob pena de perder a fé. Me "exilei"...tentei entender tudo aquilo...e fui procurar outra casa. Andei por algumas até encontrar uma que fosse sincera, de Deus. Encontrei ! E, entre outras coisas, me identifiquei, pois os "moradores" de lá sentiam as mesmas angústias que eu em relação a "desordem" nas casas. Sei que existem muitas casas assim. Casas cheias de gente boa, sincera e que busca a Deus...mas em meio a essa caminhada aprendi algumas coisas, e me obriguei a lidar com algumas angústias. Pra isso, tive que olhar pra Jesus. Vi um homem simples, de gestos simples, e que lidava com gente simples. Quando encontrou a mulher adúltera não a condenou.... Comia na casa do cobrador de impostos desonesto, lidava com a prostituta e com os marginalizados da época... Os apóstolos eram os pescadores, e trabalhadores do povo... Escandalizava os religiosos, e tinha coração manso. Entendi que Jesus veio pra fazer morada em meu coração e que sua Igreja acontece em meio a caminhada daqueles que, em busca da verdade, se cruzam e se reconhecem como irmãos, Nele. Onde dois ou três se reúnem em Seu nome, ali Ele está... Entendi que não há placas ou bandeiras, ou prédios, ou casas, ou denominação, ou templos, ou apóstolos, ou pastores, ou padres, ou presbíteros, ou missionários, ou evangelistas ou mais ou menos consagrados pra Deus. Pra Ele existe gente. Entendi que é na minha humanidade que me reconheço, não como super-homem, mas como homem, cheio de ambigüidades e fraquezas, que nunca deixarão de existir enquanto eu estiver por aqui. Quem bom que é assim ! Aprendi que Graça é de graça e não desgraça ninguém. Aprendi que a "arena de Deus" acontece aqui, no trabalho, na faculdade.....na terra ! Lugar de gente! Se estou no templo ou fora dele, se estou na "igreja" ou fora dela, se sou ligado ou desligado de algum ministério, se gosto ou des-gosto daquele pastor, não importa! Eu e você somos a Igreja. Igreja é onde Jesus está, e a comunhão acontece nos relacionamentos e vínculos que formamos em nossa caminhada. A Igreja está acima do que eu penso...A Igreja eu não questiono! Somos Igreja porque Ele É... Entendi que o Reino Dele é muito maior que minhas pretensões religiosas, e que também é incompressivelmente acessível. É pra todos mesmo! Aprendi que Jesus veio falar de justiça, retidão, caráter...e ensinar que, a partir de agora, Deus está perto! Perto de todos os que o amam... E aprendo que amá-Lo é amar o que Ele ensinou; e só. Quem ama a justiça... Quem ama a retidão... Quem ama a verdade... Quem ama a Deus, de verdade... Esses estão perto, aí está a Igreja! O comum é a Graça... Não me sinto mais culpado quando não dá pra freqüentar uma “igreja”, porque sei que Ele nos faz Igreja, e que é essa Igreja que Ele buscará. O bom de tudo isso, é que Ele só me faz Igreja se você estiver por perto, se cruzarmos os nossos caminhos, se olharmos na mesma direção, se nossa sede for a mesma, e nos reconhecermos Nele. Aprendi que esse reconhecimento acontece naquilo que Ele nos ensinou ... "Não serão reconhecidos por títulos como bispos, pastores, apóstolos.......mas pelo amor". É assim. Enquanto estivermos caminhando em Sua presença, Sua voz estiver em nossos corações, e nos reconhecermos pelo amor; isso basta. Se sou evangélico, católico, pastor, padre, santo, pecador, freqüentador ou não de um templo, isso fica pra mim...questão de adaptação e coerência com a revelação da Palavra. O que Ele quer é aquilo que sou, também se mostre no caminho. Ele quer que eu anda na certeza de que na verdade e crueza da minha realidade humana, eu O encontro... no banco da praça, na igreja, na minha casa, na sua, na rua, no trabalho...dormindo. O resto, é resto... Beijo, Flávio ( o cara de São Paulo que você conhece da sua caixa postal...rs) ****************************** Resposta: Meu amado amigo: Graça e Paz! Esse é um caminho sem volta. É sem volta porque é o Caminho. No Caminho há a Porta. Acerca dela, Ele, que também é ambas as coisas—a Porta e o Caminho—nos diz: “...entrará e sairá e achará pastagens...” “Quereis vós também retirar-vos?”—indagou Ele certa vez aos remanescentes, depois que grandes multidões o deixaram pela dureza da Palavra que acabara de falar. “Para quem iremos nós? Tu tens as Palavras da Vida Eterna”—respondeu o pescador a quem Ele chamou de Pedro. A tristeza é que as pessoas não sabem disso. Andam apavoradas. Vivem cheias de fobias e medos. Sentem-se como aqueles que têm que salvar a si mesmos em face de critérios inalcançáveis. Transformaram a Boa Nova e Medo Permanente. Travestiram a Graça em meros ritos semanais ou mensais. Fizeram da Cruz um cenário de crucificação, apenas. A Ressurreição virou tão somente uma manifestação de Poder, do tipo que diz: “Viram? Ninguém esperava por essa? Eu posso mais!” O bom Nome que sobre nós é invocado virou logomarca de Empresas Religiosas, manipuladoras do medo humano, e que se utilizam da miséria para ficar ricas. A Palavra de Deus virou apenas um livro sagrado, objeto de fetiche, mas sem vida... A Igreja sumiu entre os templos, e desapareceu entre as “igrejas”... O diabo se tornou “O” arqui-inimigo de Deus, disputando cabeça com cabeça a vitória sobre a vida humana. Os gritos de Vitória e os decretos de Poder dos “super-homens” não são compatíveis com a fragilidade da consciência dos que gritam, e que temem a tudo, perdem a salvação rapidamente, e assustam-se ante a possibilidade de que Jesus volte numa hora imprópria; por exemplo: enquanto se divertem... Caminho, Verdade e Vida foram desfigurados em Moral, Performance e Máscara. O Amor virou uma palavra de quatro bobas letras, e veio a ser apenas adorno de poesia em orações mais refinadas, ou em falas elegantes. Deus foi repartido em “Três Entidades” diferentes. São vistos como departamentos estanques. Falam entre si, mas não se parecem uma com a outra. De fato, a “elas” são atribuídas “papéis e scripts” tão contraditórios, que dificilmente um “leigo” as poderia imaginar como sendo Um; afinal, como seres tão antitéticos em essência, poderiam ainda ser um só e o mesmo Deus? No princípio havia caos e catástrofe...mas o Espírito de Deus pairava sobre as águas. Nosso quadro é catastrófico, mas o mesmo Espírito paira sobre o nosso caos. Haja Cruz! Haja Vida! Haja Luz! Haja filhos de Deus, feitos à Sua imagem e semelhança, e que sejam transformados segundo a imagem de Deus, Cristo, pela obra permanente do Espírito da Vida! Ele não nos entregou à nós mesmos! Está conosco Hoje. Conhece os seus filhos, pastoreia as Suas próprias ovelhas. E elas Lhe reconhecem a Voz. Assim, o seguem... Estamos juntos no Caminho. Cada um de nós faz seu próprio caminho nessa única Vereda. É permitido que cada um seja cada um. Há muitas diferenças...e nisto está a beleza. Quem anda no Caminho faz seu próprio caminho, porém todos andam na mesma direção, visto que O seguem. Que bom é estar andando com você na mesma e única Estrada. Receba meu beijo. Nele, que nos chamou à Sua eterna Glória, Caio