Português | English

Cartas

AS CONSEQUÊNCIAS DA TRAICÃO!

AS CONSEQUÊNCIAS DA TRAICÃO!

 

 

 

 

  

 

----- Original Message -----

From: AS CONSEQUÊNCIAS DA TRAICÃO!

To: contato@caiofabio.com

Sent: Monday, July 14, 2008 1:12 PM

Subject: caindo de novo...

 

Caro Caio Fabio,

 

Primeiro, gostaria de dizer que gosto muito do que vc escreve e que tenho sido muito abençoado com o conteúdo deste site, pois, foi através do que li no site que me levou a confessar novamente a minha “esposa” o que fiz contra ela, contra mim e contra Deus.

 

Bom... Na verdade não tenho muito a dizer até porque acho que vc tem visto muitas outras histórias deste tipo como o meu.

 

Tenho 27 anos, tenho uma filha de três anos (que amo muito), mas, pequei novamente... Da primeira vez ela me perdoou e deu a mim uma nova chance, porém, depois de algum tempo comecei a novamente pecar.

 

Senti muita culpa do que fiz e confessei pra ela que eu havia caído algumas outras vezes em adultério...

 

Resultado... Hoje estou procurando uma casa pra morar (simples e pequena), minha mãe faleceu e meu pai esta com outra, atualmente não tenho amigos, pois, a maioria somente estava do meu lado quando eu era útil.

 

Sendo mais explicito e direto, o que eu queria mesmo de vc era um conselho, ou seja: Pequei (varias vezes). Confessei todos os meus pecados (adultério) pra minha “esposa”. Desta vez ela não me perdoou. Ela quer que eu vá embora. Já sinto falta dela (família) e da minha filha.

 

Sei que além do confessar há o arrependimento. Sinto que estou arrependido, mas, arrependimento também tem haver com mudança e mudança eu já não tenho mais como mostrar a ela, pois, ela não quer mais perder tempo (diz ela, pois, já confiou e perdeu cinco anos e não vai conseguir confiar de novo).

 

Na verdade depois que confessei da primeira vez que havia adulterado a coisa ficou mais difícil. Toda vez em qualquer discussão ela jogava na minha cara e chegou a até me agredir. Não quero encontrar motivo para o que fiz, mas, pra mim foi muito difícil e sei que pra ela também.

 

Às vezes me coloco no lugar dela e acho que não chegaria nem na metade do que ela chegou comigo.

 

Caio, ajude-me... Preciso de um conselho. Nessas horas percebo que muita gente se afasta... Sinto-me envergonhado... E não quero ser escravo de uma graça barata e sim a graça de Deus, do amor, da sinceridade da graça.

 

Aguardo um retorno...

 

Um grande abraço de um pecador e de quem quer viver no Caminho apesar do meu caminho.

 

___________________________________________

 

Resposta:

 

 

 

Meu mano amado: Graça e Paz!

 

 

 

Você disse tudo no final. Sim! Ponha-se no lugar dela, e fique sabendo de casinhos dela fora do casamento, transando com amigos ou desconhecidos, tudo assim, bem “leve”, do mesmo modo que aquele que “faz” imagina que será para o outro, o que é traído. Sim! Ponha-se no lugar dela e veja se você iria querer você de volta.

 

Jesus mesmo disse que a traição invalida o casamento!

 

Assim, quem fica depois de traído está exercitando uma longanimidade que dele não é requerida. Portanto, perdoar o marido que trai não implica em querer continuar com ele. Perdoar se deve perdoar sempre. Mas, no casamento no qual houve traição, perdão não necessariamente significa querer continuar a relação. De fato, entre discípulos de Jesus, quando há o que houve entre vocês, deve-se perdoar sempre, mesmo que seja para não continuar o casamento.

 

O problema é que homem evangélico sempre pensa que perdão é obrigação do traído; e mais: que tal perdão [até 70 X 7] é o remédio para todas as traições. Mas não é.

 

Deve-se perdoar o inimigo, mas não se tem que casar com ele ou continuar nas proximidades.

 

Sim! Tudo o que um cônjuge que trai recebe de sua mulher como perdão com continuidade da relação, é concessão de Graça ao que traiu. Mas não é obrigação do traído continuar no casamento.

 

E mais:

 

Quem traiu deve saber que confessar ao cônjuge o que fez, implica em viver com as conseqüências, e, no seu caso, é o que você agora está experimentando.

 

Se você sonha em ter sua mulher de volta, saiba: Isto levará tempo; e não deverá ser fácil. Afinal, apenas se ponha no lugar dela. E ainda: não haverá garantias de que você a terá de volta.

 

Portanto, caso você decida tentar, creia: a responsabilidade é toda sua; e não há culpa a ser a ela transferida jamais!

 

Assim, meu mano, eu sinto muito, mas o que você está aprendendo agora é o que designa a diferença entre Meninos e Homens.

 

Tudo nesta vida tem conseqüências. Não dá para pensar que a Graça de Deus seja álibi para nossas loucuras. Deus perdoa a todos os arrependidos, mas não suspende as conseqüências do que se tenha feito entre os homens.

 

Você lembra do malfeitor arrependido que morria ao lado de Jesus?

 

Ora, ele foi perdoado por Deus, e com Jesus foi para o Paraíso. No entanto, pagou o que devia aos homens, e pagou até o fim.

 

Leia o link a seguir: ESTADO DA LEI E ESTADO DE GRAÇA!

 

Desse modo, meu mano, o que tenho a lhe dizer é: “Vá e não peques mais!” — pois, se pecamos, sempre acaba por acontecer algo pior como resultado.

 

Se você quer perdão com aceitação conjugal de sua esposa, esforce-se. Sim! Levará tempo, muito tempo; e implicará em muita humildade e serenidade, com todas as demonstrações de sensatez e equilíbrio de sua parte. Ainda assim, talvez... — apenas.

 

Receba meu carinho e meus sentimentos mais sinceros, pois, sei o que é estar sob o peso da culpa real e objetiva.

 

O Senhor, todavia, é misericordioso; e pode dar a você e mim aquilo que não merecemos.

 

 

Nele, que nos ama,

 

 

Caio

 

14 de julho de 2008

Lago Norte

Brasília

DF