Português | English

Cartas

APRONTEI, SAÍ DE CASA, VOLTEI, E DESCOBRI QUE ELA TEVE OUTRO

APRONTEI, SAÍ DE CASA, VOLTEI, E DESCOBRI QUE ELA TEVE OUTRO

-----Original Message----- From: APRONTEI, SAÍ DE CASA, VOLTEI, E DESCOBRI QUE ELA TEVE OUTRO To: contato@caiofabio.com Subject: NÃO CONSIGO PERDOAR Mensagem: Caro Pastor Caio, Tenho 39 anos, casado, 4 filhos. Conheci o você por volta de 1980, pois naquela época eu era membro de uma igreja na qual você pregava muito. Me afastei do evangelho em 1983, mas sempre soube que a Verdade estava em Cristo. Mas resolvi experimentar as "delícias " do mundo. Me apaixonei, casei, e levava uma vida para mim absolutamente normal. Mas na verdade eu era egoísta, maltratava meus filhos e minha esposa. Não dava a mínima atenção a ela, apesar de ter todos os meus desejos realizados por ela. Pois bem, um dia, o meu castelo desmoronou. Minha esposa, que durante esse tempo teve também um encontro com Cristo, talvez não agüentando mais ser maltratada e humilhada por mim, afastou-se da igreja também. Em fevereiro de 2001, logo após o carnaval, ela pediu que eu saísse de casa, pois não queria mais viver comigo. Senti como se o chão aos meus pés tivesse se aberto. Apesar de receber todo o apoio de meus pais, fiquei desesperado. Nunca chorei tanto na minha vida. Perdi 35 quilos. Andava pelas ruas chorando, me sentindo um verdadeiro lixo. Sentia falta dela, dos meus filhos. Percebi o quanto a amava, caí em mim e vi todo o mal que tinha feito a ela. Decidi mudar. Busquei, depois de quase 20 anos, a face do Senhor novamente. Perdi perdão a ela inúmeras vezes, sem sucesso. Mas não desistia. Já não era mais aquele homem de antes. Tive experiências maravilhosas com o Senhor, e continuava acreditando que um dia Ele restauraria minha família. Até que depois de 9 meses, o que eu mais ansiava aconteceu: alugamos uma nova casa e voltamos a morar juntos. Me sentia o homem mais feliz da terra. Deus restaurou o amor de minha mulher por mim. Esforçava-me para manter um relacionamento saudável com todos em casa, apesar das dificuldades. Mas infelizmente não durou muito...... Tomei outra porrada... Aquilo que eu mais temia tinha acontecido. Tinha desconfiança, mas acreditava no que ela me havia dito. Finalmente descobri que ela tinha tido outro relacionamento. Fiquei arrasado. Minha ferida mal tinha cicatrizado, e eu recebia outra punhalada, desta vez mais funda ainda. Pastor, nunca senti tanta dor na minha vida. Tinha vontade de dar cabeçadas na parede. Voltei a chorar quase que diariamente. Ela me pediu perdão, disse que não havia representado nada para ela, que nunca o amou, etc.. Orava ao Senhor pedindo que Ele me ajudasse a perdoá-la, quase que diariamente. Mas não conseguia. Queria. Sinceramente eu queria. Mas sinceramente eu não conseguia esquecer. Até hoje não consigo, passados mais de dois anos. Tive que fazer terapia, pois não tinha confiança em ninguém da igreja para compartilhar tudo que eu sentia. Hoje, nem eu nem ela freqüentamos nenhuma igreja. Acho que se pudesse resumir nossas vidas hoje numa palavra, ela seria "decepção". Pastor, até uma amante eu arrumei; acho que numa tentativa de "dar o troco". Ledo engano. A mágoa continua aqui. Acho que tenho mágoa até contra Deus. Mas Pastor, eu não consigo esquecer as experiências que tive com Ele. Seu Espírito Santo habita em mim. E Ele geme. QUERO VOLTAR. PRECISO DELE. NÃO CONSIGO SER FELIZ SEM ELE. Só não quero sentir mais dor... PRECISO DE UM MILAGRE... PRECISO DE AJUDA... Obrigado pela sua atenção.... Quero acreditar que ainda existam pastores que vão atrás das ovelhas, por mais distantes que elas estejam... Um abraço, ************************* Meu querido irmão: Sinto muito, de coração! Infelizmente, é verdade! Aquilo que o homem semear, isto também ceifará! Com isto não estou advogando leis de causa e efeito absolutas. Não é na mesma medida e nem na mesma proporção que as coisas acontecem debaixo do sol. Considerando um caso como o seu, por exemplo, há inúmeros homens que quanto pior tratam a mulher, mais dependentes elas ficam deles. Todavia, isto só acontece com mulher doente de alma. Não parece ser o caso da sua. Creio que sua esposa havia desistido de você. E não era para menos. Quanto tempo de indiferença, maus tratos, grosserias, puladas de cerca, e arrogância você acha que teria agüentado se a situação fosse invertida? Meu amigo, você teria pulado do barco há muito tempo... Ela agüentou de 83 a 2001. É muito tempo de abuso. E mais: nunca traiu você. Enquanto esteve com você não teve ninguém. Mas quando mandou você embora, teve o relacionamento que quis, ou, quem sabe, que precisava. Como é que você acha que fica o coração de uma mulher que se casou apaixonada—de acordo com você mesmo—,e que, de súbito, vê-se enganada: o marido não é mais o mesmo; aquele que era cheio de amores, desejos e carinhos, agora não passa de um grosso, estranho e mau humorado?! Meu companheiro, você é quem deveria ir a ela pedir perdão por tê-la exposto a tal situação. Foi você, meu irmão, quem empurrou sua esposa, pela carência ou pela necessidade de auto-afirmação e segurança, a procurar ou a se abrir para a possibilidade de que alguém desse um mínimo de importância a ela. Me perdoe! Eu gostaria de estar dizendo outra coisa, mas não posso. A cada dia que passa eu acho os homens mais esquisitos. O cara trata mal a mulher e até os filhos, cria uma situação insuportável para a família, é convidado a retirar-se, e, então, cai em si; volta arrependido uns meses depois; então, descobre que enquanto isto a ex-esposa (ex-mesmo, vocês já não estavam mais juntos) teve um namorado ou uma “coisa” com alguém...então fica com ódio dela e até de Deus!!!??? Meu querido, quem não quer correr esse risco trata muito bem a mulher. Mulher bem tratada nunca age assim. Se você ama a sua mulher mesmo, tenho apenas duas sugestões a fazer a você: 1. Peça perdão a ela por tê-la exposto a isto. É! é isso aí! Seja homem, e, como parte de seu arrependimento, diga: me perdoe por ter deixado você sozinha e desguarnecida! 2. Fique legal do lado dela, pois, você não tem direito a toda essa auto-piedade. O jeito como você contou a coisa, até parece que você estava servindo os pobres e necessitados na Etiópia, e que na volta descobriu que sua mulher era uma vadia. Pelo amor de Deus! se enxergue. Foi você quem aprontou. Agora, se quiser ficar com ela, então, amigo, deixe isto pra lá, ame-a e continue a vida. Seu problema é insegurança! E, nesse ponto, o bicho pega. O homem se torna vítima de sua própria infantilidade. É o homem quem dá importância a “como” foi, de que “jeito” aconteceu, o que o “outro” teve que foi “diferente”...etc... Tudo besteira! Se ela não quisesse você não estaria com você. E se aceitou você de volta é porque quer ter você para sempre! Meu amigo, todos nós gostaríamos que nada disso tivesse acontecido. Especialmente que você tivesse valorizado seu casamento e família durante os quase 20 anos de chance que teve. Graças a Deus você quebrou a cara. Deus é bom! Agora, no entanto, não dê uma de vítima. Ela aceitou você de volta...esta é que é a façanha! Este é o milagre! Se eu fosse você e a amasse mesmo, deixaria tudo isto para trás e mergulharia, na Graça de Deus, na expectativa de salvar aquilo que eu amasse. Sei que dói sempre! Mas não há nada que não possa ser curado onde há amor. O amor encobre multidão de pecados! E quanto a esse negócio de se “vingar” tendo uma “casinho”, uma “amante”, pare de bobagem. Que amante é essa que serve apenas para fazer raiva em você? Meu amigo, se você de fato quer sua vida de volta, lembre-se da parábola do credor incompassivo. Lembra? Aquele que foi perdoado de milhões de dívidas—de graça—e que foi incapaz de perdoar uma “besteirinha” de alguém que a ele devia, uma merraca? Jesus disse que o destino desse homem não é bom! Perdoa-nos as nossas dívidas assim como nós perdoamos aqueles que nos devem... Só mais uma coisa: Deus está curando você desse orgulho desgraçado de macho que foi justamente a força maligna que destruiu o casamento de vocês. Agora chegou a hora do tratamento final: ou você aceita a cura ou vai viver amargurado. E não adianta ficar com raiva de Deus. Se você quiser ficar com raiva de alguém, fique com raiva de você mesmo. Afinal, foi você quem plantou e colheu o que plantou. Como Deus é bom! Deu a você a chance de cair em si ainda aqui, enquanto está à caminho... Espero que você seja mais homem que macho; que seja mais humano que vaidoso; que seja mais consciente que passional; e que seja mais gracioso e grato que amargurado e cego. Se assim for, você passará por cima disso do mesmo modo como ela passou por cima de milhares de coisas para estar com você. À menos que você seja do tipo que côa o mosquito dos outros, mas quer que os outros engulam os seus camelos! Que Deus abra o seu coração! Nele, Caio