Português | English

Cartas

AMO OUTRO HOMEM. OS HOMENS NÓS ENFRENTARÍAMOS, MAS E DEUS...

AMO OUTRO HOMEM. OS HOMENS NÓS ENFRENTARÍAMOS, MAS E DEUS...

-----Original Message----- From: AMO OUTRO HOMEM. OS HOMENS NÓS ENFRENTARÍAMOS, MAS E DEUS...? Sent: domingo, 4 de janeiro de 2004 01:14 To: contato@caiofabio.com Subject: TERÍAMOS BENÇÃO OU MALDIÇÃO? Mensagem: Amado pastor, que a paz que excede a todo o entendimento seja contigo! Tenho precisado muito de conselhos, e como tenho no senhor um homem de Deus, gostaria que me orientasse naquilo que devo fazer. Sou casada há 10 anos. Tenho filhos lindos, que amo muito. Mas, não amo mais o meu marido. Tenho grande admiração, respeito e carinho por ele, mas não mais amor. Às vezes, penso se realmente o amei um dia... Depois de alguns anos me interessei por um outro homen, e tive um relacionamento com ele. Resolvemos parar por temor a Deus. Talvez pareça estranho falar de temor a Deus e ter cometido um adultério, mas eu realmente amo o Senhor, e este o motivo de termos nos afastado um do outro, eu e o homem. Ele também é um servo do Senhor, e tem se sentido mal com toda esta situação. Além disso é também casado, e tem filhos. Já pensamos em ficar juntos, mas e o ministério que temos? Será que teríamos a benção do Senhor em nossas vidas, ou a maldição? As pessoas e a sociedade nós enfrentaríamos, mas...e quanto a Deus? Dê-me um conselho em nome de Jesus. Por favor oculte o nome e o endereço. Deus o abençoe. *************************************************** Resposta: Minha amada irmã: Benção e Sabedoria sobre a sua alma! "Caia eu nas mãos do Senhor, pois são muitas as suas misericórdias...e não nas mãos dos homens..." (Rei Davi) Bem, quanto a não revelar nome, endereço, dados incriminadores, localizações, etc...fique tranqüila. É assim que sempre procedo. Sei que você teme ao Senhor. Se você não pudesse dizer que teme ao Senhor apesar de ter feito algo errado, quem mais poderia dizer que também teme ao Senhor? Dos homens e mulheres da Bíblia que temiam ao Senhor talvez apenas José (apesar da taça das vidências), Samuel (apesar de não ter conseguido fazer os próprios filhos andarem nos bons caminhos que ele andou), e Daniel (apesar de que se hoje estivesse vivo não poder ter a certeza de gozar o respeito dos evangélicos em razão de ter tido que estudar de tudo, até magia, conforme a corte do rei Nabucodonozor). Os demais homens santos acerca de cujas histórias de vida temos conhecimento, todos têm “histórias para contar”. E no N.T. afora as narrativas dos evangelhos, o resto do material histórico é muito pouco biográfico (apesar de Atos, que não falava de nada senão de “atos apostólicos). As cartas de Paulo, no entanto, nos ensinam que gente de Deus também comete erros. Há farta asseveração dele à respeito da questão. Ora, quem diz que Davi foi um homem segundo o coração de Deus, implicitamente também diz que gente que teme ao Senhor pode cometer terríveis equívocos. Então, não precisa me “explicar”, pois eu SEI por mim mesmo acerca desta verdade-realidade. Quanto ao seu casamento e o amor pelo outra pessoa, também irmão no Senhor, posso avaliar a sua aflição. Veja quanta coisa está envolvida: 1. Seu marido. 2. Seus filhos. 3. Os filhos dele. 4. A esposa dele. 5. Os amigos comuns. 6. E a “igreja”... Os cinco primeiros grupos sofreram sofrimentos verdadeiros. O sexto grupo não sofre; faz sofrer... Na minha experiência como homem—e só como homem que estou escrevendo a você—, o que aprendi foi o seguinte: 1. Pior do que a separação é a “união” sem o vinculo do amor. 2. Quando alguém decide “ficar” com quem não ama—ou nunca amou—deve saber que não terá o direito de tratar mal a tal pessoa, e nem também o direito de ter uma outra relação nas costas dela. 3. No caso de nunca ter havido nada com alguém—um relacionamento fora do casamento—fica muito mais fácil continuar. 4. Mas quando é o caso de haver genuíno amor por alguém fora do casamento, então a vida vira um inferno. O coração arde, queima, transborda de saudade, enche-se de insatisfação na vida que se tem, desconta-se o mal estar no cônjuge, vive-se comparando tudo com a outra pessoa, a anima fica tomada de mal humor, e a gente acaba fazendo mal a quem se ama...apenas porque não se ama a pessoa como a gente gostaria de amá-la, ou porque se não a ama como ela gostaria de ser amada. 5. Há quem consiga levar isso “com a barriga” muito tempo...mas a maioria acaba não agüentando. As suas questões sobre “ministério” são coisa de somenos. De que adianta preservar um “ministério” tendo a alma toda dividida, ou mesmo em outro lugar? Quanto a Deus, Ele é o Deus da Verdade! Ou você acha que o negócio de Deus é com o papel do cartório? Ou será que é com a “benção” da igreja? Minha querida, Deus está vendo. E o que vale para Ele é o que existe no coração. Ora, o que isto significa? 1. Significa que você pode deixar tudo como está, e fazer disso uma grande renuncia por amor aos seus filhos, seu marido, etc...Mas tem que fazer isso sem amargura. E Deus aceitará seu amor impossível como sua libação de alma. Milhões já fizeram isso como devoção. 2. Significa que se você não se sentir “apta” para a primeira opção, nada muda, pois o que é, já é. Se seu amor por esse homem é pecado, então, você virará em “pecado”. E pior: por uma mecanismo que está fora de seu controle, pois se estivesse, sei que você já teria desligado esse dijuntor. O problema é que não está na sua mão para fazer inexistir, apenas para não realizar como ato externo. Portanto, já é aos olhos de Deus. E quantos você acha que vivem assim? Ora, milhões e milhões...Deus sabe...e aceita os seus louvores, quando são sinceros. O que você deve fazer? Bem, não sei. É fácil dizer o que se quer quando não é a gente que vai ter que viver com as conseqüências. Meu papel aqui é esclarecer você, não dizer o que tem que ser feito! Posso apenas repetir que se sua decisão for ficar, então, não brinque de ficar. E se for se separar, então, separe-se sem ser por causa do outro. Se for, que seja por você, e não por ninguém. Quanto a benção de Deus, apenas pense o seguinte: você amaldiçoaria a qualquer de seus próprios filhinhos se o dilema da existência deles fosse igual ao seu? Ora, se nós que somos maus sabemos dar boas dádivas aos nossos filhos, por ventura deveríamos pensar que o pai celeste seria inferior a nós? Se não daríamos nada mal aos nossos filhos, devemos,por ventura, esperar que Deus seja pior do que nós? O que você acha que o Jesus dos Evangelhos—não o criado pela “igreja”—diria a você, em vendo a sinceridade de seu coração? Você acha que Ele a amaldiçoaria? Minha querida, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões! Agora, tudo é uma questão de verdade, justiça, bondade, amizade, e sabedoria para viver, sem acabar com a vida de ninguém. O que você quer que os outros façam a você, faça isto mesmo você também a eles. E se a situação fosse invertida? Suponha que você ame o seu marido, de verdade e ardentemente. O problema é que ele não ama você. Já até teve um affair...e ama outra pessoa. O que você preferiria que ele fizesse a você? Que ficasse ao seu lado amaldiçoando tal fato ou que singelamente buscasse o seu caminho com sinceridade? Ora, é claro que quando se está infeliz num relacionamento como o “casamento” a alma entra em desespero, fica claustrofóbica, quer pular fora...e, assim, corre o risco de errar outra vez...pela pressa. Portanto, fique calma. Deus está vendo. Peça a Ele para sondar o seu coração. Não se precipite em nada. E não deixe que a culpa demande de você “decisões rápidas e dignas”, pois elas podem não ser as melhores. A culpa é moralista, e quer que tudo seja feito com pressa. Então fica do jeito que o diabo gosta. Espero poder ter sido útil a você. Minha oração é por SABEDORIA. Nele, que nos ama, Caio