Português | English

Cartas

AMIGOS, GRAÇAS A DEUS!

AMIGOS, GRAÇAS A DEUS!

 

-----Original Message-----

From: George Foster

Sent: sexta-feira, 12 de março de 2004 19:47

To: Caio Fábio D'Araújo Filho

Subject: Feliz aniversário

 

 

 

Amado Caio,

 

Que Deus o abençoe muito no seu aniversário. Tenho saudades. Espero num dia não muito distante reencontrar com você.

 

A amizade continua. Feliz aniversário.

 

George Foster

 

___________________________________

 

Resposta:

 

 

 

Amado George,

 

 

 

Amigos como você são perpétuos, o que, em se tratando de verdadeiros amigos, é mera redundância.

 

Amigos não se explicam, pois se sabem. Amigos nunca interpretam silêncio como nada, quando nada está acontecendo.

 

Amigos sabem que o tempo muda tudo, menos a essência de quem um dia a gente conheceu a alma. Amigos entendem até aquilo de que discordam no outro, e não se sentem distantes por nenhuma diferença.

 

Amigos são aqueles que podem abrir a alma, pois jamais serão desprezados, ou reinterpretados para baixo.

 

Amigos celebram as vitórias uns dos outros como acontecimentos pessoais. Amigos choram as perdas uns dos outros como sendo suas próprias perdas.

 

Amigos não se divorciam uns dos outros, nem pelo divórcio. Amigos sempre se redescobrem após qualquer névoa de dúvida. Amigos nunca olham com maldade. Amigos enxergam com bondade.

 

Amigos são aqueles que crêem na Graça, pois só vendo a vida com os olhos da Graça é que se consegue ver um outro ser humano sempre assim.

 

Meu amigo, obrigado pelo seu carinho de quase trinta anos. Você, como diretor da Editora Betânia, publicou o meu primeiro livro com circulação nacional. E eu era um menino de Manaus, por quem você, logo ao conhecer, se afeiçoou. E, garanto-lhe, meu amigo, foi mútuo o sentimento.

 

Mais livros... Você publicou. Foi você quem me deu as dicas mais práticas sobre minha própria forma de escrever, completamente fora dos padrões, apressada, como você certa vez me disse.

 

E quantas noites gostosas eu dormi em sua casa, em companhia de sua família. Carrego comigo o cheiro doce de seu lar.

 

Obrigado pela lembrança de meu aniversário, apesar de que eu sei que você sempre está aí, para mim.

 

Receba meu beijo e o transmita à Dolly e aos filhos, Beto e Márcia, hoje um homem e uma mulher.

 

 

 

 

 

Nele, que nos uniu,

 

 

 

Caio

 

12 de março de 2004

 

Copacabana

 

RJ