Português | English

Cartas

ACERCA DOS HOMOSSEXUAIS II

ACERCA DOS HOMOSSEXUAIS II

 

-----Original Message-----

From: Acerca dos Homossexuais II

To: contato@caiofabio.com

Sent: quinta-feira, 7 de agosto de 2003

Subject: Agradecimento e Solicitação de Mais Esclarecimentos

 

 

 

Estimado irmão e amigo, que a Paz do Senhor Jesus esteja contigo e com todos os seus.

 

Primeiramente, quero agradecer pela resposta, datada do dia 09/07, tão oportuna e equilibrada, sobre a questão do atendimento psicológico a clientes com conduta homossexual, baseado na Resolução do Conselho Federal de Psicologia.

 

Gostaria de um esclarecimento sobre a afirmação que o senhor fez no início da exposição, dizendo que "o psicólogo não deve cobrar consulta, se o negócio dele é "pregar". Neste caso, sendo cristão e psicólogo, exercendo a profissão na clínica e não na igreja, segundo as normas profissionais e éticas, estaria procedendo injustamente, por cobrar pelo serviço oferecido?

 

Peço, encarecidamente, um esclarecimento a respeito. Agradeço desde já a atenção, respeitando a sua disponibilidade de tempo.

 

Qual a sua opinião pessoal acerca do "Homossexualismo"? Como posso adquirir os seus livros antigos?

 

Um grande abraço,

 

No Amor do Senhor,

 

___________________________________

 

Resposta:

 

 

 

Querido amigo: Paz!

 

Desculpe a demora. E-mails e viagens!

 

Quando o negócio do psicólogo é pregar, ele deve fazê-lo de graça, e não cobrar pela consulta.

 

Se alguém chega com um problema que a ética profissional diz que o "psicólogo" não pode chamar de "doença", e ele assim mesmo o faz por razões de "fé"; e o faz dentro de sua clínica, então, o que ele deveria fazer era dizer:

 

Esse é um assunto para o qual minha opinião contraria os códigos éticos de minha profissão. Por isso, caso você queira a minha ajuda, tratarei você de graça, pois cobrar seria um desvio ético tanto em relação ao "código profissional", como também seria um “estelionato”, pois estaria usando a "fachada profissional" para cobrar algo que é para mim uma questão de fé. E o que vou dizer a você é também algo que recebi de "Graça". Se você quiser ficar comigo, eu ajudo você de graça. Se não desejar, procure outro psicólogo.

 

Seria a mesma coisa que eu colocar uma “placa” atendimento psicológico, e dizer aos clientes tudo o que creio acerca de qualquer tema, e cobrar pela consulta. Eu não sou psicólogo, e o que faço é pregar. Não seria nem ético para com a pregação e nem ético para com a profissão. O nome disso é estelionato.

 

Eu, entretanto, agiria como psicólogo, veria as causas psicológicas e comportamentais da questão, ajudaria a pessoa no nível de minha competência e conforme a ética de minha profissão.

 

Ou como é que você acha que Daniel viveu no meio dos caldeus, magos, astrólogos, e sábios da mesopotâmia? Foi com muita sabedoria e bom senso.

 

Acerca de minha opinião pessoal sobre o tema homossexualismo, ela não só já foi expressa naquele texto que você mencionou (está em Cartas aqui no site), mas também em muitos outros na mesma sessão.

 

 

 

 

 

Um abração,

 

 

 

Caio