Português | English

Cartas

A PERFEITA IMPERFEIÇÃO DA IGREJA: RESPOSTA DESDE ARGENTINA--

A PERFEITA IMPERFEIÇÃO DA IGREJA: RESPOSTA DESDE ARGENTINA--

----- Original Message ----- From: Mons. Alfredo To: Cafe com Graca ; Consejo Episcopal ; Iglesia Bielorrusa Sent: Sunday, May 02, 2004 5:27 AM Subject: A PERFEITA IMPERFEIÇÃO DA IGREJA: RESPOSTA DESDE ARGENTINA--Mons. Alfredo Carissimo Caio. São 04 a.m. deste Domingo, 2 de maio. Já estou de saída para tomar uma condução para visitar um presídio, aqui em Buenos Aires. Preparei a estola dupla, minha batina preta, o sakos,o epogonotion, e o omoforion pequeno, sem esquecer as epimaniquias, e os Evangelhos... Então abri tua pagina sobre A Perfeita Imperfeição da Igreja... Agora me vou em paz rezar missa, entre os Sagrados Ikones, velas, incenso etc... Bom, assim é entre os Ortodoxos...mas tuas palavras são um balsamo que reconforta a minha alma... " Harmonia", reunião dos irmãos, e até dos que ainda não são irmãos... Creio que até entre estes últimos é mais fácil! Igreja é somente isto: perdão, confiança, restauração,...e muito mais perdão, perdão, perdão... Primeiro perdão por eu ser esta coisa que se diz cristão, e que é só uma cópia de papel carbono, ...mas que gosta de ser reconhecido como um Cristão...ainda que sendo e sabendo aquilo que sou... do modo como peco.. e como engano diariamente minha alma... para suportar o olhar de Cristo, caminho da Cruz, me dizendo; “De novo, você? Bom, eu sei do teu trabalho, porque imprimo teus comentários, e os reparto entre nossos irmãos, e levo cópias a outros Padres, Bispos e Pastores... Só falo:”Leiam, isto manda o Caio desde Brasil, a nós, os Super-apóstolos...” Caio, Caio, sofri a partida de teu filho; sofro o desvio de muitos lideres das igrejas, mas, ainda que te soe egoísta, digo: Obrigado Jesus pela obra que fizestes no Caio; ele era muito bom escritor e pregador, mas nestes últimos anos ele é realmente muito parecido a que eu deveria ser. Obrigado por teu devocional sobre a denuncia da “falsa santidade na igreja”. Agora me vou ao presídio; pecador como sou, mais sabendo que vivo em Graça; pois unicamente porque em mim não há nada de bom. Desculpe meu Portunhol! De madrugada, e ora ou reza por este ministério ortodoxo aos encarcerados,viciados, etc. Os crentes perfeitos não são para mim; talvez, para cada rebanho Jesus levanta um pastor...?! Deus em Cristo, nos abençoe sempre! Mons. Alfredo Mingolla-Montrezza Vicario Episcopal- Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava Paroquia de Sao Miguel Arcanjo- Templo de Buenos ____________________________________________________________ Meu amado irmão Mons. Alfredo: Graça e Paz! Sua carta foi mel e manteiga, como no rito antigo, na igreja dos primórdios, onde cada um comia o alimento das crianças para significar o que devemos ser em malícia: crianças. Foi assim que me senti...como quem se alimentava das grandes e inesgotáveis belezas do reino, e que só se encontram disponíveis ao coração que não pretende nada de si mesmo; mas antes, apenas se vê na luz; e na Luz vê a Luz. No reino há pastores que buscam ser como o Pastor...e vão atrás da ovelhinha que se perdeu pelo caminho. Também há aqueles que quando encontram “dracmas” perdidas se alegram. Essa é nossa alegria: buscar, como patores-irmãos, as ovelhas que se extraviaram pela vida, sabendo, paradoxalmente, que só podemos ir atrás delas porque é nesse caminho que também nos encontramos... Nossa alegria também é nunca deixarmos de nos alegrar com a Graça quando “achamos aquilo que não procurávamos”. A alegria do pastor é resgatadora. Já a alegria da “mulher que acha a dracama em casa”, é a alegria de quem reconhece valor no que estava perdido...e celebra o ganho...o bem daquele encontro...mesmo que não se tenha feito nada...que tenha sido o "acaso"... Peço a Deus que se eu não puder ser aquele que vai atrás; que, pelo menos, eu seja daqueles que se alegram com os que “foram achados”...; assim, quero convidar os amigos e dar uma festa, como a mulher da dracma perdida. Igreja, como dado histórico, tem que ser Cidade de Refúgio; lugar onde as leis da morte são suspensas; e cada refugiado cresce em consciência; aprendendo a liberdade como auto-consciência em gratidão; assim como era a proposta levítica, onde a Lei era suspensa naquela geografia da Cidade de Refúgio. A Igreja tem que ser esta Cidade! Seu carinho me inspirou, e certamente estarei em comunhão e em orações com você, meu irmão, sempre. Meu beijo e meu carinho! Nele, que reúne Seus filhos num só Corpo, Caio