Português | English

Cartas

A MENTIRA ESTÁ ME DESTRUINDO

A MENTIRA ESTÁ ME DESTRUINDO




 


From: A MENTIRA ESTÁ ME DESTRUINDO

 
To:
cafecomgraca@caiofabio.com

 
Sent: Wednesday, April 28, 2004 12:30 AM


Subject: Contato do Site

 

 

 

 

Paz e graça, pastor Caio Fábio.

 

 

 

 

Desde já, agradeço a Deus pela sua vida.

 

 

Mas o que vem pela frente... ah... não há o que agradecer...

 

 

Esta é a primeira vez que desabafo realmente o que se passa na minha vida. Certamente este texto pode ser colocado em várias áreas do seu site, porque é uma mistura de experiência com desabafo, com pedido de oração...

 

É com o coração partido, e a alma em lágrimas, simplesmente perdida, que eu te digo: As máscaras caíram. As máscaras da minha vida se foram... e justamente eu as deixei cair na frente do ser humano que mais amo neste mundo: a minha noiva.

 

Eu fiz tudo o que eu não podia fazer, e ainda com agravantes.


Simplesmente menti descaradamente, a respeito de um trabalho que deveria fazer e não fiz.

 

 

Eu poderia simplesmente dizer que não o havia feito, mas como todo vício é constituído da dependência, eu simplesmente disse o que não devia, e isso pegou muito mal para os pais dela, que chegaram à conclusão de que sou mentiroso, e para ela mesma, que teve de suspender uma aula pela falta do material que eu deveria ter entregado.

 

 

Então, quando cheguei na frente dela para me justificar, ela já sabia de tudo... podia ver isso em meus olhos... Então, daí pra frente, eu contei tudo... descortinei uma situação que já durava muito tempo.


Junte esta situação de mentiras com promessas não cumpridas, esperanças mal-alimentadas e castelos construídos sobre a areia... Pois é... O vento levou tudo hoje... E apesar de amá-la muito, sinto que tudo acabou.


Mas isso, tenho certeza, é uma sombra da minha já muito distante, fria e mecânica relação com Deus, onde Ele tem de fazer tudo o que quero e eu posso fazer tudo o que vem à cabeça...


A farsa de que eu posso sempre estar longe e querer dEle bênçãos...


Eu preciso muito de um suporte espiritual, de orações, para que Deus possa, por sua misericórdia, FALAR COMIGO, SE FAZER CONHECIDO, PERDOAR MEUS PECADOS, GERAR EM MIM UM ARREPENDIMENTO SINCERO E TOMAR CONTA DA MINHA VIDA.


Desde já agradeço a oportunidade de ter um lugar onde pudesse desabafar... E aproveitando ainda esta oportunidade, pergunto: o que devo fazer para recuperar o tempo perdido com alguém que se ama?

 

 

___________________________________



Resposta:

 

 


Meu querido irmão e amigo em Cristo: a Verdade nos liberta!


A mentira que é mentira é tudo aquilo que falsifica a realidade; seja intencionalmente ou não.


Nós, humanos, só consideramos mentira aquilo que em palavras seja uma falsificação, ou quando se descobre que a pessoa vive em dois mundos; e acerca de um, mente para o outro e vice-versa.


Mas quando se trata da mentira inconsciente, então, honestamente, teríamos que dizer que grande parte de nossa existência é mentira.


Neste sentido, não há ninguém que não seja mentira. A questão é que as mentiras inconscientes, a gente não as classifica de modo “moral”, mas apenas “psicológico”, e chamamos este tipo de mentira de “auto-engano”.


Ora, boa parte das histórias que as pessoas contam a si mesmas são “auto-engano”.


No fundo, o coração sabe... mas nega-se a encarar o Baile de Máscaras no qual a vida se tornou, e que nada tem a ver com o que é verdadeiro.


Mentira vicia. Gente que se habituou a resolver as coisas com uma “estorinha” sofre de um mal muito sério.


No início — e por vezes, durante toda a vida — a pessoa vai “se dando bem.” Então, começa a achar que aquele é um direito natural, que faz parte da sobrevivência como se fosse uma arma de defesa, uma espécie de mimetismo necessário à sobrevivência, como o fazem os polvos e camaleões, entre outros.


A questão é que raramente um ser viciado na falsificação da realidade consegue se dar conta disso... com o passar do tempo.


Assim, as “estorinhas” acabam se confundindo com a “realidade”... E o indivíduo segue incorporando ao currículo de sua existência as subjetividades que só aconteceram como “maquinação mental”, mas que nunca foram reais, concretas; só que agora, nem mais o inventor delas sabe diferenciá-las do que é e do que não é.


Pela descrição que você fez, a mentira passou a ser uma “desculpa” para facilitar sua vida atabalhoada, feita de uma agenda na qual você põe mais coisas do que o que dá para cumprir;

 

 

e, também, parece ser o fruto de um coração inseguro, que deseja conquistar “agradando”, ainda que o caminho imediato para gerar esse “agrado” nos outros seja a tapeação.

 

 

Nenhuma intenção má... mas alguém fica enganado, ainda que seja por pequenas besteiras.


A meu ver, um cara que mente de vez em quando, e só pra escapar de um grande e real perigo, mente muito menos do que aquele que se habituou a mentir em primeiro lugar, apenas porque em sua mente a única realidade que ele aceita é aquela que ele mesmo criou como cenário para a sua própria “máscara existencial”.


Agora, amigo, você terá que reaprender o caminho da realidade. Não digo “o caminho da Verdade”, pois tal coisa é ainda muito mais profunda do que a “realidade” — que é apenas uma soma de um conjunto de acontecimentos.


Todavia, não há cura para a mentira que compete com a verdade se não houver primeiro, tratamento para a mentira que acontece como falsificação corriqueira da realidade.


Seu exercício será o de se ater aos fatos, com cuidado e precisão.


Uma mente que se habitua a “inventar” acaba inventando mesmo; mesmo o que não precisa, nem mesmo em razão da desculpa da “sobrevivência”.


Seus pecados estão perdoados!


Digo isto a você em Nome de Jesus!


Agora, vá e não invente mais...


Você verá como o coração fica infinitamente mais calmo e sereno quando o material que ele come e oferece aos outros como refeição, é feito do conjunto da realidade honestamente percebida como tal.


Não fique mais angustiado. Encare com tristeza o que aconteceu. Se houver remendo, na verdade, então que haja. Se não houver mais jeito, aprenda a lição e se eduque na Realidade.


Ora, nem todo mundo é apanhado como você foi, ainda que a maioria não viva sem algumas “invenções”.


O convite que nos é feito é para que a verdade se torne realidade, e a realidade, verdade. Ou seja: somos chamados para nos desfragmentarmos e nos deixarmos moldar do modo mais simples possível. O resultado dessa “unificação” entre o objetivo e o subjetivo é que nos dá saúde mental, psicológica e espiritual.


Além disso, não há verdadeira liberdade que não seja filha da verdade.


Você tem dois caminhos. Um é estreito, e é o caminho da realidade-verdade. Aí está a saúde.

 

 

O outro caminho é o desenvolvimento de uma outra máscara; aquela que é fruto do seguinte: o cara foi apanhado na mentira, se sente muito mal, e jura que isto nunca mais acontecerá, não porque ele intente não mais agir assim, mas apenas porque ele decidiu que não mais será “pego”. Desse modo, ele não se cura, mas apenas desenvolve melhor o seu disfarce.


Aproveite esta chance que a Graça de Deus lhe propiciou e escolha o caminho da reorganização de sua existência conforme a realidade.


Além disso, saiba que todo mentiroso que não mente por perversidade — e este não é nem de longe o seu caso — o faz por insegurança e necessidade de aceitação.


Portanto, meu amigo, o que habita a sua “mentira” não é um problema de caráter, mas tão-somente de natureza psicológica, e tem a ver com sua insegurança. Você só usa máscara porque se acha melhor com ela.


Quem gosta da cara que tem, não a esconde.

 

 

Assim, muitas mentiras são apenas um atestado de insegurança e falta de auto-apreciação.


Não construa um holograma para representar você. Faça-se representar por você mesmo!


E não tema, pois você só terá segurança para viver, quando você não temer mais mostrar quem você é. Tudo o que se manifesta é luz.

 

 

Portanto, você, pela força e pela vergonha, botou o pé no bom caminho... Agora, continue nele.


E saiba: no estrito senso do que seja fiel e verdadeiro, só houve e só há um que seja completamente digno destas definições. Ele é também o mesmo que é chamado de O Verbo de Deus.


Agora é com você...


E se você voltar à sua noiva e à família dela, faça-o sem dissimulação. Pode ser que ela volte a confiar... Mas o caminho da reconquista da confiança é árduo e requer verdade e humildade.


Vá na paz.

 

 

 

 


Nele, que é a Verdade,




Caio

 

 

Abril de 2004

 

 

Copacabana

 

 

RJ