Português | English

Cartas

A FALTA DE AMOR DELE ESTÁ ME MATANDO!

A FALTA DE AMOR DELE ESTÁ ME MATANDO!

 

 

 

 

 

 

----- Original Message -----

From: A FALTA DE AMOR DELE ESTÁ ME MATANDO!

To: contato@caiofabio.com

Sent: Friday, May 30, 2008 7:12 PM

Subject: Aconselhamento

 

 

Estimado Pastor Caio Fábio,

 

 

 

Primeiro quero pedir-lhes desculpas por estar escrevendo, pois sei que o senhor é um homem muito ocupado, mas preciso ouvir uma opinião sobre o que tenho vivido.

 

Sou casada há 24 anos. Em dezembro de 2008 nos separamos, pois, já tinha tido provas de muitos relacionamentos extraconjugais do meu marido. Mais em dezembro, depois de eu descobrir mais um, ele disse que não gostava mais de mim, e que o casamento acabava ali.

 

Pra mim foi um baque. Sofri muito. Tenho 42 anos e a namorada dele tem 24 anos. Ela é uma mulher bonita e atraente. Eu sou o oposto.

 

Em  fevereiro de 2008 ele pediu pra voltar, pois queria reconstruir a família. Eu, por amá-lo, e optar em perdoá-lo, e por crer que Cristo restaura tudo, o aceitei de volta.

 

Nós nunca brigamos. O trato com muito carinho, respeito e cuidado. Mas desde que ele voltou só fizemos sexo umas cinco vezes. Sinto que ele não sente nada por mim. Isto me causa muita dor de cabeça, stress, mas sofro calada.

 

Ele sempre está fugindo de mim. Penso em conversar, mas ele não é de dialogo.

 

Também não estou suportando. A rejeição está prejudicando meu emocional, minha auto-estima, coisa que eu já não tenho.

 

Ele nunca vai dizer que não faz sexo comigo porque não tem vontade. Mas não procura um médico porque ele sabe que não está doente.

 

Acho que o problema sou eu mesma. Não sei o que fazer. Só sei que me sinto a pior das criaturas.

 

Sempre estou limpa, arrumada, mesmo sendo feia, mas mesmo assim ele nem liga pra mim.

 

_________________________________

 

 

Resposta:

 

 

 

Minha querida amiga no Senhor: Graça e Paz!

 

 

 

Li sua carta com muito amor no coração. Aliás, “muito amor” é coisa errada, pois, sendo amor o que é; não é muito e nem é pouco; visto que sendo amor, tudo pode, tudo crê, tudo suporta, tudo deseja de bom; e, portanto, não é muito e nem é pouco, pois o que é tudo, é infinito.

 

Assim, li sua carta com amor!

 

E é com o coração cheio de amor que lhe digo:

 

Deixe-o ir. Sim! Faça isto por amor a você e a ele. Pois, como está agora, ele é seu algoz [e sofre por isto]; e você é seqüestrada e seqüestradora ao mesmo tempo [e sofre muito com isto].

 

Não sei quais foram as razões dele para ter voltado. Posso crer que tenha sido mesmo para preservar o casamento e família. Talvez saudade da estabilidade do lar. Porém, também pode ser por outras razões, indo de uma questão de economia financeira até mesmo ao fato de ter visto que a “menina” é boa pra transar, mas não para se viver.    

 

Entretanto, não importando as “razões dele”, mesmo que fossem do tamanho do mundo inteiro, Jesus disse que não valeria a pena, pois, seria como ganhar o mundo inteiro e perder a própria alma.

 

 

Sem amor ninguém salva a sua alma para a saúde na vida!

 

Ora, conforme Jesus ensinou, devo amar ao próximo como a mim mesmo. Pois, se não amo a mim mesmo, jamais amarei ninguém de verdade. Sim! Pois me faltará a base do amor, que é o discernimento do bem a se fazer ao outro, pelo bem que se sabe ser bom para a vida, cujo discernimento só é obtido pelos que se amam evidenciando isto pela busca do que é bom para eles mesmos e para os outros.

 

Quando alguém não nos ama, isto não tem que ser culpa nossa, se somos bons e amorosos para com a pessoa. Assim como não é virtude de ninguém amar a quem quer que seja. O amor não anda nesse caminho de virtudes e de dês-virtudes. O amor é ou não é. Ora, digo isto falando de algo maior do que o que se necessita no ambiente conjugal.

 

Em relação ao sexo oposto pouca gente sabe o que é amor. A maioria confunde capricho, insegurança e necessidade psicológica com amor.

 

 

Assim lhe digo:

 

No caso conjugal, saiba: se o cônjuge amasse sempre o outro quando este fosse belo, cheiroso e bom, eu não teria encontrado a minha vida inteira um monte de mulheres e homens com tais qualificações sendo trocados por bruxos e bruxas.

 

Desse modo, não é nem a idade e nem a beleza ou gostosura da “menina” a responsável pelo descaso de seu marido para com você durante toda a vida, e nem agora; pois, tanto ele já procedia assim antes, quanto também este é um problema dele, e só dele, e de modo algum seu.

 

Vinicius de Moraes dizia que a beleza era fundamental, pedindo desculpas às feias, sem saber que de fato a beleza não é nem fundamental e, muito menos, essencial; mas sim o se ter do outro lado alguém que nos veja como tal.

 

A beleza está não na pessoa apenas, mas, sobretudo, no olhar do outro. Há belezas estéticas que são quase unânimes, mas, isto também não torna a pessoa uma unanimidade quanto ao ser amada.

 

Assim, digo a você: respeite-se com amor; sabendo que você não tem culpa de não ser amada, assim como ele não tem culpa de não amar você, sendo a culpa dele o ficar ao seu lado sem amor e sem fidelidade.

 

Sim! Pois, antes de ser fiel a você, ele deve fidelidade a ele mesmo. E, em tal caso, isto implicaria em não ficar com você a menos que amasse você com amor que faz um homem e uma mulher tornarem-se um só no corpo, na alma e no espírito.

 

Desconheço os aspectos práticos de sua particular separação. Mas como você me consultou apenas quanto ao seu celibato anômalo, ao seu sentimento de falência de auto-estima, e também acerca da infelicidade dele, o que tenho a lhe dizer com todo amor, carinho e respeito é o que lhe disse acima.

 

 

 

Receba minhas orações por você neste instante, e meus pedidos a Deus de que lhe dê força e amor próprio, na mesma medida em que você não deseja escravizar-se à dor de ver que seu marido a “ama” sem amor.

 

 

 

Nele, que nos chama para seguirmos toda a verdade em amor,

 

 

 

Caio

 

31/05/08

Lago Norte

Brasília

DF