Português | English

Cartas

A ENCANTADORA DE SOGRAS!

A ENCANTADORA DE SOGRAS!

 

----- Original Message -----

From: A ENCANTADORA DE SOGRAS!

To: contato@caiofabio.com

Sent: Thursday, April 09, 2009 5:40 PM

Subject: Pesquisei antes e não tem esse tema/carta.

 

 

Querido Caio,

 

Minha prece é que Deus o guie até esse meu e-mail. Pesquisei antes de te enviar minha 'cartinha' e não encontrei nada que se assemelhe ao que tenho vivido. Queria compartilhar com vc um problema que tenho enfrentado.

ODEIO minha sogra....

É triste admitir isso, mas é a verdade.

Talvez ódio não seja o que sinto porque não desejo que ela morra..rs..por exemplo e nem que perca os dentes da frente- imagina como ficaria linda!!!

Tentarei resumir o máximo possível, mas existem detalhes que, penso, são importantes.

Eu e meu esposo nos casamos 'antes do tempo' por causa de uma gravidez 'inesperada'. Eu tinha então 15 e ele 19 anos. Mas certamente nos casaríamos visto que a paixão adolescente amadureceria e 'sobreviveria' aos vendavais naturais que a vida tem, como de fato sobreviveu pois temos quase 18 anos de casados.

E comparando nossa união com os demais vivemos muito bem. Até por causa de um 'detalhe' que sempre é um GRANDE empecilho pra que o amor sobreviva — eu procuro servir ao Senhor e ele não. Mas superamos essa diferença em amor e respeito.

Aconteceu o que vc tão lindamente escreveu em um dos seus textos 'Por esta razão nada há melhor do que a união de duas pessoas do mesmo bom espírito, especialmente se tiverem a ventura de se encontrar bem cedo na vida, e se manterem em união por toda a vida' - Uniões contaminadas.

Meu esposo veio de uma família destruída, minha sogra era 'crente' e o pai dela Pastor da Assembléia de Deus. Há mais de 40 anos atrás ela fugiu com o pai de meu esposo pois não era gosto do pai dela que se cassasse com um 'incrédulo/ímpio'.

Imagina, Caio, há 40 anos o escândalo que isso foi?

A mãe dela ficou tão abalada psicologicamente que foi internada numa clínica de repouso- um Pinel. E como era de se esperar- isso pros crentes daquele tempo e alguns de hoje não é mesmo?-' Deus' pesou a mão.

O marido começou a beber e espancá-la quase todos os dias e isso fora as inúmeras mulheres que ele tinha na rua. Colocava os filhos (tiveram 3) pra brigarem entre si, ensinava-os a beber e fumar...enfim um pedaço do inferno em casa. Todos o temiam.

Ela suportou isso por mais de 10 anos e depois de levar uma facada e quase morrer  e ver sua casa em chamas (num dos 'surtos' dele) decidiu 'colocar o rabinho entre as pernas' e voltar pra casa do pai.

Ela sempre muito 'fogosa'; logo se encantou por um caminhoneiro e largou os filhos com os parentes pra viver esse 'grande amor'. Não deu certo depois de uns quase 20 anos de convivência, pois, mais uma vez ela foi traída e novamente voltou pra casa do pai dela e como tinha mais idade voltou pra Igreja.

Ela já está agora no 3º casamento, esse sim 'abençoado, esperado no Senhor e orado', como ela gosta de dizer; mas sem esquecer do detalhe de que antes de se unirem ela perguntou ao então pretendente se ele 'dava conta do recado'; pois, ela sentia muuuuuiiiiita falta de sexo.

Meu esposo é o caçula e talvez tenha sido o que mais sofreu com essas atitudes da mãe. Ele sempre manteve contato com ela mesmo magoado, coisa que os outros dois não fizeram. Ele tem um amor tão profundo por ela (ou será pela mãe que ele fantasiou/fantasia?) que a perdoou- como deveria ter feito mesmo - e agora a 'canonisa'.

Conquistamos uma situação financeira razoável e isso nos permitiu comprarmos mais uma casa. Foi então que tudo começou a 'desandar'. Ele 'me pediu' pra que a trouxesse pra morar na outra casa (não fica tão perto da nossa, Graças a Deus!!!) e eu me colocando em seu lugar concordei, afinal quem não quer ter sua mãe por perto?

Só que antes que isso se concretizasse eu coloquei uns pingos nos 'i's com ele. Coisas que vinha guardando em meu coração pra não chateá-lo e que suportava devido ela não morar perto. Ele se mostrou surpreso com tudo o que disse e que ele sequer percebia.

Isso porque ela o 'manipula'.

Ela 'persegue' a nossa filha mais velha. Ela é uma menina muito dócil (e realmente 'Deus curou'...curou todas as tristezas com o nascimento dela). Ela está com quase 18 anos, ainda não namora, é estudiosa e dedicada ao Senhor. Mas minha digníssima sogra insiste que ela namora escondido; investiga o Orkut dela (imagina que dia desses pediu que um dos tios da minha filha abrisse a página dela porque tinha uma foto dela abraçada com um amigo para perguntar se ele sabia desse namoradinho). Sim, a persegue por causa do tamanho da saia, por que cortou uma franja no cabelo (pode?).

Numa das férias em que ela passou lá perto dela, a vó fez com que ele brigasse com ela, a nossa filha, só porque ela não quis ir pra Igreja. Eu fiz meu marido lembrar desse episódio e disse a ele que ela não tinha ido porque era ensaio do Conjunto da Igreja e que às vezes a gente quer 'férias da Igreja' tbm .

Então, com 'esforço' da parte... ele viu algumas situações que expus e disse que não se deixaria manipular mais.

O que me angustia é que eu sei que preciso amá-la; pois, ela é 'meu próximo'. Queria mesmo era poder não conviver com ela. Não gosto de nada do que ela fala...apegada demais que é em doutrinas. Fala tanto dos outros... sempre apontando erros e não lembra do seu histórico.

Caio, vc acredita que dia desses ela falou que a minha filha "com essa cara de santinha" não enganava...do nada ela fala esses tipos de bobagem.

Eu rebati sorrindo que ela não tinha puxado nem a mim- que engravidou com 15 anos e nem a ela que fugiu de casa aos 14.

Ela fala mau das outras noras e me disse que se dependesse dela que eu não teria casado com seu filho. Quando ela percebeu a 'gravidade' do que tinha dito falou que era naquele tempo, pois, éramos muito novos; mas que depois (depois de 1 ano de casada Jesus me chamou) que eu passei a ser 'crente' viu que Deus estava era abençoando o filho dela.

Pra piorar mais ainda ela é dissimulada.... Fala das 'necessidades' dela e com isso manipula meu esposo pra bancar certas coisas. Fala da necessidade de um armário novo, de uma máquina de lavar...e por aí vai. Ela fala que não consegue viver só com o salário do esposo e por isso não compra isso e aquilo. Daí meu santo esposo banca tudo sozinho muitas vezes porque os outros irmãos não se deixam manipular.

Não sou uma pessoa mesquinha, Caio, mas não acho justo ele ficar tirando dinheiro de casa (que poderia ser empregado em outras coisas) pra comprar coisas pra uma mãe que sempre foi ausente e que agora quer colher frutos que não plantou.

Acho que quem não perdoou o abandono fui eu.

Lembro-me das lágrimas de meu esposo contando todas essas histórias... e que quando pensou que seria feliz com a mãe ela... o troca por um macho qualquer e o abandona na casa de parentes.

Queria muito ser como Rute, que amava sua sogra... Eu 'invejo' Rute.

Queria 'seguir a paz com todos' (aparentemente a tenho com minha sogra, mas é só uma máscara com relação aos meus sentimentos verdadeiros para com ela).

Me sinto uma falsa.

Me angustia mais ainda porque meu esposo ama minha mãe e em alguns momentos a ajudou financeiramente — mas não tanto quanto a mãe dele; pois, a minha não fica se 'lamuriando'... (não encare essa afirmação como uma espécie de 'disputa' de minha parte, mas é que minha mãe se vira como pode).

É um peso pra mim quando meu esposo me chama pra ir até a casa de minha sogra (que é a nossa casa que ela tá morando)...

Acredita que ela reclama da casa?

E não é por nada não, mas é infinitamente melhor do que a que ela morava. Ela faz planos pra mudar a nossa casa!... Derrubar paredes, crescer cômodos...aff.

Quando minha filha percebe que a vó tá implicando eu amenizo as coisas; pois, eu faço parte da 'turma do deixa disso'. 

Nunca a coloquei contra a vó paterna só que ela 'sabe'/sente que não é amada como a vó materna a ama. E olha só...ela é a primeira neta de ambos os lados e primeira bisneta.

Minha aflição é mais por saber que Jesus conhece meu coração e vê que estou 'sempre armada' com relação a minha sogra.

Me ajude Caio; pode 'puxar minhas orelhas', pois, vc tem a sensibilidade de ver além do que vemos.

O admiro muito!!!!

Admiro o seu jeito de lidar com as situações.

Admiro o Filósofo Caio, o Homem de Deus  Caio, o ser humano Caio, que se desdobra pra ajudar aos que estão no Caminho.

Deus te abençõe grandemente!!!

Nele, que nos amou primeiro.

 


_______________________________ 

 

Resposta:

 

Querida amiga: Graça e Paz!

 

Sogra quando não é assim, é assada...

Brincadeira!... Rsrsrs!

Rute não tem nenhuma inveja de você. Também pudera, aquela sogra dela era melhor do que uma boa mãe.

Ora, a sogra faz sempre parte do pacote... Rsrsrs.

Graças a Deus há muitas sogras que não são “sogras”.

Sogra é como Igreja. Tem Igreja e tem “igreja”.

A sua, infelizmente, é uma “sogra”, e das “boas”; mas creia: há muito piores.

O que passou, passou... Com sogra tem que ser sempre assim...

Agora, já que é assim, então, sogra pra frente...

Você conhece um programa no Animal Planet, chamado “O Encantador de Cães” [O Encantador de Cães | Videolog], com César Millan?

Eu não tenho cães, mas aprendi a gostar do programa graças a um amigo, o Bento Souto.

E por que, ao falar da sogra, me lembro do programa “O Encantador de Cães”?

É que o César mostra que os cães raramente [quase nunca] são “o problema”, por mais problemáticos que se tornem os animais.

De fato, o problema sempre são os donos!

Como o Encantador de Cães diz: “O Cão é um bom aluno... O dono... o dono, não!”

Na realidade o que “O Encantador de Cães” faz é ensinar os donos a serem os donos, a não tratarem os cães como gente, e não se fazerem de cães para os cães. Ou seja: ele os ensina a serem humanos liderando cães.

Sempre há cura para o cão uma vez que o dono aceite ser curado!

É um milagre!...

Dono são, cão são!

Mas você pergunta: E a minha sogra?

Ora, quando seu marido era um menininho, ele era o cãozinho dela... Toda criança funciona mais ou menos como o cão. Amor e afeto quando está bem ou faz o que é bom. Amor que disciplina quando faz o que é mal ou errado. Quem faz assim obtém bons resultados. Quem não faz cria uma criança/cão. Mas se o amor afetuoso corresponder ao que é bom, e o amor disciplinador corresponder ao que seja ruim, funcionará com todas as crianças; e com cães, baleias, golfinhos, pássaros, etc.

Hoje seu marido não é mais o cãozinho dela, mas se comporta como um.

O problema não é a sua sogra, é o seu marido/cãozinho da mãe.

Hoje, entretanto, como ele paga as contas, tornou-se o "dono". Se, porém, seu marido não for educado como homem/maduro e que enxergue a mãe como ela é, amando-a como ela ainda é [nada é definitivo quando se está vivo], sua sogra será como um cão malvado para sempre.

O seu maior problema, agora, é o seu marido; isto no que diz respeito à sua sogra.

Portanto, creio que seu pior problema seja o seu marido; pois, sem que ele tome consciência sobre o que esteja acontecendo, você terá uma sogra bem “sogra” para exercitar amor, paciência e longanimidade... até o fim da vida dela, da sua; ou, ainda, Deus a livre, da separação entre você e seu marido — no caso de você radicalizar a coisa, o que não seria bom.

A questão, também, é simples de encarar; afinal, por que afligir-se com a sogra, fazendo dela um tema imenso, se ela não tem o poder de fazer qualquer coisa ao amor que existe entre você e o seu marido?

Por isto, digo: pare de implicar com ela também.

Você já encheu a “caixa” e está implicante, não na presença dela, mas por trás, com sua filha e com quem você possa... sem “se queimar” demais, é claro.

E mais:

Sua sogra também terá o poder que você e sua filha derem a ela.

Já não basta o poder que seu marido dá?

Você diz: Eu? Eu não dou nada!

Dá sim. Dá bola. Se importa. Fala... Resmunga pro outro lado... Faz caras e bocas... Repreende com o olhar, com o canto da boca, com o sorriso malicioso... Dá poder a ela sim. Quando fica com raiva. Quando fica p. da vida pelo fato dela entrar no Orkut de sua filha. Quando não admite que ela fale que sua filha está namorando. Dá poder a ela quando faz dessas coisas um grande cavalo de batalha...

Sim! Você entra na dela bonitinho, e dá o comando a ela toda vez que demonstra a ela que o que ela faz afeta você.

Quem odeia é escravo do odiado, ainda que o odiado esteja preso na masmorra particular da casa daquele que odeia!

Portanto, “O Encantador de Cães” tem que visitar você também. Pois, seu comportamento também alimenta a doença de sua sogra.

No fim quase sempre nós nos tornamos parte do problema que vemos nos outros!

Sim! Pois o outro pode estar muito errado, mas quando ele vive com a gente, de um modo ou de outro a gente pode ir alimentando intensamente “o outro como problema”, que, nós, nele e com ele, nos tornamos o problema.

O nome disso é também co-dependência.

Assim, convido você a se tornar uma Encantadora de Sogra, começando por você mesma.

Cure sua atitude e sua energia interior em relação à sua sogra, vendo-a não como a mãe negligente que hoje lhe é conveniente ver nela, e passe a ver a mulher que se deu mal na vida...; e que, em uma próxima geração, poderia ser a sua filha.

Sim! Quando bater aquela raiva... Lembre: Ela poderia ser sua filha, caso qualquer coisa desse errado na vida dela, daqui a uns 50 anos...

Se olhando para ela assim..., você ainda conseguir não ter aquela compaixão solidária que é normal em toda mãe, então, olhe bem fundo dentro de você, e pergunte: O que há de errado comigo? Você sempre saberá a resposta!

O fato é que você também compete com a sua sogra. Ela deve ser além de metida, muito cheia de chinfra, e você detesta ver como ela, ainda hoje, dá uma de mulher fatal; até com o filho.

Além de tudo ainda há a dissimulação sogresca, na qual seu marido cai como um patinho; e você nela se afoga em raiva como uma galinha em alto-mar.

Pare com isto. Ela é só uma velha que não admite o cansaço e continua existindo de ilusão em ilusão...

Tenha misericórdia dela!

Todavia, sem implicância, com amor, com sabedoria e bom senso; sem comparações de espécie alguma com sua mãe, por exemplo — converse com o seu marido. Não como quem tenta diminuir nada, mas como quem apenas deseja educar uma relação que anda adoecida.

Mas lembre: boa parte do que seja cura depende de você.

“Orai pelas vossas sogras, e abençoai as que vos perseguem” — diria Jesus a você seriamente gracioso.  

“Não resistam as sogras; antes, se elas pedirem a capa, dêem também as túnicas; e se obrigarem a dormir na casa delas uma noite, durmam logo duas” — digo eu, em uma intimidade com Jesus que me faz ouvi-Lo rir.

Não foi à toa que Jesus curou a sogra de Pedro. Dizem que foi por este episodio que surgiu tão grande amargura em Pedro, que, por tal dor na alma, por tão grande traição, ele veio a negar a Jesus três vezes tempos depois. Esta referencia está no anedotário de todos os seres normais. Rsrsrs.

Jesus, porém, quando sua mãe tentou virar Sua “sogra ministerial”, conforme Marcos 3 e 6, não demorou a tratar dela; em amor, mas com a pedagogia que a curaria para sempre, que foi basicamente faze-la ver que Ele era Ele, e não mais elezinho.

Assista “O Encantador de Cães” e você compreenderá melhor o que fazer de prático, começando com você.

Com todo amor, e dizendo a você que os mesmos sofrimentos se cumprem também em uma grande irmandade de noras e genros espalhados pelo mundo [rsrsrs], Nele, que me ama, e, portanto, ama a todas as sogras, pois, nenhuma delas é pior do que eu,

 

Caio

9 de abril de 2009

Lago Norte

Brasília

DF