Português | English

Cartas

 MEU MARIDO PASTOR E GAY NÃO QUER TERMINAR...

MEU MARIDO PASTOR E GAY NÃO QUER TERMINAR...



----- Original Message -----
From: JÁ TENHO OUTRO, MAS MEU MARIDO GAY NÃO QUER TERMINAR
To: contato@caiofabio.com
Sent: Thursday, September 08, 2005 12:17 AM
Subject: casamento com homossexual


Pastor, espero que você possa responder a esta carta. Vou ter coragem e me expor. Sou casada há 9 anos com um pastor, e estamos separados faz 3 anos. Ele caiu algumas vezes, o que nos levou à separação; e ate fui embora do Brasil para os EUA.

Lá conheci outra pessoa, que me ama muito, e eu a ele. Ele tem me esperado esse tempo todo. Retornei para o Brasil para acertar a minha situação - DIVORCIO.

Conheço a Palavra e o que o Senhor diz a respeito de casamento e divorcio. Só que o meu marido quer retomar o nosso casamento.

Mas como posso? Se sei que ele tem atração por homens?

Não existe confiança e não o amo como marido, mas sim como amigo.

Me sinto tão confusa, pois amo muito o Senhor, quero obedecer, e não errar.

Não estou buscando uma resposta, mas sim um conselho e até mesmo uma luz na Palavra.

Não tenho com quem falar sobre isso. Você sabe como é a igreja, infelizmente.

Agradeço a atenção.

Paz,




Resposta:

Minha querida amiga: Graça e Paz!


Se seu futuro é com o rapaz que tem esperado você na América, eu realmente não sei. Mas que seu lugar não é fazendo parte da farsa que seu marido deseja manter, isso eu sei que não é.

Tomara que o rapaz da América seja bom e legal, e que seja capaz de tratar você bem, e com todo amor e respeito.

Quanto a atender ao apelo desesperado de seu marido, entendo a sua pena. Ele depende da “igreja” para sobreviver, e com a separação formal, imagino os medos que ele deva nutrir em relação “ao que dizem”, e ao que podem decidir fazer com ele.

No entanto, sob tais cortinas de teatro religioso, a alma dele adoecerá e muito.

A chance dele, por mais que ele não entenda agora, é não se fazer mais mal, fingindo que gosta de mulher; e, além disso, é também a chance de fazer bem a você, e não mal, como agora, quando pede a você que faça um favor de natureza “expiatória para a imagem” dele como pastor.

Por amor a ele, e você também, não entre nessa. Ele não agüentará e acabará por cair nas mesmas coisas. Afinal, se ele for gay-gay mesmo, nenhum “Band-Aid” de obrigação conjugal será efetiva agora, como não foi eficaz antes.

Se ele é gay, saiba: ele é. E o melhor que ele poderá fazer a tratar-se como tal, e não tentar fazer você se tornar “mulher de faraó”, enterrando-se em vida com ele.

Casamento não é missão e nem tampouco é purgação!

Portanto, faça tudo para sair secretamente, deixando-o livre. Mas nem por um momento pense em ficar, a menos que você não prefira a chance de uma vida franca e sadia para você, casada com um homem, e não com um gay que é pastor e quer sua ajuda a fim de mascarar a si mesmo e ao ministério na “igreja”.

O Senhor não chamou você para ser atriz-esposa-no-palco-das-aparências-religiosas. Deus é o Deus da verdade, não da performance.

Gostaria que você lesse o meu site, pois vi que você me escreveu de minha página pessoal no Orkut.

Tudo o que lhe disse o fiz sem titubeio pois sei que não lhe digo nada que a verdade já não diga a você, em seu coração.

Quanto a ele, se deseja ajudá-lo, diga-lhe que me escreva, pois terei todo prazer em tentar ajudá-lo. Mas o seu casamento é que não pode ser o preço a ser pago a fim de ajudá-lo.

Receba meu abraço carinhoso e minhas orações!

Nele, que não nos chama para as representações que matam e amarguram a alma,


Caio


Agora leia uma carta de algum tempo atrás:


Carta:

-----Original Message-----
From: ACHO QUE ESTOU GOSTANDO DE UM HOMEM GAY
Sent: domingo, 24 de agosto de 2003 15:44
To: contato@caiofabio.com
Subject: O QUE VOCÊ ME DIZ?


Mensagem:

Boa tarde, Rev. Caio Fábio.

Antes de qualquer palavra, gostaria de lhe dizer que fiquei muito feliz ao visitar seu site e ter lido várias reflexões suas, tenho sido muito edificada.

Acredito, fazer parte daquelas pessoas que tem se cansado da igreja, mas nunca deixou ser igreja.

Sabe, tenho enfrentado um conflito dentro de mim, e já faz algum tempo que sinto a necessidade de compartilhar com alguém que possa me dizer algo verdadeiro sobre o assunto.

Acredito, sinceramente, que você é essa pessoa que pode me orientar.

Estou me envolvendo com um jovem evangélico. Ele tem muito conhecimento da Palavra, prega muito bem. Temos uma amizade muito gostosa.

Só que já tivemos alguns momentos de intimidade também.

De todos os rapazes com quem já me envolvi, ele é com quem mais me identifiquei.

É alguém com quem me sinto à vontade para ser eu mesma e compartilhar meus conflitos.

Existe tanta cumplicidade entre nós que passamos cerca de três horas conversando ao telefone sem percebermos o tempo passar... Mas existe um fator que tem me assustado muito: é que acredito que ele enfrenta uma crise de identidade sexual.

Talvez você esteja se perguntando: "Se são tão cúmplices por que ela não compartilha isso com ele?"

Ainda pretendo fazê-lo, no momento certo. Pois deve concordar comigo que esse é um assunto um tanto delicado, que se não souber tratá-lo, posso afastá-lo de vez.
Além do mais, ainda não tenho certeza, mas já estou me adiantando e te pedindo orientação, porque se eu constatar o fato, vou ter que mencioná-lo, mas tenho que estar preparada para isso, pois sou um pouco leiga nesse assunto e ainda tenho muitas dúvidas.

Uma delas é: Será possível ser feliz com alguém assim?

Será que Deus cura plenamente alguém que sente atração por uma pessoa do mesmo sexo?

Gostaria que me escrevesse me dizendo o que realmente pensa sobre esse assunto.

Como gosto muito dele, prefiro acreditar que sim. Mas ao mesmo tempo não quero construir castelos de areia, ou viver iludida.

Então, por favor, me escreva me dizendo aquilo que eu preciso saber.

Espero ansiosamente,



Resposta:


Minha querida amiga: Luz e Sabedoria!


Você acredita que um homem que goste de mulher poderá deixar de fazê-lo por alguma mudança nesta vida?

O que consigo ver é a pessoa—o homem—conseguindo se equilibrar, sublimando seus desejos, re-orientando suas energias e transformando-as em outras formas de expressão; ou até fazendo supressão definitiva de qualquer contato com mulheres, isso se não encontrar alguém a quem ame e com quem se case—mas não consigo vê-lo se assexuando na sua inclinação.

Se é assim com heterossexuais, é assim também como homossexuais!

Os únicos homossexuais que eu já vi serem “curados” são os que nunca foram.

Esses são aqueles que experimentaram o homossexualismo como “prática” por terem tido sua “iniciação” sexual desse modo.

Mas, de fato, não o eram. Tinham ficado apenas “viciados” naquele tipo de experiência.

A bi-sexualidade, para mim, é pior do que a homossexualidade.

Digo isto pelo mal que faz ao “bi” e pelo mal que causa aos “parceiros”, homens e mulheres.

Conheço uma quantidade enorme de “bi” dentro da igreja.

Casaram-se e tiveram filhos apenas para poderem ter a devida camuflagem para fazer o que gostam dento do armário.

De fato, quando uma pessoa nasce com a inclinação homossexual—digo a você: ela pode até se educar espiritualmente para não praticar—, carregará aquela semente na alma para sempre.

Eu não tenho dúvida de que em muito breve ficará definitivamente provado—já se caminha com muita rapidez para isso—que a homossexualidade inata tem como fator preponderante a genética.

Há pessoas homossexuais que nunca praticaram um único ato homossexual, mas nem por causa disso deixaram de ser.

São os eunucos por amor ao Reino de Deus.

Imagino que a tarefa de um ser humano homossexual e que tem que se casar a fim de manter a fachada seja horrível.

Se eu fosse você, em sendo fato a inclinação dele, não entraria nessa.

Não tem nada a ver preconceito. Mas apenas com saúde psicológica, sua e dele.

Muitas vezes o gay cristão casa com uma mulher legal, em quem a demanda sexual não seja pesada, e com quem tenha muita amizade.

Gays são ótimos amigos. Sei disso porque sempre tive amigos gays. Alguns, com o passar do tempo, pararam; viraram titias, mas não deixaram de ser quem são: homossexuais não praticantes!

Conheço gays cristãos que adoram, inclusive, aparecer com mulheres em eventos, festas, restaurantes e na igreja—mesmo que nem sempre esteja “rolando” nada entre eles—a fim de darem uma “circulada” do tipo: estou limpando a barra.

É uma pena que não haja liberdade para as pessoas dizerem quem são.

Creio, de todo o coração, que esse silencio sobre a questão só piora as coisas.

Quem é gay, e é cristão, ou fica neurótico, ou mergulha na promiscuidade camuflada—sempre parceiros diferentes para que ninguém flagre um “relacionamento”—, e, assim, só adoecem suas almas.

Quem não é, mas ficou viciado na prática—em geral na infância—, acaba ficando definitivamente viciado, e depois se entrega ao vício como vocação, porque não teve a chance de tratar a questão na luz; ou seja: de modo manifesto.

Tudo o que se manifesta é luz!

Portanto, se seu negócio é casar, não faça isto nem a você e nem a ele.

Vejo até alguns gays de casando com mulheres no “tempo da delicadeza”. Nesse caso, é um casamento de amizade, de companhia e para cuidarem um do outro na velhice—mas já não há sexo envolvido na questão.

Diante do pouco que você me disse, esse é o pouco que posso lhe falar.

Receba meu beijo.

Nele,


Caio
_____________________________________________

Espero que lhe tenha sido útil!

Mais uma vez,


Caio