Português | English

Cartas

 LIBERTA DO TIRANO, CAIU NA BONDADE ESCRAVIZANTE

LIBERTA DO TIRANO, CAIU NA BONDADE ESCRAVIZANTE



----- Original Message ----- From: LIBERTA DO TIRANO, CAIU NA BONDADE ESCRAVIZANTE To: contato@caiofabio.com.br Sent: Friday, October 28, 2005 7:29 PM Subject: Quero que Deus seja uma fada! Pr. Caio, é bom revê-lo!! Estou feliz e bem mais alegre. A vida voltou a sorrir pra mim!!! Sinto que um peso saiu de minha vida, porém me sinto só, muito só..... Lembra de minha história? Acho que sim. Parece até que sou aquela mulher que ficou abaixo da mesa esperando cair as migalhas, de tantas cartas que já mandei para o senhor... É que me sinto sua filha em Cristo. Afinal, foi através de suas mensagens que tive um encontro com Cristo e tomei as decisões mais importantes de minha vida: como acabar com um casamento fracassado e depressivo, que me aprisionou durante 14 anos numa vida miserável, deprimente e insignificante. Pastor, separei-me, como o senhor e outros me orientaram, e estou feliz, disposta, vendo a vida com outros olhos, e principalmente bem com Deus. Como o senhor me disse no final da carta: “Deus ainda tem muitas coisas reservadas pra você, a vida está apenas começando”. O problema é que reencontrei um velho amigo de 20 anos atrás, de quem tinha me afastado completamente, e por quem tinha uma afeição grande. Ele passou por semelhante situação: sua esposa o traiu várias vezes. Nos reencontramos, conversamos, saímos e chegamos a conclusão que a nossa história deveria ter acontecido. Descobrimos que por várias vezes tivemos a vontade de dizer que sentíamos algo um pelo outro e não tínhamos coragem. Até a vida nos separara. O problema é que após algumas semanas, ele voltou para a esposa. Ela alegou que não o traiu por querer, mas tinha dupla personalidade e estava possessa. Não lembrava de nada que tinha feito. Um pastor disse a ele que viu um demônio nela. Presume o que aconteceu? Ele tá se iludindo e voltou para ela, acreditando que tudo foi o diabo. Fiquei super triste. Parece que eu não tenho o direito de ser feliz. Ele era o melhor para mim. Uma relação saudável, respeitador, cabeça boa, vive na graça, tem idéias boas sobre a vida... é tudo que sempre quis. Quando parece que finalmente vou tê-lo, vem o DIABO. Então pastor, pensei na sua história com Adriana... Acho um conto de fadas. Como ela o amava e mesmo sem poder esperou, esperou, sofreu, esperou,...até tudo acontecer, e sem encontro marcado, o sonho acontece; mesmo já tendo vivido muitos anos... Queria que acontecesse isso comigo. Acho que essa carta é para Adriana.... Sei lá, o faro de uma mulher sabe o que é melhor pra outra. Na verdade queria ouvir de alguém que no final vai ficar tudo bem. Sei que Deus tem planos de paz pra mim, e sei que ele seria meu melhor. Estou pecando? É errado esperar por um conto de fadas? O senhor disse que acredita em pessoas que nunca se casaram e estão casadas, ligação de alma... Sinto-me ligada a ele, ele a mim, falamos todo dia no telefone, conversamos, ele me aconselha, tem uma química no ar, só não quer ficar comigo porque acha que ela o traiu por causa do diabo. Não acho justo. Essa carta é mais um desabafo de alguém que espera um milagre de Deus, como num conto de fadas... Cheiro pro senhor e Adriana, Sua filha... ( Sou aquela da carta do “Pastor marido: credor incompassivo) ______________________________________________ Minha querida amiga: Graça e Paz! O Diabo não agüenta mais o diabo do diabo. Está quase se convertendo, de tão zangado que anda com a imputação de toda responsabilidade humana sobre ele. Sim, o “Diabo cristão” é a permissão para tudo, para todos os tesões, todas as loucuras, todas as taras, todas as paranóias e neuroses, todas dês-culpas humanas, e toda evasão da realidade; e, conseqüentemente, de toda verdade, que é a única força que liberta mesmo. O diabo que é o Diabo de fato, prefere as pessoas assim: colocando a culpa no Diabo, que é para não se verem, e, assim, não se converterem pela Verdade. Ele, coitado, se agarra ao diabo para não ter que ver que a mulher dele está noutra, só não tem coragem de assumir, ou não acha “conveniente” acabar com o casamento. Só Deus sabe as razões dela. No entanto, mesmo crendo que ele possa estar sob a “tirania da bondade do perdão feito conjugalidade”, sem amor e tesão, creio que ele ainda precisa viver esse processo, pois, creia, se para ele já estivesse esgotado, ele não entraria mais nessa nem sem a presença do Diabo. Pois, saberia que a mulher dele é o próprio diabo, caso não assuma a verdade em seu coração. Então, deixe o cara viver e esgotar o processo até o fim. As piores coisas são as inacabadas. Afinal, as coisas só acabam mesmo, emocionalmente, depois do fim de tudo, tudo mesmo. Com relação ao que aconteceu entre a Adriana e eu, não foi bem assim. Ela me acompanhava há mais de 20 anos, me ouvindo, e dizendo para todos que ali estava o Evangelho da Graça, sendo ensinado e pregado. Ela me amava como irmão e homem de Deus, embora, simbolicamente, eu estivesse presente dentro dela por anos, razão pela qual teve sonhos comigo algumas vezes, e sempre numa situação de absoluta intimidade de carinho e confiança. Mas não havia um sonho de encontro, muito menos de que fosse possível qualquer coisa assim. Um dia, todavia, em maio de 2000, no dia do aniversário dela, ela pediu a Deus um marido que enchesse por completo como mulher. E, enquanto isto, desde uns meses antes, eu sonhava com ela, sem conhece-la, e ela me aparecia como uma mulher-anjo, que chegava a mim, me tomava pela mão, e me conduzia a um quarto onde havia uma enorme cama, e me dizia: “Eu vim pra te dar descanso”. Tive esse sonhos umas três vezes antes de conhece-la, no dia 6 de junho de 2000, e, quase que instantemente, tive a certeza de que estava diante de alguém que eu conhecia a vida inteira, e que ficaria ao meu lado para sempre. Mas isto não é padrão para ninguém. Talvez conosco tenha sido assim apenas porque eu e ela somos desse jeito. Numa hora desse tipo, há duas orações a fazer: 1. Ore deixando tudo nas mãos do Pai. Mesmo. 2. Ore, com a submissão do “faça-se a Tua vontade”, porém, sem medo, trazendo diante Dele, mediante suplicas e orações, com petições e intercessões, tudo isto com ações de graças, todos os seus desejos e anseios. Quem está aberto para a Soberania de Deus, e faz tudo com fé no amor de Deus por nós, e com gratidão aceita os resultados sem ressentimento, pode, com fé, pedir o que desejar a Deus; e até de modo bem claro e especifico. No entanto, mais importante ainda é manter o coração aberto, que é para não haver a possibilidade de que passe um “sacramento masculino” bem diante de você, e você não veja, por estar condicionada a crer e pensar que Deus só pode responder sob as suas condições. Melhor ainda do que isto, é ficar tão liberto da necessidade de ter alguém, que alguém chegue de súbito, e nos surpreenda com as novidades do amor. Infelizmente a Adriana não está em casa, pois, do contrário, eu pediria a ela para responder. Mas sei que ela, possivelmente, não lhe diria objetivamente nada diferente, exceto no que tange à sensibilidade de melhor discernir a sua alma, como mulher. Receba meu carinho e minhas orações! Sempre certo de que o melhor ainda está por vir, Nele, desejo o melhor para a sua vida, Caio Ps. Adriana chegou da rua e pediu para eu lhe dizer o seguinte: “Era a mulher, o Diabo e muitos homens. Por isto cara saiu. Depois volta a mulher “sem o diabo”, e ele volta pra ela, não importando os homens. Conclusão: Se o cara ficou com a mulher só porque ela disse que estava livre do diabo; então é porque o problema do cara ainda não é a mulher, mas o diabo. Conclusão: sem o Diabo ele quer a mulher. E mais: Você é a opção de ser uma mulher sem Diabo, perfeita para ficar na reserva, que é para ele ver se a outra tem diabo ou não ainda, pois, se não tiver, sem diabo ele fica com a outra. E diz: “Você não precisa disso!” Ela diz: Ele não está enganado. Ele precisa que seja o diabo. Você precisa de alguém que queira você sem “mas”... Ela ora por você pra que ele chegue.