Português | English

Histórias

SEU CAIO EU VI A GLÓRIA: Hilton, o anjomeiro.

SEU CAIO EU VI A GLÓRIA: Hilton, o anjomeiro.

 

 

 

 

 

SEU CAIO EU VI A GLÓRIA: Hilton, o anjomeiro.

 

 

Tudo é Graça; é favor imerecido; é favor misterioso; e não depende de homens e nem de suas devoções, mas de ser Deus propício, conforme Sua sabedoria, e apesar de nossa fraqueza e ignorância.

 

A Graça que é melhor do que a vida porque é maior do que ela — curou meu pai; pois, pela fé, é assim que creio.

 

Ninguém que o veja hoje, depois de desenganado ontem à noite, pode imaginar que ele era aquele moribundo.

 

Eu vi a glória! Eu vi a glória, seu Caio!” — disse-me o anjomeiro Hilton, hoje, às 7 da manhã, quando deixava seu turno.  

 

O Dr. Marcel, que tem sido um medicanjo, me disse hoje: “A conversa na UTI, entre os intensivistas, é que toda vez que ele piora ele volta bem melhor.”.

 

A pouco um dos “muitos filhos do coração” que papai tem, e que ficam por vezes em pé na porta do Hospital apenas em silencio, orando por ele, disse-me o seguinte:

 

Mano. Eu tive um sonho bom com o nosso paizinho. Ele estava vinte anos mais jovem e forte. Veio e sentou no meu colo. Sorriu e me disse: ‘Voltei, meu filho! Mas saiba: a vida é muito difícil, mas é assim mesmo!’”

 

Ora, esse filho liga muitas vezes por dia sempre em pânico. Mas hoje já ligou como se o sonho fosse à realidade que eu e os enfermeiros presenciáramos durante a noite [a madrugada toda]; e disse: “Não era sonho não. Era assim como a realidade!”.

 

Então eu disse a ele tudo o que havia acontecido durante essa madrugada de Graça e Poder de Deus.

 

Estou indo para o Hospital, mas meu coração já não visita um pai doente, mas curado; embora ainda com a barriga aberta.

 

Todas as taxas dele estão normais. Até o sangue está novo. Ninguém sabe como foi. E nem precisa. Só se precisa saber Quem o fez.

 

Aleluia ao Santo!

 

 

Nele, que levou sobre Si nossas dores e enfermidades,

 

 

Caio

 

24/08/07

Manaus

AM

15:42 de Brasília