Português | English

Reflexões

SEM “TENSÃO” É IMPOSSÍVEL AGRADAR A DEUS!

SEM “TENSÃO” É IMPOSSÍVEL AGRADAR A DEUS!

 

 

 

   

SEM “TENSÃO” É IMPOSSÍVEL AGRADAR A DEUS!

 

 

 

A tensão insuportável que experimentam os crentes é aquela que deriva da seguinte questão:

 

Existe segurança eterna ou tudo é conforme se esteja na hora do chamado do juízo de Deus para o homem?

 

Ora, a leitura bíblica nos põe diante do fato que existe segurança ao mesmo tempo em que não existe.

 

Essa tensão é insuportável para quem vive de sistemas de doutrinas e de supostas compreensões humanas acerca da realidade criada por Deus como existência por nós percebida, e, por isto, objeto de estudo e de alegadas compreensões e dogmas.

 

A Bíblia, porém, “não está nem aí” para tal tensão, e a repete sem pudores.

 

Assim, o homem está seguro e, ao mesmo tempo, é perturbado por um constante “se”.

 

Ora, o homem está ou não seguro?

 

Creio que depende de duas coisas [rsrsrs]:

 

1.         Depende de o homem andar com Deus conforme Deus, então, estará seguro eternamente.

 

2.         Depende de o homem andar na paz e no amor, no caso de suas decisões, ou de estar fora de conflitos ou acidentes, no caso daquilo que lhe imprevisível, do contrário, no tempo e no espaço, sofrerá as conseqüências, ainda que na eternidade esteja seguro, se permanecer no que sabe que é permanente.

 

Ou seja:

 

No tempo e no espaço só existe segurança eterna [paradoxo], mas não segurança temporal de qualquer que seja a natureza.

 

Afinal, segurança é algo imutável, e, portanto, de natureza eterna. Por tal razão, no tempo e no espaço somente existe segurança eterna, posto que tudo aquilo que não é eterno, é inseguro por sua própria natureza.

 

Por isto a Escritura sustenta essa necessária tensão entre Desígnio Divino e liberdade humana, pois, não há como ser diferente no tempo e no espaço.

 

ASSIM...

 

... ainda que tendo eterna segurança, para a minha própria segurança, sofro as inseguranças do tempo e do espaço, a fim de ter as seguranças que somente pertencem à eternidade, as quais somente decorrem da fé, e, a fé, somente nasce da total incerteza.

 

Afinal, sem tal tensão não se estabelece a síntese de minha transformação.

 

Por esta razão é que Pedro estava seguro em Jesus, posto que Jesus tivesse dito que por ele rogara, para que a sua fé não desfalecesse, embora, na história, Pedro tenha vivido todas as conseqüências da fraqueza e da insegurança que resulta da liberdade até para, pelo pânico, negar a Deus na vida, ainda que se ande eternamente apaixonado por Deus, como era o caso de Pedro; e ainda que, como ele, se saiba que o amor de Deus por nós não tem limites.

 

Ora, esta é minha grande segurança:

 

Que a segurança de Deus se estabelece na insegurança humana.

 

Por isto, também, sem fé é impossível agradar a Deus.

 

Ora, a fé existe sem angustia em tal tensão, posto que não se fundamente em lógicas, mas tão somente na confiança do eterno valor da revelação, a qual nos diz que estamos seguros, mas que andemos vigilantemente, pois, aquele que está em pé, veja que não caia.

 

Simples assim!

 

O mais é apenas para homem em estado de candidatura a tornar-se “Deus”.

 

 

 

Nele,

 

 

Caio

 

23 de outubro de 2008

Lago Norte

Brasília

DF