Português | English

Reflexões

OS TRÊS QUE TESTEMUNHAM na terra e no céu!

OS TRÊS QUE TESTEMUNHAM na terra e no céu!

 

 

 

 

“... e o Espírito de Deus pairava sobre as águas...”. Gênesis 1

 

A Palavra vibra as águas de onde veio [viria] a vida na terra.

 

 

“... um [dos soldados] lhe abriu o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água”. João 19

 

João viu para além de sangue e água um sentido e uma ordem de significados, por isto mencionou seu assombro; e, mais adiante, o expressaria de modo ainda mais claramente enigmático, como veremos.

 

                                   ...

 

 

O Gênesis começa nos mostrando o Espírito vibrando e energizando as águas criadas...

 

Sim! Água como não se sabe mais que água é. Água que é vibrada até se tornar a água mais água possível. Água pura, cheia da energia do Espírito da Vida. Água limpa de tudo o que não favorecesse a vida. Água primal e que carrega o testemunho da vida na criação.

 

A água não só é mídia de vida, mas é mídia do testemunho da Vida — desde a vida mais primal à vida mais eternal; afinal, as águas do Gênesis e as águas da Cruz dão testemunho da vida na terra e também da vida que vem dos céus, respectivamente.

 

Este é aquele que veio ao mundo por meio de água e sangue, Jesus Cristo; não somente com água, mas com a água e com o sangue. E o Espírito é o que dá testemunho, porque o Espírito é a verdade. Pois há três que dão testemunho no céu: o Pai, a Palavra, e o Espírito Santo; e estes três são ‘um’. E os três que testificam na terra: o Espírito, a água e o sangue, e os três são ‘unânimes’ num só propósito. [...] Aquele que crê no Filho de Deus tem em si o testemunho. [...] E o testemunho é este, que nos deu a vida eterna; e esta vida está no seu Filho.” I epistola de João, o apóstolo.

 

 

Jesus encarnou-se por meio de água e sangue; e deixou o corpo mortal por meio do testemunho de sangue e água.

 

Ele veio pela água e pelo sangue (elementos essenciais da vida na criação), e foi-se pelo sangue e pela água; mostrando uma inversão na ordem: para vir é mediante água e sangue, pois está é a ordem das coisas criadas; e para deixar o mundo Ele o faz mediante sangue e água; pois, assim como na criação a ordem da existência vai da água ao sangue, na nova criação a ordem vai do sangue para a água; posto que na nova criação é o significado da redenção o poder que introduz homens e mulheres à Vida.

 

Água e sangue são as mídias da vida na terra.

 

A água é o elemento constitutivo essencial da vida, e o sangue é a mídia que leva a vida através do ente existente e animado pela vida elementar que procede da água.

 

Mas é o Espírito que dá a ambos o seu sentido e significado.

 

Ora, o testemunho que deles vem é unânime, posto que a água, o sangue e o Espírito não são um, mas apenas unânimes. Ou seja: os três apontam a mesma direção: O Filho-Palavra de Deus no mundo, que é a Vida.

 

Por isto João diz: “Os testemunhos na terra são o Espírito Santo, a água e o sangue.”.

 

A água é o elemento do batismo da vida desde antes de se computar tempo, quando o Espírito vibrava as águas primais. Toda a vida biológica veio da água e foi batizada em água na terra, de tal modo que sem água não há vida. Daí o Apocalipse enfatizar tanto a relação entre o juízo de Deus e a morte das águas na Terra.

 

O sangue é o que sucede a água na seqüência da vida; pois, assim como a água é a vida para a bio-vida que é e que será, assim o sangue é a vida que é e a que sendo se manterá como essência da alma vivente.

 

A água dá testemunho da criação da vida, e o sangue dá testemunho da redenção da vida.

 

O sangue é a água da redenção.

 

Assim, criação e redenção não se separam; pois a água é a base do sangue e o sangue é a água significada como vida em seu estagio mais elevado na terra.

 

... quem não nascer da água e do Espírito não pode ver [entrar] no reino de Deus...”.

 

Quando se trata do novo nascimento os testemunhos que são evocados são água e Espírito. Água que remete para um útero anterior ao de qualquer mãe — o útero do sentido e do desejo do Deus criador. E o Espírito que é o que gesta e impregna a água de vida (como no Princípio), e, assim, carregando o sentido da nova vida que emerge da água energizada pelo Espírito da vida; pois para Jesus o novo nascimento é equivalente à criação do novo mundo interior.

 

Assim, nascer da água e do Espírito é nascer do sentido anterior a qualquer outro sentido e significado; pois é nascer nos ambientes do novo universo criado pelo testemunho da verdade em nossos corações; “porque o Espírito é a Verdade”.  

 

Água é testemunho físico. O Espírito é testemunho trans-físico.

 

Assim, no novo nascimento, o fenômeno é feito [na terra] do testemunho da vida mais primordial (sentido original da criação) e do testemunho do poder (Espírito) que emula a vida na direção da Vida na verdade, “porque o Espírito é a Verdade”.

 

Os que testemunham no céu são o Pai, a Palavra e o Espírito Santo.

 

O Pai que cria. O Filho é aquele por quem e para quem tudo é criado; e é o Espírito quem media Deus na criação.

 

Assim, na terra o Pai é testemunhado pela água, o Filho pelo sangue, e o Espírito é testemunhado pela Palavra.

 

O Pai, a Palavra e o Espírito são um. Mas a água, o sangue e o Espírito são apenas unânimes; pois, água e sangue são elementos criados, mas o Espírito é Deus em verdade.

 

Ora, o que isto significa para nós?

 

Significa que em Cristo (no Evangelho) se está lidando com a busca mais essencial de significados; sendo por esta razão que o novo nascimento tem que ser uma sintonia do ser com o sentido mais essencial do existir; ou seja: do significado da vida.

 

Ora, é por esta razão que “carne e sangue” (como elementos físicos destituídos do significado original do sentido da existência conforme Deus) não herdam o reino eterno; pois, de fato, a vida eterna acontece como rendição do ser ao sentido original da vocação humana em Deus; e, sem tal entrega (que faz até mesmo o útero da mãe perder qualquer que seja o significado mais elevado) não há vida que possa entrar na dimensão do reino, o qual só se abre para quem se oferece a Deus como quem vive da água primal ou como quem vive pelo sangue da Vida antes de ambos os elementos se tornarem apenas água e apenas sangue; ou, no caso de “religiosos”, antes que a água fosse apenas batismo e o sangue fosse apenas doutrina e poder mágico.   

 

O que se diz, todavia, é o seguinte:

 

O Evangelho da Graça tem na Terra o testemunho da água como elemento do principio, do sangue como elemento da manutenção da vida, e do Espírito como mantenedor de ambos (água e sangue) em seus sentidos originais; ambos aplicados pelo Espírito como vida essencial e como vida redimida.

 

Além disso, também se está dizendo que assim como sem água e sangue não há vida na terra, também sem água e sangue como testemunhos de Deus imantados pelo poder do Espírito não há Vida para ninguém na terra; pois, assim como sem água não teria havido bio, e sem sangue não teria havido alma vivente, assim também sem água e sangue de qualidade espiritual não pode haver a nova criatura, a qual emerge como nova do mar agitado pelo Espírito, e se mantém como vida mediante o sangue Daquele que é mais que alma vivente, posto que é espírito vivificante.

 

Ora, o que João, autor dos textos acima (exceto o de Gênesis) está dizendo, é isto:

 

O testemunho de Deus é inegável tanto na terra como no céu; pois, na terra ele é mantido por tudo aquilo sem o que não há vida; e no céu ele é mantido por Aquele (Pai, Palavra e Espírito) sem cuja realidade não há nada a ser percebido; posto que sem os três-Um não há Vida e muito menos vida decorrente...

 

Desse modo, eu que vivo cercado de água, deveria ver o testemunho da nova criação a toda hora; e ao ver-sentir o sangue, deveria me deixar tomar da certeza de que é pelo Sangue vivificante que hoje vivo; e, mesmo sem ver o Espírito, ao ouvir ou discernir a Palavra, deveria sempre me ver como aquele que-sempre-acaba de receber o sopro da vida, não como o Adão alma vivente, mas como filho Daquele que sopra o espírito (vento) vivificante em mim.

 

Se há água na terra Deus tem testemunho. Se há sangue de vida na terra Deus tem testemunho. E enquanto o Espírito fizer a Palavra vibrar sobre a terra Deus tem testemunho. 

 

Assim... — a água do batismo ganha significados supra-doutrinários; assim como o sangue também ganha seu propósito eterno.

 

Quem não nascer da água e do Espírito não pode ver... ou entrar no reino de Deus”.

        

Sim! Porque assim como a água está para a criação e o sangue para a manutenção redentora e salvadora da vida no mundo, assim também o significado de ambos se projeta espiritualmente para afirmar a nova criação, o novo nascimento e o novo mundo que nos aguardam no reino do amor do Filho.

 

 

Pense nisso!

 

 

08/07/07

Manaus

AM