Português | English

Reflexões

SINAIS DO CÉU E SINAIS NOS CÉUS!

SINAIS DO CÉU E SINAIS NOS CÉUS!

 

 

 

SINAIS DO CÉU E SINAIS NOS CÉUS!

 

Leia como se fosse sua primeira vez:

 

E haverá em vários lugares grandes terremotos, e fomes e pestilências; haverá também coisas espantosas, e grandes sinais do céu. Lucas 21:11

E haverá sinais no sol e na lua e nas estrelas; e na terra angústia das nações, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas. Lucas 21:25

E farei aparecer prodígios em cima, no céu; E sinais em baixo na terra: sangue, fogo e vapor de fumo. Atos dos Apóstolos 2:19

 

 

O condicionamento mental determina o que vemos ou não vemos. Ora, esses condicionamentos não nos impedem de enxergar os fenômenos, os fatos, as realidades. O que os condicionamentos fazem é nos fazer enxergar com os olhos sem registrar com importância e significado aquilo que se vê.

 

É assim com tudo!

 

Uma mulher fora de hora ou de condições de envolvimento, poderá conviver com um homem por anos sem que jamais se vejam como potencialmente candidatos ao amor. No entanto, se um deles ou ambos se abrirem, então, do nada, surge um deus grego e uma divindade egípcia: e ambos os seres apaixonados e, portanto, divinizados, se vêem pela primeira vez, ainda que tenham convivido por toda uma existência.

 

E por quê?

 

Porque o “véu do impedimento” foi retirado!

 

É assim também com a leitura dos evangelhos ou da Palavra. A pessoa que é condicionada pelas doutrinas da religião lerá apenas aquilo que lhe disseram que devera encontrar ali. Mas não estará lendo a Palavra, posto que estará lendo apenas aquilo que já lhe está sistematizado na mente pelos feitores do não-pensar.

 

Ora, o que me leva a escrever isto tem a ver com os versos transcritos no cabeçalho deste texto.

 

Sim! Pois me impressiona ver que os tais sinais dos céus acerca dos quais Jesus falou não são admitidos pela percepção humana em geral; e, de um modo especifico, estão ausentes na percepção dos cristão também, embora as manifestações de tais sinais estejam se tornando muito mais fortes do que a maioria dos fatos que nós admitimos como verdadeiros no dia a dia.

 

Sim! Nós cremos em muitas coisas que a maioria das pessoas parecem estar bloqueadas para tal admissão, embora, tais coisas, para nós parecem estar fora de questão.

 

Algumas pessoas dizem terem visto o diabo em pessoa. Nós cremos quando a pessoa é séria e lúcida. E cremos mesmo sem que tenhamos visto juntamente com a pessoa. Afinal, cremos porque Jesus disse que o diabo existe.

 

A maioria de nós também crê na existência de anjos e demônios. No entanto, a maioria esmagadora nunca viu nada; e, os que viram, em geral, viram ou sentiram apenas aquilo que alguém demonstra mediante sinais que procedem do interior da pessoa, e que os circunstantes percebem como coisa estranha e demoníaca. Nada, todavia, além disto, com raras exceções.

 

Entretanto, cremos em tais coisas porque as Escrituras afirmam a existência delas e porque nós mesmos aqui e ali temos experiências de natureza semelhante, ainda que, geralmente, de modo subjetivo.

 

Ora, se é assim, pergunto:

 

O que fazer dos “sinais dos céus” que Jesus disse que haveria antes de Sua volta ao mundo?

 

De fato Jesus fala de sinais dos céus e de sinais nos céus. Quando fala de sinais dos céus Ele deixa tudo aberto. Não há especificações, mas apenas a advertência acerca de que os céus estariam mostrando coisas estranhas. Porém, quando fala de sinais nos céus, Ele os relaciona às grandes catástrofes de natureza estelar — sejam alterações no sol, na lua, nas estrelas [que são todos os corpos celestes, de meteoritos a meteoros, a grandes massas vagando pelo espaço], sejam apenas “coisas espantosas”.  

 

Os sinais na terra parecem que começam a ser notados de modo global. Sim! Tais sinais estão se tornando fatos irretorquíveis.

 

Os sinais do e no céu [s], no entanto, não são muito levados a sério.

 

E por quê?

 

Ora, eu creio que tem a ver com duas coisas pelo menos:

 

1.      Todos os sinais dos céus foram apropriados pela ufologia, e, assim, os cristãos, por uma questão de condicionamento doutrinário, dão de ombros às evidencias esmagadoras de que existem sinais inexplicáveis e avistados hoje por milhões de pessoas sérias, bem como por equipamentos tecnológicos de confiabilidade inquestionável, e que nos mostram dia a dia a fartura de coisas que estão para além de toda explicação humana.

 

2.      A decisão Política Mundial de não tratar do tema parece deixar a questão para os loucos e esotéricos apenas, abrindo um flanco importante no que deveria ser direito de primogenitura dos cristãos sobre o entendimento de tais coisas.

 

Jesus não mandou seguir, buscar, acampar e mudar para lugares de avistamento de sinais do céu!

 

Não! Jamais faria assim. Ao contrário disso, Ele mandou que não andássemos a procura de nada, pois, na hora certa, o que nos interessa de Fato-Final, aparecerá com Grande Glória e todo olho o verá.

 

No entanto, se Ele mandou que não seguíssemos nada que não a vivencia do Evangelho onde Ele, Jesus, nos plantar, ao mesmo tempo Ele manda que mantenhamos os olhos abertos vendo todos os sinais, inclusive os sinais do céu.

 

Ora, eu não posso negar o inusitado, insólito e o inexplicável do céu, pois, eu mesmo, na companhia de meu pai e treze amigos [ainda jovenzinho], vi uma esfera prateada por alguns minutos na estrada para Itaperuna, na década de 60, a qual desapareceu diante de nós em velocidade inimaginável. Além disso, anos mais tarde, na companhia de milhares de colegas, na Escola Técnica Federal do Amazonas [com o testemunho de toda cidade], vi outra vez um objeto de tamanho imenso e que andou sobre toda a cidade por alguns minutos no ano de 1974 [os jornais daquela época têm essa história], e sobre cuja história fiz narrativa em meu livro “Confissões de Um Pastor”.

 

O que me impressiona é que muita gente já viu, mas quase todos ficam calados. Medo! Medo de serem tidos como esotéricos; ou loucos desvairados; ou mesmo como gente “crédula”. Mas, à boca pequena, muita gente diz que viu.

 

Minha irmã Suely já foi seguida por algo do gênero por 150 kilometros na estrada Manaus - Itacoatiara. Ela estava acompanhada de mais quatro pessoas, e viu aquilo por mais de duas horas, cruzando sobre seu carro e de um lado para o outro da estrada, e capaz de manobras impossíveis aos aparatos humanos.

 

O Profeta Ezequiel descreve algo que se não estivesse na Bíblia seria totalmente repudiado pelos crentes de hoje!

 

Para Ezequiel, no entanto, aquelas foram experiências com entes celestiais, com anjos do Senhor e criaturas do espírito. Essa foi a procedência do que lhe apareceu.

 

Entretanto, nada impede que se tais fenômenos possam se manifestar de modo positivo, [como foi com Ezequiel], que eles, sendo se outra natureza espiritual, possam também manifestar-se modo ruim e perverso, conforme algumas histórias narram.

 

Discípulos de Jesus não têm que andar atrás dessas coisas. No entanto, não podem fazer de conta que tais coisas não estejam acontecendo, e num volume de evidencia muito mais significativa do que se tem como demonstração em relação a muitas das coisas que dizemos crer na Bíblia.

 

Ora, é porque está na Bíblia que devemos manter os olhos abertos. E mais que isto: tais coisas não estão apenas na Bíblia, mas sim estão na parte da Bíblia cuja manifestação de Palavra está em total vigência, pois não se trata daquilo que estando na Bíblia como Livro, já não está na vigência como Testamento de Jesus para o homem.

 

Pense nisso e mantenha-se alerta e cheio de discernimento!

 

Paulo disse que nada pode nos separar do amor de Cristo; nem mesmo qualquer outra forma de criatura ou de criação.

 

 

 

Nele, que nos mandou olhar os sinais da terra e também os do céu e nos céus,

 

 

 

Caio

 

15/05/08

Lago Norte

Brasília

DF