Português | English

Reflexões

RELIGIOSOS AFLITOS: não percam seu tempo tentando me salvar para a morte…

RELIGIOSOS AFLITOS: não percam seu tempo tentando me salvar para a morte…

 

RELIGIOSOS AFLITOS: não percam seu tempo tentando me salvar para a morte…

 

 

Quando a Religião percebe que o povo está tomando uma direção em relação à proposta de um “dissidente” [como era o caso de Jesus no contexto dos evangelhos], uma vez que, pelo enfrentamento, ela, a Religião, veja que não terá bons resultados [ou seja: calar o dissidente...]; o passo seguinte é tentar usar o dissidente; e, nesse caso, a estratégia é sempre a mesma: a Religião [pelos seus representantes...], ao invés de ponderar o que o “dissidente” diz e o povo ouve, prefere buscar cooptar o “dissidente”...; e, como procedimento padrão, o que fazem é “elogiar” o “dissidente”...

Sim, elogiam algum ou alguns aspectos do que ele faça e ensine...; mas afirmam isto como quem..., pela “adesão seletiva”..., busca calar o dissidente, mostrando a ele “boa vontade”, embora seja apenas uma estratégia...; a qual funciona na seguinte perspectiva psicológica:

“Não dá pra bater mais, como sempre, de frente...; pois já há muito povo com ele [e a Religião somente passa a se preocupar com o que mobilize povo...]; então, falemos bem do que possamos falar bem dele, pois, assim, pode ser que ele se amanse em relação ao que diz, e, assim, devagar vá se deixando domesticar pelos nossos modos!”

Foi assim com Jesus; e é assim com quem quer que anuncie o Evangelho sem comprometer-se com a sua perversão religiosa...; ou, ainda, sem estabelecer qualquer dependência da opinião da religião acerca de qualquer coisa!...

Sim, quando vêem que de você não procederá barganha e nem acomodação para com “eles”... — então o passo seguinte é dizer:

“Puxa! Que pena! Você é bom... Diz coisas boas... Ajuda o povo... Mas poderia ajudar mais com a nossa ajuda... Sim, com o nosso conselho... Com a nossa escolha de palavras, de exemplos, de modos e formas... Sim, por que fazer difícil, se, com umas pequenas acomodações, você seria o Grande entre nós?... Sim, esse lugar é seu... Mas você tem que ser mais calmo, menos radical, menos assertivo, menos certo e menos convicto!...”

Ora, no que diz respeito a mim, no passado, antes de 98, o que eu dizia era quase uma “Escritura” para muita gente... Depois de 98 as mesmas coisas passaram a ser mensagem do diabo... Então veio o site... E, com ele, nos primeiros anos, toda sorte de agressividade da Religião...

Chamavam-me de Belzebu, de anticristo, de espião católico, de agente da Nova Era, de herege, de tudo...

Entretanto, hoje, quando há milhares e milhões dando ouvidos, lendo o site e os livros; vendo a Vem e VÊ TV; enviando tais textos e mensagens para outros milhares e milhões de amigos..., etc... — o que vejo diante da incontestabilidade de tais fatos mensuráveis e reais..., é que já não me agridem, mas apenas dizem que sou um homem de Deus, que poderia ser mais útil se não dissesse certas coisas, se não denunciasse a religião como engano e estelionato, se usasse outras palavras, se não aludisse a algumas realidades espirituais usando termos “chulos”..., etc...  

Sim, são tão cegos e surdos de espírito, que não vêem que apenas digo as mesmas coisas que dizia no tempo em que eles mesmos me chamavam de “o Paulo de hoje”... Rsrsrs!

E mais: não vêem que se antes eu não me continha [sim, quando todos pareciam me acolher no matter what...], agora, livre de qualquer compromisso com a religião, menos preocupação ainda eu tenho...

O que recebo de mais patético hoje em dia são cartas de antigos opositores, só que agora dizendo:...

“Meu irmão, você é um homem de Deus!... Se una a nós... Podemos ‘bombar’ se você estiver com a gente... Não perca seu tempo aí... Aqui basta uma palavra nossa e ‘você assume o seu lugar’...”

Não me entenderam até hoje...

Eles pensam que se eu quisesse voltar para esse circo eu precisaria sequer do apoio deles!... Rsrsrs.

Não entenderam que se eu quisesse..., seria com eles, sem eles ou apesar deles; posto que o que eles lutaram contra, de todos os modos possíveis e perversos, eles não conseguiram calar ou desqualificar...; assim, não tendo podido..., agora vendem a idéia de que eu com eles seria melhor para todos..., especialmente para mim mesmo... Rsrsrs.

Portanto, digo:

Viverão e morrerão sem me entender... Sim, sem saber que não há mais nenhum alto monte e nenhum Pináculo que me sejam tentações!...

Ah! Mas eles terão que agüentar o tempo, a história, o processo, a verdade que se impõe com ou sem consentimentos humanos... — a fim de ver que estão lidando com um homem e suas convicções; e não com um menino safado buscando oportunidades desprezíveis e abomináveis diante de Deus!...

Amigos “Evangélicos” não percam seu tempo tentando me cooptar, me aconselhar, me ajudar, me envolver, me acolher, me envaidecer, me incensar, me... “qualquer coisa”... — pois, amigos, estou pra além disso que vocês acham ser uma estratégia de cooptação...

Não percam o tempo de vocês comigo!...

Gratamente eu lhes digo que não existe cura para o meu bem!...

 

Nele, que nunca mudou o caminho em razão da estrada dos anunciados privilégios da sobrevivência sem vida,

 

 

Caio

9 de outubro de 2009

Lago Norte

Brasília

DF