Português | English

Reflexões

PENSANDO COMO O DIABO!

PENSANDO COMO O DIABO!

 

PENSANDO COMO O DIABO!

 

Nesta existência pode-se pensar como homem [como Deus ensina], ou como o diabo pensa.

Pensar como homem é andar em confiança, em fé e em amor; em obediência ao que seja vida.

Pensar como o diabo é pensar que Deus não nos diga tudo apenas porque seja um manipulador de cartas, um mal intencionado que esconde o jogo, um invejoso de Sua própria criação.

Assim...

O homem subsistindo em forma de homem, julgou como usurpação o ser igual a Deus.

“Como Deus sereis...” — foi a sugestão.

“Então o homem tomou do fruto e o comeu” — foi a decisão que gerou uma cisão entre ele e ele, não entre ele e Ele; pois Deus sempre veio e voltou, e sempre perguntou: “Adão! Adão! Onde estás?”

Jesus, entretanto, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus.

“Pai! Seja feita a Tua vontade!” — foi a decisão.

“Todo poder me foi dado no céu e na terra!” — foi o resultado.

O homem, todavia, não quer o que é do homem, mas apenas o que seja de Deus.

Mas o de Deus para o homem só lhe vem quando o homem busca o que é do homem como homem.

Pensar a Deus é coisa do diabo.

Amar a Deus é coisa do homem.

Entretanto, o homem não quer saber como homem, quer saber como Deus; e nem quer amar a Deus, mas apenas a si mesmo.

Mais que isto:

O homem quer ser Deus!

Não quer conhecer a Deus, quer saber como é Deus. Quer ser Seu Anatomista...

Não quer amar a Deus, apenas demanda que Deus lhe seja a Babá de Caprichos...

Não quer Deus, embora até admita que um dia Ele tenha sido Deus, ainda que hoje já não seja.

Ah, o homem!...

O que é o homem?...

Verme de incansável presunção...

Não sabe que quando nega saber como homem apenas, perde a chance de saber em Deus, como intuição da fé simples; e que quando busca saber como Deus, acaba sabendo apenas como o diabo.

Buscar saber como Deus é o modo do diabo.

Confiar e obedecer é saber como homem.

Há um mundo de busca de saberes para o homem e do homem.

Sim, existe um saber legitimo e sadio...

Afinal, o sadio é apenas saber como homem.

A angustia de ser, todavia, vem de desejar saber como Deus; ou pior: pensar que Deus não sabe.

No primeiro caso vem a arrogância. No segundo nasce o pânico!

A morte do homem é comer o que o diabo dá.

A vida do homem é comer todo-apenas-tudo o que Deus lhe dá.

É assim que é...

O que não seja assim, não é; e mais: jamais será!

 

Nele,

 

 

Caio

5 de abril de 2009

Lago Norte

Brasília

DF