Português | English

Reflexões

O Tribunal da Justiça Divina Funcionou? Quanto arrecadaram?

O Tribunal da Justiça Divina Funcionou? Quanto arrecadaram?

No dia 10 de setembro escrevi o texto que segue. Leia e depois me responda uma única pergunta. *************************************************** Há um policial que freqüenta o Café com Graça que é uma figura simplesmente encantadora. Ninguém jamais diria que ele é dos “homi”, apenas porque ele não é; ele é apenas homem! Ele fala com gírias do lado “oposto” ao da polícia dos asfalto ou do morro. Veste-se como se fosse um “Anjo do Inferno”; sempre com trajes de motoqueiro dos anos 50! Outro dia ele veio pra mim e disse: Aí, ó, tu já viu o que os carinha tão fazendo? Meu Deus! Deus me perdoe! Pô, os cara agora determinaram que o dia 14 de setembro é o dia do Tribunal da Justiça Divina. Tu já pensô, filho da dona Lacy? Que lôcura bicho! Só quero vê quem é qui vai ser o juiz dessa parada. Tá vendo? Os cara agora vão “arrancá” uma grana dos pobre prometendo resolvê todas as parada no mesmo dia. Tu já viu a loucura? Deus me perdoe! Fui pra casa pensando... Hoje fui comprar uns remédios para minha mãe e umas comidinhas para a casa—estão todos cansados, e a ajudante não vem aos domingos—, quando vi a faixa: Tribunal da Justiça Divina! Pensei no irmão do Café. Se ele entrasse lá, com estampa dele, iriam querer “tirar” um demônio na hora; e iriam ser embolachados! Ele, todavia, tem infinitamente mais consciência de Deus sob seus trajes diferentes que aqueles que se oferecem para resolver, em Nome de Deus, aquilo que eles sabem que não será resolvido. Sim! eles sabem que não será resolvido! “Deus” virou o nome do estelionato que praticam desavergonhadamente; e tal estelionato ainda não teve precedente histórico mais nojento na História da Religião que usa o “nome de Jesus” no Brasil! Nem Jesus não se ofereceu para tal! Quando pediram que Ele julgasse uma demanda, Sua resposta foi: Quem me constituiu juiz e partidor entre vós? E veja que tudo o que não faltava ante os olhos de Jesus era injustiça! Mesmo assim, Ele não marcou nenhuma data para fazer cair do céu a justiça divina. Quando João e Tiago, irritados com os samaritanos, perguntaram a Jesus: Tu queres que façamos descer fogo do céu sobre eles? A resposta foi: Vocês não sabem de que espírito vocês são. O Filho do Homem não veio destruir as almas dos homens, mas salvá-las! Diante do Tribunal Jesus não disse nenhuma palavra. Marcou Sua presença com o silencio... Quando Pedro decepou a orelha de um dos algozes de Jesus, Sua pergunta-resposta foi: Porventura vocês não sabem que se eu quisesse o Pai enviaria miríades de anjos para me socorrer? *************************************************** Até quando, ó Senhor, o Teu Nome será perversamente usado pelos homens que não têm temor de Deus ante seus olhos? Tem misericórdia, ó Deus, dos que são apascentados pelos pastores do engano e da mentira! *************************************************** Meu pai me disse hoje que viu há uns dias atrás, na televisão, um dos mais eminentes representantes desse grupo, dizer que estava pensando em contratar professores de Jui-jitsu para os pastores e bispos, porque agora eles não estão dando mais conta de segurar os “possessos”. Pensei uma brincadeira e uma coisa séria. A brincadeira é que eu poderia me oferecer para dar umas “aulinhas” para eles—modéstia à parte, meus reflexos ainda estão “em cima”. A coisa séria é que endemoninhado respeita a autoridade do Nome de Jesus. Se alguém não respeita, de duas, uma: ou o “usador” do Nome é parente dos exorcistas ambulantes que levaram uma coça de um possesso nos dias de Paulo—e que desnudos fugiram pelas ruas da cidade; ou, é porque tais pessoas não estão possessas. Loucos e histéricos é que precisam ser contidos à força—e olhe lá, pois, até os loucos reconhecem um ser humano com genuína autoridade ante seus olhos! Papai me lembrou que quando ministrávamos juntos aqui em Manaus durante a década de 70, muitas vezes eu “peguei” o cara no Jui-jitsu—e lembrou que isso sempre acontecera quando éramos surpreendidos por loucos tidos como possessos, e que nos assaltavam com a intenção de intimidar. Mas foram raras vezes! E isto nunca levou mais que apenas um reflexo, para de imediato se constatar “quem” estava ali; se era um homem louco, ou um ser humano possesso. O ridículo é dizer isto como se fosse uma “arma” a ser incorporada ao “ministério”. O que de fato estamos assistindo é à maior brincadeira organizada feita em Nome de Jesus que já foi protagonizada em nossa terra. E há ainda quem tenha as suas dúvidas... Meu Deus! Abre os nossos olhos para que vejamos! Enquanto isto, como disse o traficante morto Marcinho VP—referindo-se às injustiças praticadas pelos policiais nos morros do Rio: “As autoridades nada fazem, os intelectuais pensam, e os seres inteligentes na sociedade, ficam em profundo silêncio!” É obvio que vivemos numa democracia; e também é claro que as armas da nossa milícia não são carnais; mas o que assusta é ver o silencio de vozes que se queixam baixinho, e nada fazem. E o que se teria que fazer? Bem, contra eles, evidentemente, nada além de gritar, profeticamente, que suas ações são de total estelionato espiritual; e, ao mesmo tempo, pararmos de ficar fazendo beicinho, e partirmos para proclamar, intrepidamente, o Evangelho do Reino de Deus! Enquanto isto, o que se vê é o reino do Espinheiro sobre nós! Cumpriu-se, mais uma vez, o Apólogo de Jotão! Com temor e tremor, Caio *************************************************** E, ái? Resolveram todas as "paradas"? Tem alguém sem solução? O Brasil ficou melhor? Até quando, ó Deus, Teu Nome será blasfemado?