Português | English

Reflexões

NÃO SÃO MILHÕES, MAS BONS E FELIZES MILHARES...

NÃO SÃO MILHÕES, MAS BONS E FELIZES MILHARES...



Quero aqui expresser minha alegria pelo que tem acontecido a muitas pessoas que frequentam este site. Desde os 18 anos que minha vida se tornou influente para milhões de pessoas em razão dos meios de comunicação massiva pelos quais a mensagem que eu pregava era veiculada. Na realidade foram três décadas de comunicação com milhões de pessoas todas as horas do dia. Meus programas de televisão eram veiculados diariamente em diversos lugares e até países. Nas rádios minhas mensagens eram ouvidas todos os dias. Os livros, por si mesmos, ganharam vida própria e milhões de pessoas os leram no curso de mais de 25 anos. Fora isso, havia as fitas de audio e vídeo com seus milhares de assistentes, ouvintes e distribuidores. Havia também os jornais, mini-jornais, revistas, e centenas de orgãos que republicavam o que eu escrevia ou falava, no Brasil e em muitos outros lugares. As “Cruzadas de Evangelização” garantiam que estádios se lotassem no país inteiro e em vários lugares do estrangeiro. Congessos, Conferencias, e Palestras faziam com que todos os anos eu me comunicasse ‘em presença’ com milhares, e, em alguns anos, até com milhões de pessoas que afluiam para ouvir a Palavra. Eu podia estar dormindo ou de férias, ou mesmo morando em outro lugar do mundo, que a mensagem continuava a dar fruto aos milheres... o tempo todo. Parei de pregar durante dois anos e meio depois de meu divorcio, e, ainda assim, pessoas continuaram a ler os livros, a ouvir as fitas, a se converterem e a serem edificadas. Tenho consciência, e as pessoas que estiveram vivas e conscientes nos últimos 30 anos também têm, que milhares e milhões foram alcançados e beneficiados. Sei que gerações foram subvertidas em muitos bons e positivos aspectos. Sim, tenho que admitir, e, mais que tudo agradecer a Deus que tenha sido assim. No entanto, hoje, no pequeno espaço virtual deste site, vejo que não são milhões e milhões de pessoas as que são atingidas, mas apenas algumas milhares; todavia, verifico que o que está acontecendo na ‘consciência’ dos atingidos é de uma profundidade incomparavelmente mais profunda e libertadora. Acompanho pessoas que a dois anos estavam esfrangalhadas, culpadas, destroçadas, perdendo a fé, cansadas do “evangelho”, e amedrontadas com Deus e desconfiadas de Jesus, e que, hoje, vêem-se de modo completamente diferente, exergam a Deus sem medo, e amam a Jesus com alegria. Pregar Graça, Deus sabe, eu sempre preguei. Mas antes a Graça era, para mim, a mais importante de todas as mensagens; porém, também havia outras... Nos últimos 10 anos, todavia, crescentemente..., meu coração foi descobrindo que Graça não era uma mensagem, mas a única; e, a partir da qual tudo o mais girava; só havendo, portanto, Graça de Deus a ser anunciada. O Cordeiro foi imolado ‘antes’ da fundação de todas as coisas. O Cordeiro é também o ‘ômega’ de todas as realidades. Sim, tudo o que acontece entre o começo-fim e o fim-começo é Graça de Deus. A inteira jornada da existência humana acontece para que a consciência tenha a chance de reconhecer a vida como Graça de Deus. Além disso, deve-se saber que o existir fora da consciência da Graça de Deus—não como informação, mas como atitude existencial—, é o que torna a vida esse inferno no qual a maioria existe já na Terra, mesmo aqueles que se confessam ‘povo do céu’. Hoje, aqueles ‘milhões’ não têm acesso..., mas o milhares que têm dito, esses dão testemunho da verdade do Evangelho em seu poder de realizar exatamente aquela libertação pacificada que é promessa da Boa Nova. E o resultado nas vidas desses é simples e essencial: eles estão se tonando pessoas pacificadas, confiantes e felizes. Que o Senhor Jesus derrame Seu Espírito sobre todos nós, e nos faça crescer em Graça e Conhecimento experiêncial de Jesus; e que também nosso coração mergulhe na pacificação que é fruto da verdade de Deus que se manifesta em nós como testemunho do Espírito de Deus quanto ao fato de sermos filhos e herdeiros de Deus em Cristo. Ora, sinceramente, isto é tudo... Caio