Português | English

Reflexões

MEU SABONETE CAIU EM PÉ

MEU SABONETE CAIU EM PÉ

Ontem eu ri muito quando um jovem que vem tendo uma sucessão de acidentes nos últimos 15 dias, me disse que se continuar assim vai pedir uma “oração anti-enconsto”. Em seguida me lembrei de um cidadão na Bahia que certa vez me mostrou uma lista de uns 90 acidentes graves que tinham acontecido com ele nos dois anos anteriores, pedindo-me também um “oração forte”. Há tempos na vida em que parece que tudo dá errado. E não me refiro a grandes catástrofes apenas, mas também a uma infinidade de pequeninas coisas: coisas que começam cair, a quebrar, a furar, a escorregar da mão; enquanto a pessoa começa a tropeçar em todo batente, a perder a hora dos compromissos, a furar o pneu em série, a ser parado em todas as blits, e a pegar todos os sinais vermelhos. Cada uma dessas coisas acaba podendo ser explicada com categorias que vão do neurológico ao psicológico, e do co-incidente aos incidentes que se atraem em sinergia negativa. Mas porque estou falando isto? Eu estava tomando um banho e pensando em como a vida é dura. Estava me lembrando de um monte de gente aqui do site, e dos dramas descomunais que alguns vivem neste exato momento. Para mim não são cartas, são pessoas. E acabo me envolvendo com centenas delas. O coração ora e torce em favor delas o tempo todo. Ora, enquanto eu me ensaboava e pensava isto, o sabão escorregou de minha mão e caiu no chão. Eu me abaixei para pegar “o liso”. Quando vi, ele estava caído de modo impossível. Estava de bico, em-pézinho. Pensei na Lei de Murphy ao contrário. Era a Lei da Graça. Na Graça já se cai em pé, mesmo que ninguém veja. Na Graça toda queda é pra cima. Na Graça tudo perde sua maldição. Na Graça o sabonete cai de bico, e fica esperando você pegar. E isto com tribulações... Afinal, todas as coisas cooperam... Esta é a sinergia por excelência. Aliás, esta é a única sinergia. Um beijão. Nele, Caio