Português | English

Histórias

LUKAS MAL CHEGOU LÁ... MAS JÁ FAZ 1 ANO AQUI...

LUKAS MAL CHEGOU LÁ... MAS JÁ FAZ 1 ANO AQUI...



Dia 27 faz um ano que meu filhotinho Luk partiu para casa. Está com meu Pai. Pai dele. Pai nosso.

Mergulhou em entendimento total. Sabe quem é agora... em plenitude...

Ganhou a ‘pedrinha branca’ e também um ‘novo nome, que ninguém conhece, exceto aquele que o recebe’.

Hoje ele sabe tudo que se pode saber...

Sabe como foi amado pelo Pai e por esse paizinho aqui também. Sabe como foi amado por todos os que o cercaram e protegeram.

E como foi cercado!

E como foi protegido!

Quando ele foi..., a dor foi maior que a dor... e doeu como a dor de uma queda num poço sem fundo.

Mas agora que já faz um ano... dói muito mais.

Chegou a estação não do susto, mas da contínua saudade...

Ele cresce todos os dias... Aumenta em mim. Sim, ele me vem como filme... em cenas e cenas sem fim.

Às vezes sinto tanta saudade que queima... Queima a vontade de abraça-lo, de sentir seu cheiro, de beijar seu rosto, de ouvir sua voz sempre menina... ‘Paiiiii’..., de olhar aqueles olhos penetrantes como a verdade.

Visto e visto as roupinhas dele...

Assusto-me todos os dias quando vejo algum menino de vinte e poucos anos andando com as mesmas jingas. Dá vontade de correr e beijar...

E as musicas? Meu Deus! Elas me torturam... e tocam toda hora... Tudo o que ‘rolou’ nos 80 e 90 tem a ver com ele... Às vezes danço-as sozinho... chorando.

De fato tudo fala dele...

Os filmes, as musicas, os atores e atrizes, os autores, os irmãos, os amigos, os personagens, o mundo... Sim, tudo o que ele viu, apreciou, leu, ouviu, riu, chorou... me fala dele.

E todos continuam aqui... na Terra...

Se os vejo, ouço ou leio, vejo-o em todos eles. Posso ouvir o que dizia, as opiniões que tinha acerca deles.

Me apanho gostando de coisas que antes eu não dava bola..., apenas porque me sinto feliz em poder amar por ele, apreciar por ele, acompanhar por ele...

É quase como se na santa besteira do amar, eu me convencesse de que um dia vou contar tudo a ele.

Até as coisas novas e boas esmagam. Ele não está lá... Então..., eu curto por ele também... Sim, tudo o que sei que ele curtiria me alegra de verdade.

Outro dia fiquei pensando o que me teria acontecido se ele nunca tivesse nascido...

Concluí que eu não apenas seria outro homem, mas que também seria muito mais pobre de alma. Sim, ele me fez crescer na alma.

Vamos passar o dia 27 todos juntos!

Ele está com o Pai, mas de modo estranho está conosco também... vivo e alegre em nossos corações.

Se eu pudesse... apenas pediria ao Pai que deixasse minha voz ecoar nos céus com um brado que todo o universo ouvisse, e que reboasse no coração dele... “Luk, eu te amo pra sempre!”


Papai