Português | English

Reflexões

ERA GLOBAL, DIABO GLOBAL, MEGALOMANIA NATURAL!

ERA GLOBAL, DIABO GLOBAL, MEGALOMANIA NATURAL!

 

 

 

ERA GLOBAL, DIABO GLOBAL, MEGALOMANIA NATURAL!

 

 

 

E vi subir do mar um monstro que tinha sete aliados e dez grandes outros poderes entre os homens. Os poderes aliados ao monstro do mar foram ungidos pela aceitação dos homens, e sobre as suas cabeças foram postos um nome de blasfêmia.

 

O monstro que vi era semelhante a uma mistura de forças e poderes, como se fosse um ente parecido com um leopardo, mas com os pés como os de urso, a sua boca como a de leão...

 

E a Serpente deu-lhe o seu poder, e o seu trono, e grande poderio.

 

Então vi uma das suas cabeças como ferida de morte, e a sua chaga mortal foi curada; e toda a terra se maravilhou após do monstro.

 

E adoraram a Serpente, que deu ao monstro o seu poder!

 

Também adoraram ao monstro, dizendo: Quem é semelhante ao nosso monstro? Quem poderá batalhar contra ele?

 

E foi dada ao monstro o poder de falar ao mundo, para proferir grandes coisas e blasfêmias; e deu-se-lhe poder para agir por quarenta e dois meses.

 

E, então, abriu a sua boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome, e do seu tabernáculo, e dos que habitam no céu.

 

E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a tribo, e língua, e nação.

 

E adoraram ao monstro todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.

 

Se alguém tem ouvidos, ouça.

 

Se alguém leva em cativeiro, em cativeiro irá; se alguém matar à espada, necessário é que à espada seja morto. Aqui está a paciência e a fé dos santos.

 

E vi subir agora da terra outro monstro, e tinha dois poderes que se mostravam mansos como a autoridade de um cordeiro; embora falasse como o dragão-serpente.

 

Ora, esse monstro que vem da terra, não do mar, exerce todo o poder do 1º monstro na presença deste; e faz que a terra e os que nela habitam adorem o 1º monstro, que veio do mar, cuja chaga mortal fora curada.

 

E, assim, o monstro da terra faz grandes sinais, de maneira que até fogo faz descer do céu à terra, à vista dos homens.

 

E engana os que habitam na terra com sinais que lhe foi permitido que fizesse em presença do 1º monstro, dizendo aos que habitam na terra que fizessem uma imagem ao poder deste, o qual tinha sido ferido, mas vivia.

 

E foi-lhe concedido que desse vida à representação do 1º monstro, para que também a imagem dele falasse ao mundo; e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem mundial do monstro.

 

E, assim, o monstro da terra faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome do monstro, ou o número do seu nome.

 

 

Quando Jesus disse a Pilatos que a autoridade que o Proconsul possuía vinha de uma instancia superior à de César, muitos logo pensam que seria a autoridade de Deus o poder ao qual Jesus fazia referência.

 

Ora, é claro que todos os poderes existentes decorrem de Deus, mesmo aqueles que existem contra o amor.

 

No entanto, quando Jesus disse isso, Ele também associou o poder que dava aquela autoridade a Pilatos, a algo que existia sob culpa.

 

Portanto, Jesus não fazia apenas referencia aos “poderes” humanos, e, nem ainda, à última instância de Poder, de Deus; mas sim aludia ao poder daquele que Ele mesmo chamou de Príncipe deste mundo [sem ironia] e de Pai da mentira [sem sarcasmo].

 

No Apocalipse está dito e repetido que o Dragão, que é a Antiga Serpente, Diabo, Satanás, dá autoridade e poderes à Besta, pois, ela, a Besta Humana, desejará solucionar problemas e alcançar objetivos globais.

 

Foi do mesmo modo que o Diabo aproximou-se de Jesus — conforme Lucas, o qual nos diz que, ao tentar a Jesus, o tentador o “elevou”, e, “por um momento”, mostrou a Ele todas “as glorias dos reinos deste mundo” — e disse:

 

Posso dar-te tudo isto, com toda a sua glória; pois, tal poder me foi entregue; e o darei a quem eu desejar; e o darei a Ti; se Tu, prostrado, me adorares”.

 

 O Diabo ofereceu a Jesus um poder global, e, não o fez com bazófia, pois, era diante de Jesus que ele estava.

 

Portanto, pergunto:

 

Não oferece ele todos os dias o mesmo poder a quem encontra com a disposição de um salvador do mundo?

 

O Diabo adora um salvador do mundo!

 

O poder de Hitler, na Alemanha do século passado, foi uma clara demonstração da liberação de tal poder como avalanche sobre o mundo.

 

É assim porque a tentação é do tamanho da missão ou do surto.

 

No caso de Jesus, a tentação era do tamanho do mundo inteiro. Afinal, tratava-se do Salvador do Mundo.

 

Quanto maior a auto-percepção ou o surto acerca dela, do mesmo tamanho será a tentação.

 

Assim, numa Era Global a tentação é global!

 

E mais:

 

Quanto mais Global for o mundo, mais globais serão os messias, e, assim, mais diabólicas serão as tentações.

 

No fim eu pergunto:

 

Quem é hoje o homem que ouve o Diabo lhe dizer ao pé do ouvido: “Tudo isso, com toda a sua glória, ti darei; pois, tal poder me foi entregue; e o darei a quem eu desejar; e o darei a ti; se tu, prostrado, me adorares”?

 

Quem ajoelhar ocupará o posto! — e isto conforme o tamanho da missão, da ambição, do sonho, do surto, ou do convencimento.

 

 

 

 

Nele, que desmascarou tal poder,

 

 

Caio

 

10 de novembro de 2008

Lago Norte

Brasília

DF