Português | English

Reflexões

ELES ME BEIJAM, MAS PENSAM EM OUTRO?

ELES ME BEIJAM, MAS PENSAM EM OUTRO?

ELES ME BEIJAM, MAS PENSAM EM OUTRO?

 

Como é que você se sentiria se estivesse fazendo amor com o seu marido, ou com sua esposa, e, de repente, começasse a ser capaz de ver os pensamentos dele, e sentir todas as emoções dele, e ficasse cara a cara com o fato de que ele se alimentava completamente da imagem, das memórias e dos desejos originados por uma outra pessoa?

Nesse dia você entenderá uma fagulha do que Deus sente, quando diz: “Esse povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim”.

Os “beijos-louvores”, Deus recebe; mas os sentimentos são inspirados em “um outro”, de onde procedem a inspiração, a fantasia. Quando isto foi dito por Deus nas Escrituras, duas situações imediatas estavam sendo apresentadas. A arrogância pomposamente vazia da classe sacerdotal de Israel, que quando "louvava a Deus", louvava a si mesma; e os cultos feitos em nome de Deus, estando porém o coração dos cultuadores nos altares do amante de suas almas, Baal.

Hoje eu creio que algumas das coisas que mais aborrecem a Deus, e o enche de ciúmes, são o comercio do nome de Jesus, e a tentativa da religião cristã de representá-Lo na Terra. Mas há uma terceira que Lhe é abominável, que é quando se anula a Cruz de Cristo, e se re-introduz os “sacrifícios”, os “votos”, as “promessas”, as “barganhas financeiras” , e isto não apenas no espírito da religião, mas dos mesmos conteúdos dos cultos a Baal, que era “deus das prosperidades terrenas e imediatas”.

É assim que eu creio que Deus se sente—eu sinto-o sentir em mim—quando gravamos louvores ao Seu nome, mas nosso coração está no produto e no consumidor final; é assim também quando a gente faz qualquer coisas em Seu nome, apenas porque a gente não se sente tendo uma outra opção de sobrevivência; ou ainda quando a gente vende a alma pro diabo, falando em nome de Jesus, porém negando a mensagem da Cruz, e pisando no sangue da nova aliança, e voltando às crenças dos ídolos e dos idólatras. E isto dentro da “igreja”.

Ore sobre isto!

Caio


Escrito em julho de 2004