Português | English

Reflexões

ANATOMIA DO QUASE EU

ANATOMIA DO QUASE EU

 

 

 

 

ANATOMIA DO QUASE EU

 

 

 

Examine-se o homem a si mesmo, e, assim, coma do pão e do vinho”.

Paulo, aos Corintios.

 

 

 

Constituição genética [hereditariedade orgânica], cultura familiar e social [o caldo acumulado e residual de todos os que nos precederam na família], poder econômico [dinheiro, bens, meios], tempo político [ênfases de uma geração], realidade tecnológica [não importando o grau de avanço, mas apenas o poder que ofereça], arquitetura psicológica [desenvolvimento e cristalização psicológicos], condicionamentos cerebrais [neurológicos], acidentes afetivos [quando a vida é marcada pelo amor ou pelo ódio], influencias espirituais [principados, potestades e poderes invisíveis] — são os elementos mais decisivos na constituição de um ser humano.

 

Constituição genética: tem importância fundamental, pois determina o hardware que o individuo terá.

 

Cultura familiar e social: tem importância imensa, pois, é nela que se vive o mundo das afetividades e dos sentimentos.

 

Poder econômico: tem importância na determinação do modo como se encara o significado de ser ou não ser, quase sempre inclinando o individuo para a troca do ser pelo ter.

 

Tempo político: tem importância fundamental na construção da cosmo-visão da pessoa.

  

Realidade tecnológica: tem importância determinante nas escolhas práticas de cada pessoa, conforme a geração.

 

Arquitetura psicológica: tem importância essêncio-fundamental, pois, de fato, determina a expressão continua do individuo.

 

Condicionamentos cerebrais: tem importância essencial na continuidade da manifestação de cada pessoa, especialmente com o passar o tempo.

 

Acidentes afetivos: têm importância fundamento-essencial, pois, muitas vezes, passam a determinar o olhar afetivo do individuo, o que pode alterar até o seu cérebro.

 

Influencias espirituais: têm importância capital, pois, operam na invisibilidade, sempre usando o conjunto das constituições humanas, inoculando cargas viciantes e obsessivas.

 

Cada um de nós, se apenas ficamos entregues a nós mesmos, estamos sob as influencias da carne [genética, corpo, hormônios, constituições psicológicas, etc.], do curso deste mundo [conjunto de realidades históricas de um tempo ou geografia], e das forças espirituais [os poderes invisíveis que agem no mundo, sempre usando a produção dos humanos].

 

Ora, tais poderes são sempre maiores do que nós. No entanto, a Graça invisível de Deus está sempre em ação, muitas vezes criando condições e meios de vida conforme as necessidades de cada um; ainda que, quase sempre, tais intervenções não sejam sentidas, pois uma das propriedades do amor [e Deus é amor!] é manifestar-se em silencio e sutilezas inimagináveis.

 

Ora, as coisas de Deus são assim tão sutis, pois Deus como Jesus disse que deveríamos dar qualquer coisa: com mão esquerda não sabendo o que a direita fez.

 

Assim, olhe para você mesmo e tente entender-se à luz de cada uma das dimensões aqui expostas como presentes em nossa constituição; e, assim, veja o que você conscientemente deseja abraçar como seu; e, mais que isto: o que você sabe que, embora sendo seu, não faz bem à sua vida.

 

A semente do ser, todavia, é maior profunda em suas raízes do que qualquer exercício de constituição possa conseguir compreender; posto que nosso eu-profundo tem elementos de uma natureza que transcende a tudo aquilo que o conjunto de fatores da existência pode conseguir explicar.

 

Ora, é na dimensão do eu-profundo que a conversão genuína acontece, visto que nada acontecerá no ser humano se não for alterado desde os porões do ser, no ambiente do mistério absoluto da natureza humana de cada individuo.

 

Somente o Espírito de Deus conhece esse lugar-semente em nós.

 

Pense nisto e se decida a respeito!

 

 

 

Nele, que nos fez e de Quem somos, não importando como sejamos,

 

 

Caio

 

Nove de agosto de 2008

Lago Norte

Brasília

DF