Português | English

Reflexões

A VIDEIRA DE MINHA CASA E A DE MINHA VIDA

A VIDEIRA DE MINHA CASA E A DE MINHA VIDA

 

 

 

 

 

  

 

A VIDEIRA DE MINHA CASA E A DE MINHA VIDA

 

 

 

 

A videira que o irmão do Caminho me deu de presente, é um dom da Graça aqui entre nós.

 

Ela é linda. A plantei ao pé de uma coluna. Está subindo ao estilo romano, ainda que plantada na grama.

 

A semana toda eu fui vê-la muitas vezes por dia.

 

Faço a ‘molhada’ que enche as plantas de vida verde.

 

A planta responde bem.

 

A videirinha está dando uns cachinhos de uva, mínimos e lindos.

 

Espero poder comer desses cachos, e muito.

 

Minha intenção é cobrir uma área do quintal com esta e outras videiras.

 

Quero trabalhar sob a videira, à sua sombra, e sob os seus frutos.

 

Mas para que isto aconteça tenho que ser agricultor.

 

Terei que ter a coragem de podar ramos, ou variações dentro do ramo e que não estejam frutificando, enquanto bebem a seiva do ramo, sem produtividade para a videira.

 

A videira se revela no fruto.

 

Sem fruto o ramo nega a videira.

 

Sem fruto o ramo impede a vitalidade dos demais ramos, pois, bebe e não frutifica.

 

Sem fruto, mesmo o ramo que é belo e aparentemente sadio, começa a drenar a vitalidade dos demais ramos.

 

O significado do ramo é dar fruto.

 

O significado do fruto vem da videira.

 

O significado da videira vem do agricultor, que nela tem sua alegria.

 

Nenhum ramo pode ficar sem o amor do agricultor pela videira.

 

O agricultor, entretanto, tem que ter a coragem de podar o ramo que não dá fruto.

 

Mas ele o faz porque ama a videira.

 

A poda é puro amor.

 

O significado do ramo está em expressar a videira mediante o fruto que declara a natureza da árvore.

 

Mesmo o ramo que dá fruto tem que ser limpo de qualquer dreno de sub-ramos infrutíferos ou de folhas que estejam secando.

 

Não se cuida de uma videira sem coragem de podá-la.

 

A poda é uma recondução da planta ao seu poder vital, sem que haja desperdício em ramos que não dão fruto.

 

A poda, porém, também acontece naquele que frutifica.

 

Na videira ninguém fica sem poda.

 

O ramo é apenas um condutor da vida e natureza da videira na forma do fruto.

 

O fruto é da videira, não do ramo.

 

O ramo não tem qualquer significado se existir desligado da videira. Ele existirá sem vida, até que vire madeira para o fogo.

 

Quando o ramo cria seu próprio fluxo de seiva e crescimento, mas não produz fruto, ele pode estar belo e forte, mas o agricultor o discernirá como um ramo que apenas drena a videira; e que não transforma o que recebe em dádiva na forma do fruto.

 

Por isso, ele o corta...

 

A videira se dá ao ramo para que o ramo se dê em fruto.

 

O fruto da videira é a própria videira dando-se em vida.

 

O fruto da videira é ser alimento de prazer e vida para todo aquele que provar do seu fruto.  

 

O fruto da videira é doce.

 

Da videira nascem uvas e não espinhos.

 

O espinho da videira é o ramo infrutífero.

 

 

 

Caio

 

02/04/07

Lago Norte

Brasília