Português | English

Reflexões

A CRIAÇÃO DA CONSCIÊNCIA

A CRIAÇÃO DA CONSCIÊNCIA



Estou aqui. Sentado numa cadeira. Em Copacabana. Lá fora... o mundo! Acima do mundo, o sistema solar. Além dele... galáxias e galáxias... universos inteiros... imensos... quase infinitos... indescritíveis... Para além deles... buracos negros... anti-universos... aos montes... “lugares-não-lugarizados”... capazes de engolir todos os lugares. Ora, isto seguindo apenas a viagem que vai do átomo às mais incomensuráveis massas e espaços... e voltando, pela via do buraco negro... aos lugares não lugarizáveis... porém, ainda... desta ordem de coisas. A questão é que existe o mundo... e nele o homem... e no homem... em cada um, um...; pois cada um humano é maior que o Cosmos inteiro... acima descrito como feito de universos... na imensidão de sua subjetividade. Portanto, se olharmos desde os lugares acima de todos os tamanhos e espaços... na imensidão do Cosmos... a existência humana é um pum. No entanto, se se olha do homem para o homem... mesmo que se faça a volta filosófica na mais remota galáxia... ainda assim... a referencia de importâncias muda... posto que o homem é grande em sua insignificância pumzisse-espaço-temporal. Se o olhar mudar... então... aparece um outro mundo... muito mais rico do que aquele feito por estranhas e distantes estrelas e galáxias... ou de obscuros buracos negros. Sim, aparecem outros mundos... feitos de espíritos e agentes invisíveis... e autônomos... Isso sem falar na produção espiritual do próprio homem... que se acumula como Inconsciente Coletivo... o que é também um poder... uma potestade do ar. No meio de tudo isto... imprensados entre galáxias imensas e principados e potestades invisíveis... estamos todos nós. Entre o macro e o micro... entre o berço e a sepultura... entre o tempo e o espaço... ao mesmo tempo em que temos uma constituição interior que é maior do que tudo o que nos cerca... A formação dos universos acontece de modo a oscilar entre grandes explosões ou implosões..., e,... uma quantidade enorme de ‘acasos’... de catástrofes... de fogo... de gelo... de pó... de compressões e explosões. Se mundos são assim formados... assim também se forma o mais importante de todos os universos: o da consciência. Sim, estamos aqui... aqui mesmo... para sermos feitos um universo novo... o mais importante deles... e a existência como humanos...na terra... no tempo e no espaço... com todas as catástrofes e explosões... faz parte de algo que carrega em si a mesma lógica da existência no Cosmos... no qual não há catástrofes e nem acidentes... só há fenômenos... e todos caminham na direção da auto-renovação da vida... assim como no interior do homem todas as coisas podem contribuir para a formação do maior universo: o da consciência. O Cosmos que nos cerca é cheio de assombrações... mas são delas que a vida e a existência são feitas... até para criar descriando... A criação da consciência não está acabada... e, no processo de sua formação ela tem que ser exposta a todos os fenômenos do existir existencial... pois é nesse universo existencial que a consciência está em formação. Sim, a história dos humanos na Terra é a história da formação da consciência. E Jesus é o Filho do Homem porque Ele é o Primeiro Humano com Consciência Plena. Nós outros... estamos em processo... tanto individual... como coletivamente. E o alvo de nossa vida é sermos transformados em nosso entendimento... a fim de tomarmos a imagem do Filho de Deus... que é o Filho do Homem: Jesus. Caio 2004