Português | English

Reflexões

 SEM JUÍZO, MAS COM BOM SENSO!...

SEM JUÍZO, MAS COM BOM SENSO!...

 

 SEM JUÍZO, MAS COM BOM SENSO!...

 

 

Quando Jesus disse para que não julgássemos, dizia Ele que não poderíamos exercer discernimento?

Na realidade Ele disse também:

Não julgueis segundo a aparência, mas segundo a reta justiça”.

Entretanto, pergunto:

E o que é a reta justiça?

Quem estabelece seu padrão?

A resposta somente pode ser uma.

A reta justiça, que nunca se impressionou com aparências ou estereótipos, é apenas a de Jesus.

Ele podia julgar, mas disse: “Eu a ninguém julgo!”

Porém, dizia também: “Meu Pai é quem vos julga. Conforme ouço Dele eu falo!

Todavia, dizia:

O Filho do homem não veio para julgar, mas para salvar o mundo”.

Ora, onde ficamos nós em tudo isto?

Ficamos como aqueles que julgam para si mesmos, não para os outros; e que andam conforme a reta justiça de Jesus; sem, porém, julgarmos que com nossos próprios olhos possamos discernir as verdades dos corações; e, por isto, acautelando-nos conforme o bom senso mande que acautelemo-nos; não jogando perolas aos porcos, na mesma medida em que não decidindo jamais o destino de ninguém, nem sentenciando ninguém, nem infernizando ninguém; mostrando nossa própria opinião apenas pelo nosso modo de andar e de escolher para nós mesmos.

Sim, é aqui que ficamos!

No mais, toda denuncia deve ser conceitual, e não deve mandar ninguém para o inferno.

Como tenho dito:

Quem manda muito para o inferno em geral já é residente ou trabalha como agente imobiliário do diabo!

Nele, que ama a vitória da misericórdia sobre o juízo,

 

Caio

27 de abril de 2009

Copacabana

RJ