Português | English

Opinião

TODO GAY ESTÁ NO INFERNO PRA VOCÊ?

TODO GAY ESTÁ NO INFERNO PRA VOCÊ?

TODO GAY ESTÁ NO INFERNO PRA VOCÊ?

Hoje alguém no Papo disse que estava decepcionado comigo, que sou um "liberal", pois disse a um gay-gay, que confessa não conseguir não ser o que é, que, então, pelo menos não se entregue à promiscuidade; antes saiba ser senhor do seu próprio corpo, conforme I Tess 4.

Não adianta! Na média, os "evangélicos" acreditam de fato que se o cara for gay já está no inferno! Ser gay é uma espécie de pecado sexual contra o Espírito Santo, anunciam sem assim dizer boa parte dos "evangélicos".

Ora, eu jamais serei assim; não importa como queiram me rotular!

Resumindo...

O ensino bíblico diante das relatividades deste mundo é o seguinte:

1. Há o Princípio, que sempre é o Ideal.

2. Há o Aplicativo do Princípio, que sempre leva em consideração a condição, o tempo, as contingências e as possibilidades de vivência total ou parcial do Princípio.

Por isto:

1. Sendo em Cristo toda escravidão condenada, ainda vigente no mundo Romano, Paulo manda que os "senhores" relativizem a "escravidão" tratando os seus "servos" com humanidade e amor, e pede aos "escravos" para fazerem o mesmo, até que chegue a hora em que pudessem ser libertos; ou seja: "Mas se podes tornar-te livre, aproveita a oportunidade".

2. Sendo em Cristo todo casamento um casamento único na vida, todavia, abre-se a chance para a possibilidade de um 2o casamento, em razão das durezas do nosso coração. Mas se diz: "Que seja marido de uma só mulher". Por quê? Porque à volta havia pessoas casadas com mais de uma mulher nos dias de Paulo. Quem já tinha a situação, nela continuava, posto que fossem famílias. Quem, todavia, ainda estava começando, que então fizesse tudo do melhor modo possível, segundo o Princípio.

Ora, aplicando...

Sendo a pessoa um ser gay, mesmo que este não seja o ideal de Deus para ninguém, ainda assim, diz Jesus, "há aqueles que nascem eunucos"; ou seja: com alguma diferenciação anômala em relação ao natural. Assim, Jesus disse que há os nascem assim, há os que são tornados assim pela intervenção abusiva de outros, e há os não são assim, mas se fazem assim [...], pois escolhem o modo de expressão sexual deliberadamente "contrário à natureza", por escolha, capricho e culto hedônico.

O Princípio é claro: macho e fêmea. Mas creio que o Aplicativo determina que no caso de pessoas que "nasceram" assim ou "foram feitas assim pelo abuso e pelo trauma", o Aplicativo [ou seja: no caso dos que não conseguem deixar de se sentirem homoafetivos, posto que o sejam] é aquele que ensina [então] a pessoa a não se promiscuir; antes buscar na sua relatividade o melhor valor, a melhor ética, o melhor estado possível para ser; o que implica em ter uma relação exclusiva, e nunca promíscua.

É o Principio? Não! É o Aplicativo Possível do Princípio na Existência Real.

Assim resumidamente eu entendo e pratico!

Caio