Português | English

Opinião

QUERENDO AJUDA PARA TRAIR MELHOR?

QUERENDO AJUDA PARA TRAIR MELHOR?



----- Original Message ----- From: QUERENDO AJUDA PARA TRAIR MELHOR? To: contato@caiofabio.com Sent: Monday, May 08, 2006 11:14 AM Subject: REV. CAIO POR FAVOR ME AJUDE PRECISO DE UMA RESPOSTA BEM ANTES DO DIA 19/05/06 Rev. Caio Graça e Paz Caio permita-me chamá-lo só de Caio, dessa forma para que não haja nenhuma formalidade, para que seja como uma conversa de um filho com o pai , de uma ovelha ferida há um pastor querido. Não poderia começar de outra forma a não ser dizendo que admiro muito como homem e homem de Deus, acompanho seu trabalho há algum tempo, sempre que pude ouvi ou assisti sua mensagem, seus ensinos e conselhos. Fiquei triste pelo processo que o sr. passou, tendo que se ausentar por um tempo (entendo que deve ter sido muito necessário); mas a alegria superabundou em vê-lo novamente fazendo as mesmas coisas que fazia antes: ou seja tratar as feridas das ovelhas; algo raro hoje em dia! Alegrei-me que em Deus você deu a volta por cima! Caio preciso muito de sua ajuda e conselho. Vou procurar resumir o máximo que estou passando pois preciso de uma ajuda urgente bem antes do dia 19/05/06. Tenho 34 anos, sou Presbítero da Ass. de Deus, evengélico há 15 anos, sou casado há 11 anos, tenho um filho de 6 anos e minha esposa tem 36 anos e está grávida de 5 meses de outro menino. Há cerca de um mês e pouco estava aqui no meu trabalho e de repente uma moça me chama no Skype (programa de bate papo) e começamos a conversar. Ela tem 30 anos e frequenta a pouco tempo a Igreja Batista. Ela veio de um relacionamento de 2 anos onde tinha uma vida sexal muito ativa e agora faz 1 ano que estava sem ninguém. Essas conversas aumentaram todos os dias, a toda hora havia mensagens. Depois ela me deu seu telefone. Liguei umas vezes pra ela e agora no sábado dia 06/05 nos encontramos. Conversamos e também nos abraçamos e nos beijamos; e sinceramente só não fomos para um motel porque não tinhamos tempo suficiente. Caio nesses 11 anos de casado nunca traí minha esposa; ou melhor: fisicamente falando; e já apareceram outras mulheres no meu caminho, mas consegui resistir. Agora, porém, não estou tendo forças para resistir a isso. Acho que é porque estou passando... já faz um tempo... por um tempo por um esgotamento espiritual, sem forças pra orar, ler a Bíblia, jejuar, etc... Há momentos que passamos por Elim, onde há 12 fontes e 70 palmeiras; e há momentos que passamos em Mara, onde as águas são amargas... Passei por Mara e ainda estou. Minha esposa tambem grávida discute direto comigo, e não temos muitas relações sexuais tambem. Ela tambem reclama muito das coisas é só pensa em limpar a casa. Nesse 11 anos nunca ela chegou e me abraçou e me deu um beijinho e me fez um carinho... Nem na cama ela é jamais capaz de tomar a atitude primeiro... Nunca! Sempre sou eu que tomo iniciativas. Já falei isso pra ela, e ela disse que é a natureza dela mesmo, que ela é meio sequinha... Assim mesmo acho que tudo isso é porque essas coisas se acumularam... e nesse momento de fraqueza... fiquei tentado. Mas mesmo assim gosto dela. É uma mulher batalhadora e responsável; e não vou me separar dela. Me sinto num oceano e preso somente numa pequena bóia... O que mais me dói é que gostaria tanto de ter um amigo pra poder abrir o coração e falar tudo isso, mas não tenho coragem e confiança o suficiente. Pois estou morando há 2 anos e meio numa cidadezinha do interior; e 1 ano meio congrego onde estou; e a mentalidade dos irmãos onde congrego ainda é daquela que só adultério parece ser pecado. Caio o problema é que marcamos um encontro pro dia 19/05/, para irmos a um motel... Estou angustiado, perdido, desorientado, não durmo direito , já perdi uns 4 kilos nesse pouco tempo...; e não consigo parar de pensar... A maior parte de mim quer esse encontro: meu corpo, minha mente e meu coração... Mas uma pequena parte me diz não, acho que é essa boínha no oceâno... Caio, acho que não vou conseguir resistir... Por favor me ajude me aconselhe, porque não sei o que fazer. Nós dois conversamos e sabemos que não vai durar por muito tempo nossos encontros e que na verdade estamos passando por um momento de carência afetiva mútua. Caio agora te pergunto: E se eu não conseguir resistir o que será de mim? Não terei coragem de confessar pra minha esposa. Pois ela não iria entender e nunca iria me perdoar. E não quero me separar da minha esposa e de meus filhos; e a outra sabe disso já conversamos. Não terei coragem muito menos de confessar a Igreja, devido a mentalidade dos irmãos...; e meu próprio pastor presidente disse algumas vezes que o homem que adultera... principalmente quando é um obreiro... é um sacana, sem vergonha... Como esperar receber cura por meio dessas palavras? Sei que o unico que sabe no profundo da agonia do meu coração e entende que estou lutando..., mas sem forças pra vencer, é Jesus. Caio, me ajude por favor. Estou sozinho nessa, sem um amigo pra desabafar... Por isso lembrei-me de você e sei que pode me dar uma palavra livre de preconceito e julgamento. Caio e se acontecer de irmos ao motel? E o perdão de Deus e a Graça de Jesus como age nesses casos? Pois acho que a graça de Deus é muito mais do que aquilo que decoradamente falamos (é um favor imerecido). Por favor se eu cair, me fale como me levantar na graça de Deus. Você tem algum livro, alguma coisa? Por favor me ajude! Desculpe se não fui muito claro... ou se você não entendeu algo, me pergunte por favor; é que estou escrevendo isso do meu trabalho e espero uma ajuda, uma direção antes do dia 19/05. Do vosso conservo, Presbítero ___________________________________________ Meu amado amigo: Graça e Paz! E se eu disser a você que sua esposa me escreveu dizendo que teve um encontro com um irmão presbiteriano, e que ele a quis assim mesmo, apesar dela dizer que você é um homem bom, e que ela não pretende se separar de você?! E que ele respondeu que não tem nenhum problema, pois, de fato, ele está carente de mulher e só de sexo, e que ela não precisa se preocupar, visto que ele não vai “pegá-la” ela muitas vezes, mas apenas o suficiente para matar a “fome de sexo”—dele e dela? Sim, o que você faria? Como reagiria? A perdoaria? Especialmente se soubesse que ela teve um mês e meio para pensar no assunto, e que evitou você ainda mais... simplesmente porque estava louca de desejo pelo cara? Responda a estas perguntas e decida baseado no que Jesus disse: O que queres que o outro a faça a você, faça você, antes, a ele (a); pois este é o Evangelho! Na minha maneira de ver você não escreveu querendo ajuda para não ir, mas sim uma justificativa para ir; já que além de dizer que não tem forças; e além de definir esta estação como “Mara” I(águas amargas; pra você nem tanto!); você entrou logo no tema que mais lhe interessa: E depois? Como fica? E na Graça; como é? Etc... Ora, quem faz essas perguntas já está querendo saber como será o tratamento depois de haver decidido saltar do precipício! Na verdade, não tenho nada a dizer a você; pois nunca premeditei o que me aconteceu. Portanto, não conheço essa experiência de premeditação; além de que também penso que a Graça não tem Graxa para alisar nenhuma deliberação nossa. Assim, se você for, somente você saberá como será tal inferno; posto que a Graça é favor imerecido; mas não é favor premeditado por nós contra nós e contra o próximo! Sinceramente, tudo isto é muito estranho. Sim, uma mulher que “procura e acha” você no Skipe, que conversa, que diz ser Batista, que sabe que você é casado, que avisa que não vai ser um caso longo, e que, para ela, é fruto de abstinência sexual (afinal, era muito ativa a vida dela, e agora está há 1 ano sem transar!); mas que diz querer você assim mesmo, para um alívio... Em minha opinião essa irmã está numa situação pior do que a da puta, pois, esta, vai pela paga, mas a sua irmã batista vai pela sacanagem do sexo pelo sexo; e sem querer saber as consequências em sua vida. Não sou desses simplismos; mas, para mim, isto é coisa do diabo! Leia Proverbios 6 e 8 e veja como tais mulheres carregam a morte como pingente! Portanto, sugiro-lhe o seguinte: 1. Leia aqui no site uma Reflexão sobre Tentação. Está na primeira página, em Novidades. Leia e medite! 2. No dia 19 convide sua mulher para ir ao motel com você. Só vocês dois, é claro. E faça com ela tudo o que você faria com a irmã batista com síndrome de abstinência. Aliás, tome o habito de levar sua mulher ao motel; e faça isto mesmo que ela diga que não é lugar de crente; pois, se não é lugar de crente, só não o é porque os casais crentes já não sabem, também, ser amantes. 3. Envie a minha carta para a sua amiga e diga a ela para me escrever; pois, com todo amor e carinho quero ajudá-la. Também procure aqui no site as Cartas “O que faço para ter sexo bom com minha mulher?”; e também “Ainda tenho vergonha de beber do cálice”. Isto apenas para começar. O mais... nesse caso... é fugir! Diga a ela que não haverá nada; e também pare de se corresponder com ela; pois, do contrário, mais cedo ou mais tarde, vocês acabarão na cama! E o que acontecerá depois, nem do diabo sabe. Mas com certeza, ainda que haja perdão, as seqüelas serão horríveis em sua consciência. Da próxima vez que me escrever, me fale de sua esposa, de como ela é, de como vocês se casaram, etc... Hoje não é o dia 19 ainda, mas é o Dia Chamado Hoje; e, nele, se você ouvir a Voz, não endureça o seu coração! Um beijão; e todas as minhas orações! Nele, que venceu as tentações por nós e que se compadece de nossas fraquezas nos dando a força da Graça que vem da gratidão do perdão recebido, Caio