Português | English

Opinião

PERGUNTAS DE UM REPÓRTER PARA MIM

PERGUNTAS DE UM REPÓRTER PARA MIM




Um breve contexto histórico:

Respondendo à pergunta de um repórter, o rev. Caio Fábio não faz uso de nenhum expediente senão o da crua análise realista que o momento requeria. O PT acabara de perder a aura de 'virgem imaculada'. Primeiramente, Caio faz uma equivalência. Afinal, que partido nunca pecou? "Todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus." O PT fez o que todos fizeram antes dele.

Mas há uma diferença. O pastor relativiza as coisas. Uma coisa eram os crimes dos 'donos' do poder. Sim, gente escolarizada, com títulos de posse, com 'know how' histórico, para quem o Estado é quase propriedade por usucapião. Para quem, roubar é quase um direito adquirido. Outra coisa são os novatos, com alta demanda reprimida, sem muitos traquejos com os esquemas e cônscios da emergência dos saques com o risco do playground voltar para mão de seus "donos".

Assim sendo, a ação do PT tende a ser ultrapredatória. O reverendo diz então o que pensa sobre isso e sugere qual seriam as possíves saídas para o partido desse imbróglio chamado mensalão.

 

Dilson Cunha



...............................................



PERGUNTAS DE UM REPÓRTER PARA MIM

Não digo quem, pois, ele falará mais do o que aqui digo. Portanto, quando a matéria for divulgada, direi o site no qual ela vier a ser veiculada.

Caio

____________________________________________________________

 

1. Como é sua atuação ministerial hoje?

 

Resposta:

A de sempre. Eu prego, aconselho, oro com pessoas, respondo cartas, ensino a Palavra, escrevo livros, artigos, textos, gravo programas semanais para a televisão em Brasília, viajo atendendo convites de amigos (sou muito seletivo nisto hoje), etc... O que mudou é que saiu o “peso morto”. Isto porque, já em 1994, eu me perguntava: “Por que eu tenho de ter quase 400 funcionários, e um monte de sub-contratados, e esse arsenal imenso de “ministérios”, se eu sei que com apenas 25 pessoas, no máximo, eu posso realizar muito mais pelo meu verdadeiro ministério, que é apenas pregar e ensinar o Evangelho?” Mas se por ministério se fala também acerca de meus “compromissos de trabalho”; então, eu diria o seguinte: Prego em média duas vezes por semana no Caminho, em Brasília (Plano Piloto e Taguatinga). Prego uma vez por mês na Catedral do Rio e em Anápolis. E falo em eventos que acho significativos ou afetivamente importantes para mim. Convites chegam aqui aos montes, diariamente. Mas como tenho dito muitas vezes, não sinto que atender tais convites seja minha prioridade. Isto porque, por menor que seja aos olhos de alguns, eu vejo meu trabalho no www.caiofabio.com como tendo muito mais importância do que muita coisa “grande” que eu já fiz na vida. E sei que o tempo provará isto. Além do mais, estamos abrindo novas “Estações do Caminho da Graça” em outras cidades; assim como estamos nos preparando para ter um link permanente de videoconferência com tais “Estações do Caminho”, mediante o qual (o link) poderei falar, simultaneamente, em base diária, com todos esses pontos de divulgação livre e informal do Evangelho da Graça. No mais, atendo muita gente, tanto pessoalmente, quanto também através do MSN; como também respondendo dezenas de cartas por dia, algumas das quais colo no meu site. É isto que faço, e é assim que vivo. O mais é “ócio criativo”.

 

 

2. Qual a sua avaliação crua da crise política atual?

Resposta:

Minha avaliação é do óbvio. Todos já sabiam de tudo, o tempo todo: eu, você, a mídia, os deputados, o país inteiro. Não há partido político neste país que não pratique o que aí está sendo denunciado como novidade. Conheço gente de todos eles, e sei que é assim que fazem.

A diferença é que uns são mais finos, experientes, bem assessorados, escolados, PHDs em lavagem de dinheiro, armados de esquemas mais que profissionais. Já o PT, pela falta do habito de governar, levou para dentro do governo aquilo que já era um procedimento eleitoral e de campanha. Sinceramente é isto que penso.

Digo isto porque sei que é assim. E tenho certeza do que digo. Como também sei que lá dentro havia “níveis”, clearence, para se ter acesso a certas coisas. Vi coisas que uns sabiam e que outros não sabiam. Acho que no tempo das campanhas presidenciais o PT acabou entrando sutilmente no esquema. Mas creio que na última eleição, com a certeza da vitória, muita gente os procurou, e o caixa engordou como nunca. E como petista também é pecador e carente da gloria de Deus, a festa libertina começou, especialmente no escalão que obedecia o cardinalato que cercava o Presidente, e deles para baixo, mas não tão pra baixo, lugar onde ainda residem os sinceros do PT.

Creio que Lula soube de muitas doações e do estado geral do Partido, por dentro (Caixa 1) e por fora (Caixa 2). Mas também creio que a Presidência o afastou muito rapidamente de tais interesses e procedimentos. Acredito que Marcos Valério é apenas o sujeito que já vinha fazendo as coisas, e que, com a vitória, cobrou os louros de agora se beneficiar mais diretamente, enquanto fazia a provisão de recursos para o Mensalão e outras coisas.

Também penso que isto se deu no nível máximo do José Dirceu. Ou seja: acredito que não há santos nesta história. Todavia, sei que se se fizesse uma devassa total, para trás também, se descobria que assim como Collor era um otário perto das atuais evidencias que se acumulam contra o PT, também se verificará que a crise atual é ainda menor do que aquela que o profissionalismo dos partidos que governaram nos últimos anos praticaram; especialmente na época das privatizações.

Quanto ao penso que o Presidente deveria fazer, tenho deixado clara a minha opinião: Penso que ele deveria renunciar às próximas eleições; e, assim, criar uma “agenda nova”; forçando assim o Congresso a votar a Reforma Política sem a qual apenas teremos CPIs after CPIs... Sei que a oposição não quer o “impedimento” do Lula (daria trabalho, conturbaria o país, falta pouco pra acabar, é melhor vê-lo agonizar e morrer para sempre, etc...). Os adversários dele preferem vê-lo fazendo o que ele está fazendo: relativizando as coisas, e, caindo no engano de “alinhar versões” com aqueles que armaram todo esse trambique em razão do qual ele hoje vive os piores dias de sua existência.

Oro a Deus pedindo que dê a ele uma consciência maior que a Política, e que o faça tomar as decisões que somente uma ética fundada no Evangelho poderia determinar como ato. Do contrário, eu creio que irão descobrir mais e mais coisas, e que ele não será “impedido” legalmente, mas será, por outro lado, impedido na pratica de ser o Presidente que ele sonhou ser. Nessas horas a sabedoria ensina que a melhor sobrevivência é a morte. Ou seja: quando a existência nos põe em situações deste tipo, o que nos salva é morrer, é ser capaz de renunciar, de abrir mão de coisas, e, paradoxalmente, à semelhança do Administrador Infiel da Parábola de Jesus, “conquistar” amizades nos céus e na Terra. Eu, pessoalmente, lamentaria muito se o Lula chegasse ao fim do seu governo apenas fazendo Campanha de Defesa. Mas se ele fosse capaz de limpar tudo, fazer as reformas, governar com o altruísmo dos que buscam o que é melhor para o povo, então, eu creio, ele não apenas ainda faria um grande serviço à nação, como também ainda voltaria, nas eleições subseqüentes, com muito mais experiência, sem Delubios, sem Silvinhos, sem Valérios, sem os Genuínos, sem os Dirceus, e sem um monte de outros, os quais, sonharam tanto com o poder, que, ao chegarem lá, ficaram de porre.

Sim, defino este momento político como um porre. Pode até ser que o Presidente beba muito, conforme se diz. Mas quem fica de Porre são seus assessores. Na maioria dos casos, nos outros partidos, a maioria toma porres muito maiores, e se serve de bebida muito mais forte e densa, e nem de ressaca eles ficam; pois são “profissionais da noite”. O PT saiu de casa cheio de prosa e caiu depois do primeiro trago. Bom para o PT. Já pensou se passasse ileso e se acostumasse?

Acima de tudo, creio que o Brasil é maior do que isto tudo. O que apenas temo é que o povo comece a sentir saudade de governos austeros, e, assim, abra-se o espaço para uma liderança de perfil fachista no poder. Por último, o que creio é que se se desejasse mesmo, se poderia aproveitar esta hora e limpar muita coisa. E, como disse, na minha opinião, nesse quesito corrupção, o PT é um bobão que foi apanhado ainda em estado de adolescência perversa. Tem 25 anos de idade. Mas como ficou em casa discutindo ética, quando saiu para a primeira noitada, acabou enchendo a cara. No entanto, o Congresso do Brasil está de porre. Porre dos que fizeram esta última festa de arromba. E porre dos Profissionais das Festas de Arromba, e que, com muita lisura e cera em suas caras de pau, impingem a si mesmos total auto-engano, vestem suas togas, e babam como paladinos da ética contra os atuais ladrões da Republica.

Mas está na hora desse circo todo pegar fogo, pois, se alguns de seus mais antigos “performers” continuarem, tudo ficará pior; posto que sem um PT às antigas, a Casa ficará entregue às raposas, e Heloisa Helena, Jéferson Perez, Suplicy, Saturnino e outros poucos, não têm o poder de impedi-los.

A Hora, portanto, é de limpeza. E somente um Lula livre de ter que se reeleger teria o poder de levar a coisa até o fim, tanto para dentro das atuais acusações, como também vir a explicar a nação porque os temas das privatizações ficaram de súbito esquecidos, se, como se sabe, foram inapelavelmente graves, e ele mesmo me dizia isto.

Caio