Português | English

A Mente de Paulo

PAULO E SUA ESTRANHA HERMENÊUTICA

PAULO E SUA ESTRANHA HERMENÊUTICA

 

Leitura recomendada: Salmo 19 e Romanos 10

Paulo cita o salmo 19 em relação ao fato de Deus se comunicar livremente com os seres humanos através de Sua revelação mediante Voz do Espírito na criação.

É privilégio humano anunciar as Boas Novas. São formosos os pés dos que carregam essa notícia da Graça de Deus pelos montes e vales do planeta.

Mas Deus não está encurralado na “boa vontade” dos humanos!

Ele está presente e não está calado!

Seu Espírito sopra onde quer e revela a Graça de Deus de modos diversos onde nunca ninguém ouviu dizer Seu Nome só-letrado.

Quem quiser me julgar equivocado Hoje, não aguardará muito para saber que não estou errado.

Dentro de poucos anos — no máximo 50 ou 60, os jovens de hoje já estarão na eternidade —, todos os que hoje me lêem ficarão sabendo que falo com a certeza de quem não duvidou jamais. E assim falo apenas porque pela Graça de Deus sei que assim é!

Será um desperdício se tiverem que esperar a eternidade para saber que aquilo que a Palavra diz é verdade!

A menos que Paulo tenha cometido “violências” contra os contextos dos textos da Escritura que usa e cita, não é possível deixar de ver que a “conclusão” incide sobre o seguinte:

1. O que a Escritura disse, é o que ela disse conforme o texto de onde a “citação” de Paulo foi “retirada” no V. Testamento.

2. O que Paulo diz acerca do que estava dito, não era uma violência e nem uma “manipulação” do texto original, mas a tranqüila certeza acerca do que anunciava, sem as ginásticas dos “interpretes” autorizados pelas seitas da religião.

Se desvincularmos o texto original usado pelo apóstolo de seu aplicativo no texto escrito por ele, teremos que considerar Paulo um teólogo ruim, conforme os critérios usados para “fazer” teologia e ler a Escritura nos meios acadêmicos da cristandade.

Se usarmos os “nossos” critérios Paulo estará cometendo um crime “hermenêutico”, conforme o entendimento dos mestres da “igreja”.

Os exemplos seriam inúmeros, mas tomemos apenas o salmo 19 para iniciar um processo de angustia que estou apenas iniciando a colocar para quem ainda não virou avestruz e enfiou de vez a cabeça no buraquinho da “teologia” dos meninos nervosos e desocupados.

Os teólogos sempre lêem a citação do salmo 19 em Paulo completamente “divorciada” de seu contexto no salmo “em-si”, que fala de como o Espírito dá testemunho de Deus mediante a criação, que proclama a glória de Deus!

Além disso, também lêem o salmo em total dissociação do próprio texto em Romanos — assim como lêem o de Romanos em dissociação ao salmo 19!

No texto de Romanos a seqüência da passagem de Paulo é reforçada pelo contexto antecedente; e que nos remete também para a liberdade de Deus de se revelar aos seres humanos como bem entende.

O centro da criação é a Cruz!

Em Cristo tudo subsiste!

“Por toda a terra se faz ouvir a Sua Voz, e as Suas palavras até aos confins do mundo”.

Onde isto no leva?

Um dia desses conto a quem quiser saber. Por enquanto quero apenas estimular você a pensar honestamente por você mesmo!


Caio

18/09/03