Português | English

A Mente de Paulo

PAULO: PROFETA DO QUE NÃO SONHOU!

PAULO: PROFETA DO QUE NÃO SONHOU!

 

 

 

 

 

 

PAULO: PROFETA DO QUE NÃO SONHOU!

 

 

 

 

 

 

Quisera eu me suportásseis um pouco na minha loucura! Suportai-me, porém, ainda. Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo. Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há em Cristo. Porque, se alguém for pregar-vos outro Jesus que nós não temos pregado, ou se recebeis outro espírito que não recebestes, ou outro evangelho que não abraçastes, com razão o sofrereis.

 

Porque penso que em nada fui inferior aos mais excelentes apóstolos. E, se sou rude na palavra, não o sou contudo na ciência; mas já em todas as coisas nos temos feito conhecer totalmente entre vós.

 

Pequei, porventura, humilhando-me a mim mesmo, para que vós fósseis exaltados, porque de graça vos anunciei o evangelho de Deus?

 

Outras igrejas despojei eu para vos servir, recebendo delas salário; e quando estava presente convosco, e tinha necessidade, a ninguém fui pesado. Porque os irmãos que vieram da Macedônia supriram a minha necessidade [ver mapa]; e em tudo me guardei de vos ser pesado, e ainda me guardarei.

 

Como a verdade de Cristo está em mim, esta glória não me será impedida nas regiões da Acaia.[ ver mapa]

 

Por quê?

 

Porque não vos amo?

 

Deus o sabe!

 

Mas o que eu faço, o farei para cortar ocasião aos que buscam pretexto de que naquilo em que se gloriam, sejam achados assim como nós. Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo. E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça; o fim dos quais será conforme as suas obras.

 

Outra vez digo: Ninguém me julgue insensato, ou então recebei-me como insensato, para que também me glorie um pouco.

 

 

 

 

As palavras de Paulo na 2ª carta aos Corintios [capitulo 11], são proféticas; isso quando as lemos de hoje para trás; pois, o que Paulo temia, veio a se cumprir de modo mais efetivo do que aquilo com o que ele sonhara.

 

Aliás, tudo o que Paulo advertiu em seus textos e falas, e que para nós aparecem como as durezas de Paulo, na realidade acabaram por se tornar os vaticínios mais realizados do apóstolo.

 

Bem que Paulo gostaria que tivesse sido diferente. No entanto, é justamente aquilo que ele adverte que veio a se tornar mais passível de comprovação histórica.

 

Afinal, raramente se vê marcas do que Paulo chamava de “andar em Cristo” na Igreja que se vê, mas, em contrapartida, todas as suas advertências acabaram por se cumprir em escala global; e isso a partir de dentro da “igreja”.

 

Ou seja: o que Paulo disse que era - não se quis provar; mas tudo o que ele disse que não deveria ser para nós, isso quisemos encarnar e assimilar.

 

Em Gálatas 5:15 Paulo diz que crentes judeus legalistas que viviam perseguindo os crentes gentios a fim de faze-los viver sob a lei dos judeus, dizendo que se não se circuncidassem não seriam salvos, deveriam mutilar a si mesmos, já que gostavam tanto de ver operação de fimose litúrgica, no ato da circuncisão.

 

Ora, esse espírito da auto-mutilação física, psicológica e espiritual, foi o que veio a prevalecer.

 

Paulo diz:

 

Já estais fartos! já estais ricos! Chegastes a reinar sem nós!

 

Ora, o abandono da Palavra em razão da busca de novidades e moveres, os de hoje e os de sempre, infalivelmente anunciam o fato do distanciamento da “igreja” em relação ao ensino apostólico.

 

Paulo também disse a eles o seguinte, referindo-se aos encontros e cultos deles:

 

Nisto, porém, que vou dizer-vos não vos louvo; porquanto vos ajuntais, não para melhor, senão para pior [1 Coríntios 11:17].

 

E quem pode dizer que os “cultos” não são quase sempre, desde que se deixou a centralidade de Jesus na consciência, verdadeiras usinas de doença?

 

Paulo também disse:

 

Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel [1 Timóteo 5:8].

 

Quando vejo a desafeição de pais e filhos ser ungida como generosidade entre os cristãos, apenas porque o ser sem afeto dá dinheiro na “igreja”, não posso deixar de pensar que mais uma advertência de Paulo se tornou mais efetiva do que sua proposta de amarmos os de nossa própria casa.

 

Paulo também disse:

 

Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados [2 Timóteo 3:13].

 

E mais:

 

Foge das contendas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, que pensam que a piedade seja causa de ganho; aparta-te dos tais [1 Timóteo 6:5].

 

Mais:

 

Aos quais convém tapar a boca; homens que transtornam casas inteiras ensinando o que não convém, por torpe ganância [Tito 1:11].

 

Ora, manipulação, ganância e avidez por poder, são as marcas mais distintas da história do Cristianismo.

 

Assim, mais uma vez se comprova que preferimos quase sempre um bom engano do que a verdade.

 

 

 

Caio

 

 

22 de agosto de 2008

Lago Norte

Brasília

DF