Português | English

A Mente de Paulo

O SIGNIFICADO DE “ENTENDIMENTO” PARA PAULO

O SIGNIFICADO DE “ENTENDIMENTO” PARA PAULO



Entendimento Espiritual é a expressão que melhor designa o que Paulo deseja expressar como Consciência do Evangelho.

De fato, todos os demais termos—como conhecimento, sabedoria, ciência, e compreensão—não carregam a força sintética dessa expressão, e nem condizem tão amplamente com o que a Consciência do Evangelho significa.


Entender em fé, de fato, é mais que conhecer, saber, compreender, e ter ciência.


Entender em fé é mais profundo porque remete o entendimento que é, para o si-mesmo, que é no indivíduo.


Entendimento é entender; e entender é um "cair em si", ou ser-em-si-mesmo. Entender é, portanto, um tender-em-si-para-si; e isto se estabelece como consciência, não necessariamente também como ciência, compreensão, e conhecimento, ou até mesmo como uma sabedoria explicável em provérbios.


O entendimento espiritual é um lugar-existencial-de-ver. É uma convergência para a essência das coisas, e que passa a ser esse lugar-visão, de onde tudo o mais é visto, percebido, discernido e examinado. Sim, tudo o mais é visto pelo e com o Entendimento.


Desse modo, temos que admitir que quem quer que tenha Entendimento Espiritual na Graça de Deus, conforme a Consciência do Evangelho, nunca mais poderá dizer que está “isento”, visto que ele está irremediavelmente cativo de um lugar-visão que é, agora, não um dado ou uma informação; mas sim um ser-sentir-ver-discernir; acabando, portanto, conscientemente, o auto-engano da “isenção”.


Todavia, como o Entendimento Espiritual só acontece como encontro com a Verdade como Confiança Visceral, o tal não teme qualquer que seja a exposição a nenhuma forma de saber, mesmo que seja “toda a ciência dos egípcios”, ou dos “babilônios”, pois, uma vez tendo-se o Entendimento, todas as demais coisas são julgadas espiritualmente por ele.


Daí também o homem espiritual não ser entendido pelo homem natural; pois as coisas que o Homem Pneumatico diz e vê, só se discernem espiritualmente, diferentemente do Homem Psiquico.


E para se ter esse Entendido não se precisa de QI ou QE elevados. O Entendimento não compete em nenhuma área, e não se mostra se não como Existência; e na existência sua maior marca é amor e paz.


Entendimento Espiritual, em Paulo, é ver as coisas com a mente de Cristo. E, para Paulo, a mente de Cristo é o ethos, e é o conteudo do Evangelho da Graça de Deus. Para ele, quando alguém passa a olhar a vida, a si mesmo, ao mundo, ao próximo, e todo o Universo que ele discirne, com esse olhar; então, é porque o Entendimento Espiritual o possuiu.


O resto é crescimento para o Entendimento que excede todo entendimento, e que nem por causa disso não é Entendido; só não é, muitas vezes, referível, visto que os termos e expressões do homem, não são adequados a tal percepção.


O Verbo é mais que todos os verbos!


Além disso, o Entendimento obedece uma única lógica: a do amor, que se manifesta para os homens como Graça; portanto, ele obedece a Lógica da Loucura, visto que o Evangelho é Loucura.


Assim, o Entendimento só acontece como fé em meio ao Paradoxo!


E o primeiro passo nesse Caminho do Entendimento Espiritual para um cristão é, de saída, reconhecer e confessar que ele não é cristão; e também que jamais possuirá por si mesmo o Entendimento.


O Entendimento Espiritual me remete logo para a Revelação como Culpa e como Graça; visto que o Entendimento vem da Iluminação da Palavra, e que se infiltra nas entranhas do ser de tal modo que eu sou eu, mais sei que há algo em mim que é sempre maior que eu, e que me cativa como o mar faz com os peixes.


O Entendimento é o Mar. Eu sou o peixe. O peixe não tem o Mar. O Mar, porém, tem o peixe. Assim, eu só Entendo porque creio que vivo no Ambiente onde tudo é Entendimento. Nesse ponto Mar e Peixe virão uma coisa só.



Caio



Escrito em 2004