Português | English

Opinião

EXISTIRIA GRAÇA PARA ARRUDA E PO?...

EXISTIRIA GRAÇA PARA ARRUDA E PO?...

 

EXISTIRIA GRAÇA PARA ARRUDA E PO?...

 

 

O Governador Arruda está preso e não conseguiu a liminar que lhe tiraria da prisão na Polícia Federal.

Entretanto... [...] Existe Graça de Deus para o Administrador Infiel [Lc 16 – leia].

Por isto pode existir Graça de Deus para o Arruda. Para ele e para o PO, que é o Paulo Otávio; que é “crente” da Dona Sarah Kubitschek Nossa Terra, do Bispo e hoje não tão amigo dele, Robson Rodovalho.

Veja sobre Dona Sarah: Sarah Kubitschek - Wikipédia, a enciclopédia livre

Sim, existe e existiria Graça de Deus para Arruda e o PO se pelo menos eles se tornassem Administradores Infiéis.

O problema é que é preciso ter uma dignidade bandida que aparentemente neles não existe.

Jesus introduziu o tema da Graça de Deus sobre os seres em estado de erro produzido pela malandragem no uso do que é dos outros, quando disse o que “fez” o Administrador Infiel uma vez que fora entregue por algum “Durval” ou apanhado em algum flagrante irrefutável.

Na Parábola que Jesus conta usando o tema da gestão corrupta e malandra [Lc 16], aparecem algumas espertezas no Administrador Infiel que sempre que aparecem tornam digno até o corrupto.

E que qualidades de “bom” Administrador Infiel são essas?...

1. O Administrador Infiel reconheceu que havia sido definitivamente pego pela inescusabilidade dos fatos que ele conhecia melhor do que ninguém. Portanto, Jesus diz que o Administrador Infiel reconheceu que era o fim, e que não havia desculpas a oferecer como justificativas ou defesas. Um corrupto que reconhece a inescusabilidade da corrupção já andou metade da jornada diante de Deus. O Culpado que será perdoado por Deus [não necessariamente pelos homens], terá que dizer ao que busca fuga e evasão da verdade e da justiça o mesmo que o Malfeitor Arrependido disse: “Nós na verdade com justiça [...], pois estamos pagando pelo que os nossos atos merecem. Mas Este [Jesus] nenhum mal fez”.

2. O Administrador Infiel ainda tinha vergonha na cara. E, portanto, considerando suas alternativas, reconhecendo que tinha vergonha de mendigar e que não sabia trabalhar na terra, decidiu diminuir o impacto das suas ações, buscando granjear o respeito das pessoas antes de deixar seu posto para sempre. Portanto, ao invés de apelar para “expedientes”, simplesmente assumiu que não saberia viver e ainda carregar vergonha sobre a existência. Assim, considerando que o mal passado já estava feito, decidiu fazer o melhor que pudesse do que lhe restava como Presente.    

3. O Administrador Infiel não discutiu sua condição, mas apenas decidiu agir fazendo o bem aos outros, na expectativa de ganhar misericórdia no futuro. Portanto, ao invés de ganhar seu último ágio e benefício no “superfaturamento”, ele abriu mão desse poder; e, ao invés disso, decidiu fazer os credores pensarem que a diminuição no preço que era “devido”, havia sido baixado, quando, na realidade, o Administrador Infiel apenas tirara do montante o over price que cobrava.

4. O Administrador Infiel cria que era melhor confiar no discernimento e na piedade dos bons seres humanos, e até de anjos, agindo com a malandragem santa dos bandidos em processo de conversão; os quais fazem dos males o menor; e saem de seus lugares de corrupção sem oferecer resistência; antes pelo contrário, fazendo o bem como semeio da misericórdia.

Por isto o “senhor” do Administrador Infiel elogiou o homem que o vinha defraudando. Sim, pois não havia como mudar o passado, porém o homem diminuíra as perdas presentes do seu senhor, ao mesmo tempo em que manteve o povo grato ao ex-patrão e a ele próprio, que para todos tinha deixado um legado de “preços mais baixos” [embora ele tivesse apenas tirado o ágio pessoal que ele antes adicionara à cobrança].  

Se o Arruda e o PO fossem apenas Administradores Infiéis já estaria ótimo!

O problema é que pelas atitudes deles, mesmo depois de todos os flagrantes, não mostram nenhum sinal que nos faça supor, ainda que de longe, a chance da conversão dos Corruptos Tenazes em Administradores Infiéis arrependidos.

 

Nele, conforme o espírito que leio no Evangelho,

 

Caio

12 de fevereiro de 2010

Lago Norte

Brasília

DF