Português | English

Clássicos

Caruso

Caruso

Enrico Caruso

Começarei uma série com exemplos dos que considero serem os melhores cantores líricos gravados, e não é possível começar essa série sem falar de Enrico Caruso.  Primeiramente porque ele sem dúvida está entre os maiores artisticas líricos de todos os tempos, e em segundo lugar porque ele foi o primeiro artista a usar amplamente da difusão de material gravado para se tornar mundialmente conhecido, suas gravações também mostram claramente as mudanças que aconteceram em sua forma de abordar a voz.

Tanto sua técnica vocal quanto essa forma mais viril de cantar marcaram de tal forma a história do canto lírico que podemos dizer que praticamente todos os cantores posteriores de alguma forma são seus herdeiros e devedores.  Sua forma de cantar é uma junção perfeita da elegância da forma de cantar dos séculos XVIII e XIX, chamada de Bel Canto e do som mais heróico, ardente e emocionante que começou a se esperar no final do século XIX e inicio do século XX com o chamado Verismo.

Sua origem napolitana pode ser apreciada nessa triste canção folclórica:  "Fenesta che lucive"

Em seguida um exemplo dele cantando uma das mais famosas árias de ópera, "La donna è mobile" do Rigoletto de Verdi

Caruso cantando uma música popular napolitana "Tu ca nun chiagne"

Cantando a ária "Vesti la Giubba" da ópera Pagliacci de Leoncavallo, em 3 diferentes versões, podendo se ouvir a evolução de seu timbre.

Finalmente, sua última gravação.  "Crucifixus" da Pequena Missa solene de Rossini.

 

Ciro d'Araújo, 22 de Maio de 2009

ciro@caiofabio.com