Português | English

Informativo

SEM ABOBRINHA!

SEM ABOBRINHA!

Gente amada!

Não posso, em cada resposta que dou, repetir tudo o que já disse aqui no site, e que está disponível para quem não é preguiçoso.

O que acontece é que alguém lê uma carta minha que foi enviada a ele (a) por um amigo, ou entra no site e lê uma carta—como a que respondi há pouco sobre o jovem que quer casar, mas não quer a festa, nem o cartório e nem a cerimônia, apenas por enquanto, e por razões dele—, e imagina que tudo o que eu penso sobre o assunto é “aquilo ali”, e me escreve pedindo explicações. Ora, procure a explicação. Está aqui no site para quem não tem preguiça de ler e pesquisar.

Então, eu que escrevo aqui pensando em algo amplo e que se completa com milhares de outras coisas aqui já ditas, e que estão disponíveis para quem deseja ler, mas fico recebendo cartas que perguntam sempre as mesmas coisa, ou que me questionam como minha resposta pôde não incluir outras coisas.

Ora, quem quiser saber o que eu penso, deixe a preguiça de lado, e leia. No entanto, não responderei mais cartas de quem diz que um amigo deu meu e-mail para a pessoa me contar um problema. Quando vir que a pessoa está querendo que eu repita pela milésima vez o que já foi dito mil vezes, não irei responder.

Assim, por favor, não me escreva antes de esgotar o site. É muito chato ficar mandando as pessoas lerem o que já está dito. Mas parece que as pessoas não querem saber o que possa ser a verdade; querem é receber uma carta minha. Ora, infelizmente, não posso atender a tais demandas, pois é inumano.

Desse modo, se você não receber logo uma resposta, suspeite que pode ser porque já está respondido, só não tem o seu nome na resposta.

Também não peça para que as pessoas me escrevam. Ajude você a pessoa a encontrar no site o que pode lhe ser útil.

O site está aí—e feito com todo amor—para ser lido. Não para que a pessoa entre no Fale Comigo e me escreva qualquer coisa, sem se dar ao trabalho de ver se aquilo já foi tratado e respondido.

Esta foi a razão pela qual mandei fechar o Fale Comigo outra vez: ver se as pessoas se tocam, vencem a preguiça, e encontrem suas próprias respostas.

Se não houver nada mesmo, então, me escreva. Mas, por favor, não antes disso.

E para saber o que há, basta fazer uma “pesquisa” aqui mesmo, no site, em qualquer dos links. Basta escrever o nome, ou o tema, ou uma palavra, e o site mostrará onde, nele, há aquelas questões e suas respostas.

Espero que você entenda!


Nele,


Caio