Português | English

Devocionais

PAU QUE NASCE TORTO NÃO MORRE TORTO

PAU QUE NASCE TORTO NÃO MORRE TORTO

PAU QUE NASCE TORTO NÃO MORRE TORTO

 

Essas crônicas da intervenção de Deus na história dos seres humanos são crônicas de amor e de misericórdia.

O texto diz assim:


Tinha Manassés doze anos de idade quando começou a reinar e cinqüenta e cinco anos reinou em Jerusalém.

Fez o que era mau perante o SENHOR, segundo as abominações dos gentios que o SENHOR expulsara de suas possessões, de diante dos filhos de Israel. Pois tornou a edificar os altos que Ezequias, seu pai, havia derribado, levantou altares aos baalins, e fez postes-ídolos, e se prostrou diante de todo o exército dos céus, e o serviu.

Edificou altares na Casa do SENHOR, da qual o SENHOR tinha dito: Em Jerusalém, porei o meu nome para sempre. Também edificou altares a todo o exército dos céus nos dois átrios da Casa do SENHOR, queimou seus filhos como oferta no vale do filho de Hinom, adivinhava pelas nuvens, era agoureiro, praticava feitiçarias, tratava com necromantes e feiticeiros e prosseguiu em fazer o que era mau perante o SENHOR, para o provocar à ira.

Também pôs a imagem de escultura do ídolo que tinha feito na Casa de Deus, de que Deus dissera a Davi e a Salomão, seu filho: Nesta casa e em Jerusalém, que escolhi de todas as tribos de Israel, porei o meu nome para sempre e não removerei mais o pé de Israel da terra que destinei a seus pais, contanto que tenham cuidado de fazer tudo o que lhes tenho mandado, toda a lei, os estatutos e os juízos dados por intermédio de Moisés.

Manassés fez errar a Judá e os moradores de Jerusalém, de maneira que fizeram pior do que as nações que o SENHOR tinha destruído de diante dos filhos de Israel.

Falou o SENHOR a Manassés e ao seu povo, porém não lhe deram ouvidos. Pelo que o SENHOR trouxe sobre eles os príncipes do exército do rei da Assíria, os quais prenderam Manassés com ganchos, amarraram-no com cadeias e o levaram à Babilônia.

Ele, angustiado, suplicou deveras ao SENHOR, seu Deus, e muito se humilhou perante o Deus de seus pais; fez-lhe oração, e Deus se tornou favorável para com ele, atendeu-lhe a súplica e o fez voltar para Jerusalém, ao seu reino; então, reconheceu Manassés que o SENHOR era Deus.

2 Crônicas 33:1-3

* * *

Todos os dias eu encontro pessoas que me dizem que não acreditam que a vida humana pode mudar. Gente que acha que alguns erros têm consertos, alguns pecados têm perdão, alguns desencontros podem ser acertados, alguns equívocos podem ser corrigidos; mas há alguns pecados, alguns erros, alguns desencontros e alguns equívocos que estão para além da chance de serem remediados. 

Eu vejo a toda hora pessoas que se encontram comigo pelo Brasil afora, especialmente gente de nível intelectual mais elevado, ou gente que se respeita a si mesmo mais do que deveria se respeitar e considera a si mesma mais do que deveria se considerar, que me diz o seguinte:

— Será que você acredita que alguns daqueles presos, que estão encadeados no presídio de Bangu I, lá no Rio de Janeiro, têm cura e têm jeito? 

Já ouvi uma determinada pessoa extremamente eminente no país dizer-me o seguinte:

— Não perca seu tempo, Reverendo Caio; aquelas pessoas cruzaram uma linha para além da qual não há mais retorno. Não há mais volta.

E quando eu digo a eles que realmente alguns cruzaram essa linha e não querem voltar, mas há alguns outros que estão pedindo a Deus para fazerem o caminho de volta, e alguns estão fazendo, as pessoas não acreditam. Elas dizem:

— Não é possível! A gente não pode entender que algumas ainda possam estar debaixo da possibilidade do perdão, da cura, e da restauração de suas vidas. Essas pessoas já foram longe demais; pra elas não tem mais retorno; vão ter que morrer assim; carregar esse carma, essa desgraça, esse peso da imutabilidade de seus pecados e de suas vidas pelo resto de suas existências. 

Eu insisto no contrário! Porque o Deus ao qual eu sirvo não é uma divindade pagã inflexível, nem é um Alá duro e absolutamente cruel e nem é aquela energia universal dos orientais, que parece que diz que quem nasceu dentro de uma determinada casta, morre dentro dessa casta, ou quem nasceu dentro de uma determinada condição, vai ter que pagar o preço de ter nascido dentro daquela situação o resto da vida.

Não! O meu Deus é diferente!

Foi Ele quem escreveu esta crônica. Esta história aqui foi escrita por Ele. Jorge Amado, cujos textos eu gosto muito de ler, escreve diferente. A Gabriela Cravo e Canela canta: “Eu nasci assim, vou viver assim, vou morrer assim, sempre Gabriela”.

Mas Manassés, se cantasse essa música, estaria perdido, coitado!

Aos 12 anos de idade ele se corrompeu! Na pré-adolescência ele já ficou meio tarado. Começou a fazer experiências espirituais maligníssimas. Começou a brincar com tarô, começou a consultar os espíritos, começou a adorar os astros, começou a praticar a bruxaria, começou a sacrificar animais, começou a invocar espíritos, começou a desejar o mal para os outros; tornou-se agoureiro, bruxo, praticou a magia negra, chegou ao extremo de matar alguns de seus filhos no vale de Hinom, perto das muralhas de Jerusalém, oferecendo-os aos demônios; tornou-se sacrílego, porque pregou ídolos pagãos e os erigiu dentro da casa de Deus, em Jerusalém, profanando o altar do Senhor; misturou o nome de Deus com o nome dos deuses pagãos daqueles dias, provocou a ira de Deus, confundiu o povo; e diz a Bíblia que ele derramou muito sangue inocente, matou, usou, expropriou, molestou, manipulou e destruiu a vida de milhares de pessoas. A tal ponto, que a Bíblia diz que ele fez o que era abominação diante do Senhor.

Agora, veja só:

Eu tenho certeza de que aqui, neste auditório, não há ninguém que tenha feito tudo o que Manassés fez.

Eu sei que tem gente aqui se curvando diante dos ídolos, tem gente fazendo orações para deuses que não são deuses — mas é só!

Há outros aqui que estão consultando espíritos, tentando contato com um falecido, com alguém que possa trazer uma luz, uma instrução para sua vida. Mas, quem sabe, você se limitou a isso.

Há outros aqui que não saem de casa sem ver seu mapa astral para ver como vai ser o dia, como vai ser a semana, como vai ser o mês, e submete a sua vida a essas orientações estelares, a todas essas direções que, supostamente, vêm das energias do cosmo e do universo. Mas é só!

Há algumas mulheres aqui que já fizeram uma mandinga para ver se pegavam um homem pelo qual estavam apaixonadas, e disseram que iam fazer qualquer coisa para ter esse homem na vida. E fizeram!

Há outros aqui que já recorreram a certos trabalhos espirituais especiais para ver se prosperavam no negócio, ou se atrapalhavam o negócio do outro, ou se fechavam a porta para alguém, ou se abriam uma porta para si mesmos.

Mas talvez ainda não tenha havido aqui ninguém que tenha derramado sangue de milhares de pessoas, nem tampouco alguém que, além de fazer isso, imolou seus próprios filhos, oferecendo-os a divindades espirituais.

Mas esse homem, acerca de quem se conta essa história, não fez apenas uma coisa, ele fez tudo junto!

E fez isso a partir de 12 anos de idade; e praticou esses males por quase 50 anos!

Meio século de maldade. Meio século de perversidade. Meio século de alienação de Deus. De dureza. De paganismo. De idolatria. De mente viciada. De escurecimento espiritual. Meio século sob a dominação de forças estranhas, obscuras, malignas. Meio século de entorpecimento de alma, de dessensibilização espiritual. Meio século de uma consciência que já não se culpava mais e se tornou dura, cauterizada, incapaz de perceber seus próprios erros e pecados. Meio século de dureza e de resistência contra Deus. Porque diz a palavra de Deus que profetas foram enviados sistematicamente para falar aquilo que Deus pensava acerca daquele homem, mas ele se endurecera e resistira à palavra de Deus durante décadas.

E não só ele se pervertera e se corrompera, como pervertera e corrompera também toda a sua geração, por causa dos seus atos e por causa da liderança absolutamente perversa que ele exercia.

Agora você pode estar se perguntando:

— O que isso tem a ver comigo?

E eu queria dizer uma coisa a você:

Se Deus perdoou Manassés, ele pode perdoar a Maria, a Renata, o Roberto, o Claudinho, a Sônia, a Cristina, o Eduardo, o Antônio, o Cristiano, a Suzana, o Flávio... Ele pode perdoar você!

O que me espanta nesta história é que depois disso tudo, isso é muito mais do que fazer um aborto, isso é muito mais do que um adultério, isso é muito mais do que um ódio guardado contra alguém, isso é muito mais do que um ressentimento, isso é muito mais do que um equívoco cometido no curso da existência: isso é uma vida Hitleriana; esse homem é o Hitler do Velho Testamento.

É inconcebível que Deus perdoe um sujeito desses. Deus nenhum no mundo perdoa esse homem. Filho nenhum no mundo perdoa esse pai. Esposa nenhuma no mundo perdoa esse marido. Pai nenhum no mundo perdoa um filho que vira um bicho desses.

Aí ele é preso. É levado para a Babilônia, sob ganchos e cadeias. É colocado numa masmorra escura, gelada, fria! Os dias passam, os meses se vão...

A consciência dele começa a experimentar os primeiros reflexos de que não estava ainda totalmente morta. 

Há um tremular da graça de Deus mexendo lá nele, um raio do Sol da Justiça caindo sobre o rosto dele naquela cela escura. Os sonhos dele começam a ser visitados pela perturbação divina, a graça de Deus, insistente, continua a vazar e a minar para dentro daquele porão escuro da alma daquele homem, e um dia ele acorda e se ajoelha ao lado da cama. E diz:

— Oh! Deus! Eu reinei 55 anos... Comecei quando eu tinha 12, hoje eu estou com 67. A minha vida foi uma porcaria. Matei meus filhos, consultei os deuses, servi aos astros, curvei-me diante dos ídolos, tornei-me perverso, derramei sangue inocente! Perdoa-me Deus, perdoa-me!...

Ele fez isso no primeiro dia, ele fez isso no segundo dia, ele fez isso durante a primeira semana, durante o primeiro mês... A Bíblia diz que ele se humilhou, e ele jejuou, e ele clamou, e pediu misericórdia:

— Senhor! Deus dos meus pais!

E a Bíblia diz: E o Senhor se tornou favorável para com ele.

Que coisa esquisita, gente!

É isso que apavora o Diabo. O Diabo não tem medo de nada tanto quanto ele tem medo desse amor de Deus, porque ele sabe que não há nada mais forte neste mundo do que esse amor de Deus, do que essa graça de Deus.

Você perdoaria Manassés se ele fosse seu pai?

Se seu pai fosse Manassés, você o deixaria num asilo, e diria: “O máximo que eu posso fazer é pagar a conta, pra esse desgraçado morrer numa cama acolchoada. Só isso.”

Mas Deus se torna a favor dele!

A palavra que se usa aqui é: O SENHOR SE TORNOU FAVORÁVEL! Significa que  DEUS FEZ FAVOR, DEUS FEZ GRAÇA, DEUS MUDOU DE LADO, DEUS FOI PARA O PARTIDO DELE, DEUS SE ASSOCIOU A ELE, VIROU PARCEIRO DELE.

Eu gosto dessa santa volubilidade do coração divino. Esse Deus que se deixa seduzir pelo quebrantamento humano, pela lágrima humana, pela dor humana, pela consciência esmagada. Esse Deus que muda de lado!

“Eu estava te resistindo, eu estava te enfrentando, eu estava te batendo, mas agora que tu viste onde tu estavas, Eu vou mudar de lado. Eu não sou mais teu inimigo. Agora eu sou teu amigo. Não sou mais teu adversário, agora eu sou o teu salvador. Eu vou andar contigo. E Eu vou te tirar desse buraco. Eu vou te tirar dessa escuridão. Eu vou abrir a janela. Eu vou te mostrar novos horizontes. E tu estás com 67 anos de idade, mas Eu ainda vou te dar a chance de viver como gente. De amanhecer com o coração perdoado. Tu vais ver o Sol nascer sem ser como um bruxo que olha o Sol nascer. Tu vais ver o Sol nascer e vais ver o Sol se pôr como um filho de Deus. Tu ainda vais poder abraçar um neto, dos filhos que restaram. Tu ainda vais poder ser gente, Manassés. Porque a boca do Senhor o disse!”

Veja bem:

Se aconteceu assim com Manassés, pode acontecer contigo, meu querido, minha querida.

O que o Diabo quer é deixar você debaixo da culpa. Esmagado. Quebrado. Achando que não tem jeito. Achando que não tem volta. Achando que você cruzou uma linha a partir da qual não há mais retorno.

MAS ISSO É MENTIRA!

Assim diz o Senhor:

Ainda que os teus pecados sejam como a escarlate, ainda que eles sejam absolutamente púrpura, ou que eles sejam como o azul petróleo, de uma negridão para além do negro, se o sangue de Jesus Cristo se derramar na tua alma, tu vais te tornar mais alvo do que a neve.

Louvado seja o nome de Jesus!

Guarde isto:

DEUS CONTINUA O MESMO.

Ele sim! Vai ser sempre assim, misericordioso. Sempre generoso. Sempre salvador. Louvado seja o nome dEle!

E hoje Ele quer te perdoar. Ele quer tirar essa culpa de cima de ti. Ele quer te botar de volta no caminho. Hoje, Ele quer dizer que há chance, que dá pra recomeçar.

Há uma semana eu estava fazendo uma palestra numa universidade, e no fim do debate, uma psicóloga me fez uma pergunta:

— Pastor, o senhor acredita que determinadas pessoas ainda têm jeito?

— Eu acredito, por várias razões: primeiro porque eu estou aqui. Se determinadas pessoas não tivessem jeito, eu não estaria aqui, porque eu sei o rumo que a minha vida estava tomando; e começou assim como a história de Manassés, com 12 anos, a ficar muito preta. Em segundo lugar, porque eu tenho visto a vida de muitos outros tomando outro rumo. Em terceiro lugar, porque a palavra de Deus diz que é assim. E eu sou cristão. E eu só sou cristão porque é assim, porque se Deus não fosse assim, eu iria me mudar para um lugar onde não houvesse gente. Porque não tem bicho mais perigoso no universo do que gente, inclusive eu mesmo. Mas é porque as pessoas podem mudar que eu posso estar aqui, que você pode estar ao lado do outro e a gente pode olhar para cima e acreditar que dá para recomeçar. No nome do Senhor Jesus.

Agora, essa mudança não acontece só porque a gente sai andando e dizendo por aí: “Eu vou ser melhor”, “Eu vou ser melhor”, “Eu vou ser melhor”...

Ninguém fica melhor simplesmente querendo ser melhor!

Essa mudança só acontece quando a gente se enternece pelo amor de Deus!

Quando a gente começa a pedir ao Espírito Santo para vir encher o coração da gente da possibilidade de responder a Deus de maneira grata, dizendo:

— Eu sei que Tu me perdoaste, e não foi porque eu te dei nada; foi um perdão unilateral, radicalmente Teu; uma decisão Tua, exclusivamente Tua; não tem nada a ver comigo, tem a ver apenas contigo porque Tu és bom; e eu só me arrependi porque Tu já estavas operando no meu coração. Não foi nem o meu arrependimento que fez Tu te tornares favorável para comigo, mas foi por que Tu foste favorável para comigo que Tu me fizeste ser capaz do arrependimento; porque se Tu não tiveste operado em mim, nem arrependimento eu seria capaz de sentir.

ARREPENDIMENTO É OBRA DE DEUS!

Ninguém se arrepende porque simplesmente se arrepende. Arrependimento já é resposta, já é efeito.

Sabe quem está por trás do arrependimento?

A CAUSA!

É a graça de Deus operando no coração. É o Espírito Santo. Quando você se arrepende, fique feliz, pois é sinal de que Deus já estava trabalhando em você. Se Ele não estivesse, você não seria capaz de se arrepender. Arrependimento é coisa de Deus, não é coisa do homem.

Eu agora queria que, aí onde você está, você tomasse a decisão de invocar o Deus de Manassés, o Pai de nosso senhor Jesus Cristo, e que você dissesse:

— Eu não vou sair daqui culpado, eu não vou sair daqui esmagado, eu não vou sair daqui oprimido, eu não vou sair daqui o mesmo. Eu vou deixar minha culpa aqui, eu vou deixar minhas contradições aqui, eu vou ser abraçado por Deus aqui. E eu vou ser acolhido por Ele agora. Em nome de Jesus.

Você pode sair abençoado, libertado, acolhido, resolvido, acalmado para sempre. Pela paz do Senhor. A paz que o Senhor Jesus vai colocar dentro de você.

Se você acha que essa palavra, que eu falei em nome de Jesus, foi exclusivamente para você por razões que só você sabe, então diga comigo:

“SENHOR, SÊ FAVORÁVEL PARA COMIGO. TE CONVERTE A MIM, DEUS, PORQUE EU ME CONVERTO A TI. PERDOA MEUS PECADOS, ACOLHE-ME, PARA QUE EU ME ENTREGUE A TI, EU PRECISO DE TI AGORA. AMÉM.”

____________________________

Mensagem: “Pau Que Nasce Torto não Morre Torto” — Caio Fábio
Transcrição: José Abdon Luna Accioly
Revisão: Fausto R. Castelo Branco
30/OUT/08