Português | English

Devocionais

PASTOREADOS PELOS ESPINHEIROS!

PASTOREADOS PELOS ESPINHEIROS!

O texto que segue aqui transcrito é chamado de Apólogo de Jotão. Quem desejar pode lê-lo no livro de Juízes, na Bíblia. O espírito do texto é claro. Tão claro que prescinde da própria história. Ele fala de como os seres qualificados, quase sempre, evadem-se de suas responsabilidades, de tal modo que é o espinheiro quem domina sobre a vida. Leia o Apólogo de Jotão. Ouvi-me a mim, cidadãos de Siquém, para que Deus vos ouça a vos outros. Foram uma vez as árvores a ungir para si um rei; e disseram à Oliveira: Reina tu sobre nós. Mas a oliveira lhes respondeu: Deixaria eu o meu azeite, que Deus e os homens em mim prezam, para ir balouçar sobre as árvores? Então disseram as árvores à Figueira: Vem tu, e reina sobre nós. Mas a figueira lhes respondeu: Deixaria eu a minha doçura, o meu bom fruto, para ir balouçar sobre as árvores? Disseram então as árvores à Videira: Vem tu, e reina sobre nós. Mas a videira lhes respondeu: Deixaria eu o meu mosto, que alegra a Deus e aos homens, para ir balouçar sobre as árvores? Então todas as árvores disseram ao Espinheiro: Vem tu, e reina sobre nós. O Espinheiro aceitou a tarefa. E a Oliveira, a Figueira, e a Videira não tiveram do que reclamar. As demais árvores da floresta também não. Mas a tirania do Espinheiro se manifestou pela sua própria natureza. O espinheiro machuca mesmo quando não quer machucar: ele abraça com espinhos. No meio cristão encontro muitos pastores frustrados. Sentem-se mal com a dominação da fé que hoje é determinada pelo Espinheiro. Mas lembro de quando as árvores da floresta procuraram a Oliveira, com sua unção de azeite; buscaram a Figueira, com sua unção de doçura; e pediram o socorro da Videira, com sua unção de alegria. Era o ano de 1994. Mas a Oliveira, a Figueira e a Videira dos pastores do Brasil, disseram ao povo: Nós não. Deixemos que o Espinheiro reine sobre nós. Eu vi. Eu estava lá. Fiquei quase que sozinho. Então, o povo seguiu o Espinheiro. E os espinhos que hoje nos ferem—e que incomodam as Oliveiras, as Figueiras, e as Videiras—são os mesmos que já existiam antes. Eu vi como seria. E disse a todos o que aconteceria. Mas não me deram ouvidos. Hoje o Espinheiro é o nosso líder. E seus espinhos são o nosso contato. Quem encosta sai ferido. Quem reclama, que reclame para si mesmo. Que o Senhor nos livre da tirania do Espinheiro. Que o Senhor desperte as Oliveiras de sua arrogância, as figueiras de seu narcisismo, e as Videiras de sua alegria auto-centrada. Que reinem sobre nós os frutos da unção, da doçura, e da alegria. Que o espinheiro volte para o seu lugar. Salva o teu povo, ó Senhor! Caio