Português | English

Devocionais

ORAÇÃO DE GRATIDÃO POR NOSSAS PRÓPRIAS IGNORÂNCIAS

ORAÇÃO DE GRATIDÃO POR NOSSAS PRÓPRIAS IGNORÂNCIAS

Oh, Senhor meu Deus! Eu te invoco, pois tu me salvas! Tu és o Deus que operas maravilhas, que me vestes e me calças enquanto faço a travessia de um longo deserto, cercado de altos montes, habitado por serpentes cujas mordeduras são mortais. De meu caminho avisto os gigantes, filhos do Enaquins e que ainda sobrevivem com rostos de humanos, porém trazem no coração o ódio das bestas feras e dos anjos sem cura. Tu tens sido meu refúgio desde antes de eu te conhecer como abrigo para a minha alma. Tuas asas de misericórdia se estendiam sobre mim ainda quando eu não te conhecia como socorro na tribulação. Ó Deus, Senhor de minhas ignorâncias, sentinela de meus caminhos; como em ti encontro meu socorro! Percebo o teu cuidado em tudo o que não vejo, e só fico sabendo dele quando o laço maligno há muito já foi quebrado. Examino os teus feitos e fico perplexo. Descubro teus intentos de amor, e envergonho-me de todas as minhas obstinações. Discirno sempre com muito atraso o guiar de tua mão, e quedo-me ante tua paciência, e abismo-me com a liberdade de teu amor de Pai, pois, imagino como te dói o disciplinar-me. Sei que sou filho muito amado! Tua mão invisível e, por vezes, indiscernível, é poderosa. Falas sobre as muitas águas, e elas te atendem de pronto. Côas o espumejar das ondas, e elas te servem água limpa. Ó meu Deus, como é grande a sutileza de teu poder. Olha para mim, emenda meus ossinhos esmagados, rejunta em o que desconjuntastes em minha pobre existência. Como me foi o bom o Dia Mal. Chamo-o agora de minha de Grande Benção. Aos que não te conhecem, tudo o que lhes dói, é mal. Mas para aquele que na luz vê a luz, até as trevas carregam em suas sombras a Graça de teu amor. Senhor Deus de meus pais e de meus filhos, que tua mão seja sobre eles e sobre todas as gerações que nascerem da semente de tua promessa. Pois eu sei que a tua Graça é deveras melhor que a vida. Os meus lábios de exaltam como quem respira. Que dos lábios deles proceda o teu louvor como do bico do rouxinol que com seu canto encanta as matas de minha terra. Ó Deus! Sê tu o libertador de minha casa e de minha herança. Caio