Português | English

Devocionais

O MUNDO ACABOU PARA MIM!

O MUNDO ACABOU PARA MIM!

 

O MUNDO ACABOU PARA MIM!

 

“Pois para mim o viver é Cristo; e o morrer é lucro!” — Paulo, o apóstolo

 

Para quem encontra Jesus e Sua Palavra, o Evangelho de Deus, não há mais como viver [...] senão num mundo que já não é; que já acabou.

O mundo, como era, acabou; embora todos os seus sinais de vigor e poder estejam mais do que presentes entre todos os humanos.

Sim; pois o mundo acabou no olhar...

Antes de Jesus havia apenas um modo de ver o mundo, com uma ou duas exceções filosóficas; os demais, no entanto, caminhavam todas segundo o fluxo do mundo que existe para os que dele vivem...

Em Jesus, no entanto, para todo aquele que vê além do visível, ou seja, para os da fé, o mundo acabou irremediável mente, sem chance de ressurreição!

Para mim, por exemplo, a presente existência é uma sucessão de atos de fé num mundo que existe em estado de morte completa; pois, tudo o que caracteriza os poderes deste mundo, foi despojado, desmascarado, desenganado, liquidado, morto e consumado em Jesus; visto que em Jesus as mortalhas do mundo foram removidas, sua burca foi retirada, e apareceu a cara da morte/morta; embora uma viva/morta que é o motor dos zumbis que pelos valores de vento gelado de tal essência/morta se alimentam e se deixam mover...

Em Jesus, todavia, o mundo acabou para todo aquele que enxergou do que o mundo é feito: de mentira, ilusão e fantasia; tudo criado pelo surto da cobiça do diabo que se tornou nossa!

Como o mundo não acabou para mim?...

Sim! Se quando Jesus nasceu os poderes se inverteram: o reino se transferiu para a Manjedoura!

Sim! Se quando Jesus viveu o pecado foi vencido em todas as tentações!

Sim! Se quando Jesus curou todas as doenças Ele decretou o fim da morte e da dor criados pelo mundo!

Sim! Se quando Jesus morreu Ele matava a morte espiritual que mata a todo homem!

Sim! Se quando Jesus ressuscitou dos mortos a própria Morte, o Diabo e o Inferno [...] foram lançados para dentro do Lago de Fogo como Decreto da Vida contra a Morte e seus agentes deliberados!

Sim! Se quando Jesus ascendeu aos céus todo poder existente no mundo e em qualquer existência se tornaram definitivamente por Ele vencidos pelas sutis e invisíveis forças do amor!

Portanto, para mim, o mundo acabou...

O mundo morreu... Sim; com suas glórias, cobiças, invejas, pressas, honras, dignidades, importâncias, sucessos, conquistas, afirmações, poderes, influências, medos, fanfarrices ilusórias, auto-engano, e culto ao estético, ao belo e ao aparentemente superior...

Ele, o mundo, não morreu apenas para quem continua vendo a vida pelo olhar do mundo; mas para quem agora só vê o que seja vida, e não mais o que seja existência como mundo, sim, para tais o mundo acabou; assim como para mim ele já era; embora minha vida aconteça nesse ambiente que é sem ser; que aparenta, mas não é; que fala de vida, embora seja um convite da morte!

Ora, é somente quando o mundo morre que a pessoa ganha o olhar que a faz viver nesta existência sem que isso signifique um viver do mundo.

Na realidade é um viver no ambiente/mundo, sem que, todavia, não se tenha nada a ver com ele!

Esta é a minha ambivalência em relação ao mundo: ele está morto para mim e eu para ele; e, por isto, e somente por tal razão, posso viver nele... E mais: nele posso viver sem a sua sorte de existência, que é animada pelo medo da morte, sendo este o poder que gera todas as formas de ilusão de poder e de superioridade satânica na existência segundo o mundo.

Paulo disse que a “aparência deste mundo passa”. Por isto ela manda que os que choram sejam como os que não chorassem; que os que se casam como se solteiros fossem na sua liberdade de seguir a vida de modo desimpedido; que os que compram sejam como os que nada possuem; que os que se servem este mundo sejam como aqueles que usam produtos descartáveis; e que até mesmo aqueles que se elegram, sejam como aqueles que não têm porque alegrar-se...

Este é meu paradoxo!

Sim! Vivo mais que vivo numa existência que já acabou para mim!

Este era o convite de Paulo a todos os discípulos de Jesus!

Sim, dizia ele:

“Vocês morreram com Cristo! O mundo acabou! Estamos crucificados com Jesus! Ressuscitamos com Ele! Assentamo-nos no Seu trono juntamente com Ele!”

Portanto, embora aqui ainda, somos apenas uns forasteiros; uns seres de passagem; livres como a liberdade verdadeira que tal certeza instila em nós para sempre!

Para aqueles que entendem que o grande milagre do Evangelho é revelar o que é o mundo, do ponto de vista do Deus da Vida, surge grande libertação em relação a tudo o que se chame mundo; ao mesmo tempo em que, por tal milagre de entendimento, o mundo acabe de fato para o discípulo de Jesus; embora, apesar disso, o mundo se torne o lugar no qual vencemos o mal com o bem.

O mundo é assim o meu lugar de estar, mas não é meu modo de ser!

 

Nele, em Quem somente a morte pela fé nos liberta para o sentido da vida,

 

Caio

19 de junho de 2010

Lago Norte

Brasília

DF