Português | English

Devocionais

O ALTÍSSIMO DOMINA SOBRE O REINO DOS HOMENS

O ALTÍSSIMO DOMINA SOBRE O REINO DOS HOMENS




O ALTÍSSIMO DOMINA SOBRE O REINO DOS HOMENS

 

 

Há os que conhecem a “Doutrina da Soberania de Deus”; e há aqueles que conhecem o Deus Soberano. Quem conhece a Deus pela “doutrina” acaba não se abrindo para o conhecimento real do Deus Soberano. E por quê? É que toda doutrina estabelece um limite. E para Deus nada é limite; exceto Ele mesmo, em Seu caráter de amor e misericórdia. Mas não há nem “Moral”, nem “Ética”, nem “Humanismo”, nem “Razão”, nem “Ciência”, que sejam limite ao Deus Soberano, visto que somente Ele sabe o que é exercer bondade. Somente Ele vê o todo de tudo.

 

Tudo é Nele, é Dele, por meio Dele, e para Ele! Isto diz tudo!

 

Do ponto de vista das imagens bíblicas, poucas ilustram tão bem o significado dessa Saberania, quanto o capítulo 4 de Daniel.

 

A primeira mensagem que preguei depois que voltei a pregar após o Dilúvio de 98, foi naquele texto. Em Daniel trata-se de uma mensagem do Rei de Babilônia, Nabucodonozor, a todos os povos sob seu governo.

 

Isto porque sete anos antes ele tivera um sonho. No sonho lhe era mostrado de modo simbólico o que lhe aconteceria. Ele era como uma Arvore Abundante. Mas como se ensoberbecera, Deus o cortaria, e o tiraria do convívio humano por sete anos, pois, muitas eram as suas arrogâncias. A cepa da Arvore, todavia, seria preservada; e, após sete anos, voltaria a dar seu fruto.

 

Daniel, o profeta, interpretou o sonho; e desejou ao rei que aquilo caísse sobre seus inimigos, e não sobre ele. E disse que se Nabucodonozor se arrependesse, e fosse misericordioso com os pobres e oprimidos, talvez aquele mal fosse contido sobre a sua existência.

 

Nabucodonozor, todavia, esqueceu-se de tudo, e, um ano depois, falava narcizisticamente de si para si mesmo, dizendo: “Vê! Tu és Magnífico!” Então, um anjo do Senhor tocou nele, e, imediatamente o rei surtou, perdendo a sanidade; e, andando como um bicho, comia grama como os animais que pastam.

 

Um toque invisível, e o homem mais poderoso da terra fica pastando como um animal. Um toque!

 

O rei ficou irreconhecível. E dele todos se afastaram. Sua aparência se assemelhava à de uma besta da terra. Até que passaram sete anos, e Nabucodonozor acordou de seu sono. E disse: “O Altíssimo domina sobre o reino dos homens!”

 

Olhar para o Brasil e para o Planeta Terra, hoje, é ver que o Altíssimo reina sobre o reino dos homens.

 

Quem poderia imaginar que os senhores da ética e da ação persecutória mais altiva, iriam estar na situação constrangedora na qual se colocaram? E quem diria que os Estados Unidos, que invadem o mundo, não conseguiriam lidar com um vento e uma onda que passaram sobre o sul de sua terra? Quem pensou que veria New Orleans se parecer com Ruanda? E quem poderia prever que as “borboletas do Iraque” haveriam de trazer calamidade sobre o chão do Invasor?

 

Ah! Eu vi uma mãe iraquiana olhar para o alto e clamar aos céus por justiça! Vi e tremi. Senti que sua oração fora ouvida!

 

Um vento, uma onda, e uma catástrofe. Um sonho, um pesadelo, um surto, um descontrole...; e um tirano se torna Zé Babão.

 

E há quem precise ler livros para discernir algo sobre a “Soberania de Deus”. O Deus Soberano age entre nós. Abra os olhos, e veja. E ame a Soberania de Deus.

 

Conforme ouvi estrondar dias atrás dentro de mim: “Eu sou Mistério! Agrada-te de Mim!”

 

 

Nele,

 

 

 

Caio