Português | English

Devocionais

MEU SALMO DE CONFISSÃO E SÚPLICA

MEU SALMO DE CONFISSÃO E SÚPLICA



Ó Deus, eu confesso que não Te amo de todo o meu entendimento, de todo o meu coração, de toda a minha alma, e com toda a minha força. Por isto eu preciso de Tua salvação!

Ó Deus, eu confesso que não amo o meu próximo como a mim mesmo. Por isto eu preciso de Tua salvação!

Ó Deus, eu confesso que minha existência acontece em permanente quebra de Teus mandamentos, pois, não Te amo de todo o meu entendimento, de todo o meu coração, de toda a minha alma, e com toda a minha força e nem tampouco amo omeu próximo como a mim mesmo. Por isto preciso de Tua salvação!

Pai, eu confesso que em Jesus tenho toda a salvação. Pois Ele Te amou de todo o entendimento, de todo o coração, com toda a alma, e com toda a força, e amou o mundo mais que a Si mesmo, visto que se entregou em paixão pelo mundo inteiro. Por isto Ele é o meu único Senhor e Salvador! E é o Único Deus sobre toda a Terra, céu, e todas as dimensões.

Pai, confesso também meu desejo de que todos os homens Te conheçam e provem o Teu amor. Assim, peço pela salvação de todos os homens, e rogo que Teu Espírito dê a bilhões de seres humanos a chance de ainda na Terra provarem a Vida Abundante, que é a Canaã do Coração.

Deus, que És Luz, eu Te confesso minha ambigüidade!

Deus, que És Amor, eu Te confesso a profundidade de meu egoísmo!

Deus, que És Justo, eu Te confesso minha parcialidade e minha capacidade de me auto-enganar, e de julgar, e de errar, e, assim, condenar injustamente!

Deus, que És Puro, eu Te confesso a minha impureza!

Assim, peço a Deus que advogue hoje e sempre minha causa perante Deus, pois, assim, Aquele ante Quem sou um condenado, Ele mesmo será sempre o meu Justificador.

Obrigado, Pai e Deus Eterno, porque Jesus se entendeu contigo acerca de mim, e, eu sei, acerca do mundo inteiro; pois, Quem me salva, não tem como não ser também o salvador de todos os homens, especialmente dos fiéis à fé que é conforme o Evangelho da Graça.

Levanta-te, ó Deus! Levanta-te, ó Deus, e salva o Teu povo!

Salva-nos do opróbrio que sobre nós se abateu, do ódio que entre nós foi semeado, das doenças persecutórias que entre nós se instalaram, do puritanismo farisaico que empedrou nossas almas em nome da piedade, do espírito de comercio que “possuiu” esta geração, da desconfiança e do espírito de divisão; da jactância, da insinceridade, da busca de força e poder, das glorias humanas, das canalhices beatificadas, do “verdadeirismo satânico”, do charlatanismo desumano, das síndromes de lúcifer, das síndromes de caim, do espírito de balaão, do legalismo dos fariseus, da vazies dos saduceus, da maligna meticulosidade letrista dos escribas, do fermento político de herodes, do pecado contra o Espírito Santo que cometem todos aqueles que amam mais a seus postos do que a realidade da ação de Deus, e, assim, preferem chamar de diabo e belzebu a verdade do Evangelho, à terem que abrir mão de seus postos na religião que julga, condena, mata, e põe guarda à porta da tumba para tentar prevenir a Ressurreição.

Que os céus se abram e que sobre o Teu povo chova a Tua Graça!

Abre nossos sentidos em sonhos, em entedimentos e em revelações na Palavra e da Palavra.

Tira o véu que puseste sobre nossos olhos, e faze-nos acordar deste pesadelo que se tornou o existir dos que dizem que confessam o Teu Nome!

Faz vir sobre os enganadores o seu próprio engano como laço. E liberta o Teu povo da boca do leão que explora, e também do lobo que se veste de piedade, o qual produz fariseus e filhos do inferno em linha de produção industrial.

Salva-nos do engano dos em nada crêem, do engano dos que em tudo crêem, do ardil dos que em nada crêem mas confessam que em tudo crêem, e, também, salva-nos do engano dos zelosos que cultuam sem amor!

Guarda nosso coração de tentar guiar sem amor, de buscar liderar sem humildade, de negociar a verdade em troca de poder ou posição, e de se esconder sob as bandeiras da bondade para ocultar nossa própria dissimulação.

Deus Vivo, faz vir sobre nós o Tsunami de Tua salvação!

Nele, em Quem tudo isto já é Fato,

Amém