Português | English

Devocionais

Malaquias para Hoje

Malaquias para Hoje

Esta é uma versão livre e solta. Nela me preocupei apenas com o espírito da mensagem, sempre sabendo que a letra mata, mas o espírito vivifica. Portanto, não procure literalismos. Para quem deseja um texto literal, que aprenda Hebraico e faça exumação de letras. Fiquei fiel não apenas ao espírito de Malaquias, mas também ao espírito de sua mensagem, especialmente porque aquilo que ele profetizava, é exatamente aquilo que em João Batista começou a acontecer, e em Jesus, o Anjo-Deus, teve seu pleno cumprimento. Mas até mesmo o cumprimento da profecia aconteceu sem literalismos objetivos, mas realizou-se no brasume das verdades que têm seu cenário nos ambientes do coração. Foi por não se ler o espírito da profecia--mas somente a letra que mata--, que os contemporâneos de João Batista, nele não viram o profeta Elias; e os contemporâneos de Jesus, Nele não viram a visita do próprio Senhor, na figura de Seu Anjo, trazendo o sol da justiça em Suas asas de Graça. Boa leitura. Bom coração. Caio *************************************************** Capítulo I *************************************************** Um dia veio a Palavra de Deus ao povo de Israel. A Palavra de Deus veio por intermédio de um homem chamado Malaquias. E eis o que Deus disse ao povo que nascera de Jacó, filho de Abraão: Eu tenho amado a vocês todos os dias, diz o Senhor. Mas vocês ainda têm a coragem de me dizer: Em que é que Ele nos tens amado? Eu, o Senhor, respondo a vocês: Porventura não era Esaú irmão de Jacó? E não era Esaú o primogênito? Eu, todavia amei a Jacó, e me aborreci de Esaú; e decidi fazer dos montes de Esaú uma terra desolada, e entreguei o chão de Esaú como herança aos chacais do deserto. Assim, digo eu, o Senhor Deus: Os donos das terras de Esaú são os chacais do deserto! E também digo a vocês que mesmo que os moradores de Edom, os quais descendem de Esaú, venham e afirmem: Nós estamos arruinados, mas não desanimemos; tenhamos forças, e assim seremos capazes de reedificar as nossas próprias ruínas!—ainda assim, eu diria a eles, como Senhor Soberano: Vocês podem até edificar, eu, porém, demolirei tudo outra vez. Por esta razão é que as terras de Esaú serão sempre chamadas de Fronteira da Impiedade, habitada por um povo contra quem o Senhor está irado para sempre. Vocês, filhos de Abraão, viverão para ver aquilo que os assustará ao ponto em que as bocas de todos vocês dirão: Não sabíamos que o Nome do Senhor era tão grande que reinava para além dos limites do povo de Israel! Todo bom filho honra o pai, e o empregado honra a quem lhe paga. Se vocês dizem que sou o pai de vocês, onde está a honra de vocês para comigo? E se sou eu Aquele que dá vida e sustento a vocês, onde está o respeito e a gratidão de vocês para comigo? Agora, ouçam a Palavra do Soberano, a Palavra que digo aos que dizem que cuidam de vocês espiritualmente, mas que de fato desprezam o meu Nome. Sim, dirijo-me aos que, com cara de pedra, ainda têm a coragem de me dizer: Em que é que desprezamos o teu nome? Eu digo a vocês, sacerdotes do descaso: Vocês trazem à minha mesa o pão da indiferença e ainda me perguntam: Em que é que profanamos o Nome de Deus? Eu, o Senhor, respondo: Vocês me desprezam no pensamento, e demonstram isto pelo descaso de vocês para com a realidade de quem eu sou. Vocês estão sempre me servindo por obrigação ou por troca, e pensam que isto não é mau? Na hora de fazer política, tratem ao governador desse modo e vocês verão se terão os favores deles. Até ao governador vocês tratam com mais respeito que a mim. Agora, vocês vêm e suplicam o favor de Deus, para que eu me compadeça de vocês! Com o coração com o qual vocês me buscam, como posso eu aceitar o culto e as orações de vocês? Quem me dera houvesse entre vocês quem acabasse com essa brincadeira de me prestar culto, e que também, de uma vez, fechasse as portas dos lugares de culto, a fim de que parassem para sempre com essas feias cantorias “dedicadas” ao meu louvor! Eu não tenho prazer em vocês! O culto que vocês me oferecem é feio por dentro e por fora! Dá mão de vocês só recebo aquilo que não presta! Mas vocês ainda não entenderam que eu não preciso de cultos. Eu sou Deus. E vocês não conhecem a todos os que eu conheço e nem tampouco vocês conhecem a todos os que me conhecem. Saibam, filhos de Jacó, que vivem da fé de Abraão, que desde o nascente do sol até o poente é grande entre todas as nações o meu nome. Pois em todo lugar da terra se oferece ao meu nome incenso, e cultos de pura sinceridade. Sim, o meu nome é grande entre gente de todas as nações. Vocês é que não sabem que eu reino para além das paredes do lugar onde vocês dizem que eu habito. Os grandes profanadores do meu nome são vocês. A oferta mais desprezível que recebo vem dos indiferentes corações de vocês, diz o Senhor! Vocês me cultuam profissionalmente, e ainda o fazem de maneira cansada e ingrata, trazendo a mim o produto do roubo e do desprezo, e esperam que eu aceite e tenha prazer? Em que? Em quem? Amaldiçoado é aquele que pensa que me engana, que usa do meu nome de modo manipulador para os demais, e faz isto como se eu não visse tudo como num permanente estado de flagrante! Eu sou Deus, sou rei e soberano, e sou mais amado onde meu Nome não é conhecido, que no meio de vocês, onde meu Nome é usado, mas é desprezado pelo modo como vocês pensam de mim, e pelo modo como vocês imaginam me satisfazer. *************************************************** Capítulo II *************************************************** Agora, ó líderes espirituais, sacerdotes do descaso, esta Palavra é para vocês. Se vocês não me ouvirem, e se não se propuserem em seus corações dar Gloria e Honra ao meu Nome, enviarei maldição contra todos vocês. E esta será a minha maldição: Tudo aquilo sobre o que vocês decretarem benção, eu, o Senhor, amaldiçoarei! Aliás, já estou amaldiçoando as benções de vocês, porque sei que é do “poder de abençoar” que vocês fazem seus próprios negócios. Sei que este é o único interesse no qual vocês aplicam o coração! Se vocês continuarem assim, eu mesmo reprovarei e enfraquecerei tudo e todos que vocês gerarem, e ainda jogarei fezes nos rostos de vocês. E assim como vocês me oferecem o que é podre e fétido—como se eu fora uma Lixeira Cosmica—, com esse mesmo desprezo eu jogarei a cada um no lixo. Mas somente quando isto acontecer é que vocês saberão que fui eu quem falou! Eu sou o Deus dos pactos que não se podem quebrar. Meu pacto é de vida e de paz. Mas aquele que comigo entra em pacto, deve saber quem eu sou, e deve ser capaz de se assombrar por causa do meu Nome. Já houve tempo em que a Palavra da Verdade esteve em suas bocas. Já houve tempo em que a impiedade não fazia morada nos lábios de vocês. Já houve tempo em que aqueles que me serviam perante o povo, andavam comigo em paz e bondosa justiça, e, por esta razão eram capazes de afastar muita gente de toda forma de maldade. Pois os lábios do que fala de mim devem guardar o conhecimento, e em sua boca devem os homens procurar a instrução da vida! Afinal, quem fala de mim é o meu mensageiro, e eu sou o Deus Soberano. Não se deve brincar com a minha Palavra. Agora, no entanto, vocês se desviaram do meu caminho, e, assim fazendo, têm induzido muitos a tropeçar no engano. Sim! vocês corromperam o pacto do sacerdócio da justiça e da verdade, diz Senhor dos Senhores! Esta é também a razão de eu os haver tornado seres desprezíveis, e sem respeito e dignidade diante de todo o povo, visto que todos sabem que vocês não me servem de coração e, ainda pior: que fazem acepção de pessoas, contra o mandamento da minha justiça. Agora, falo eu, Malaquias, e digo: Não temos nós todos um mesmo Pai? Não nos criou um mesmo Deus? Por que, então, nos comportamos maldosamente uns para com outros, profanando o pacto que Deus fez com aqueles que nos geraram e que de verdade amaram a Deus? Até o melhor e mais forte entre vocês tem se tornado maligno e perverso. Abominação se está cometendo entre o povo de Deus. Assim diz o Senhor: No lugar onde se me diz que cultuam o meu Nome, nesse mesmo lugar, os nomes de outros deuses são lembrados o tempo todo, trazendo sobre aqueles que eu amo, a profanação do engano e o culto ao medo. Vocês estão amasiados com deuses estranhos, e pensam que por mencionarem os seus nomes como sendo à mim subordinados, isto não é também abominação. O Deus Soberano extirpará a todo homem que induzir Seu povo a tal erro. Mesmo que assim se conduza, enquanto faz vigílias pela madrugada, como aquele que diz estar sempre atento em Nome de Deus. E assim Deus também fará com aquele que afirma que carrega nas mãos o dom de Deus, mas que o “vende” como se fosse um “favor” que faz aos homens. E vocês ainda têm coragem de fazer cenas de quebrantamento?! Sim! cobrem o altar de Deus com lágrimas enxutas, com choros secos, e com gemidos ensaiados?! e ainda querem saber por que Deus não participa mais do culto e por que não demonstra mais prazer com as vidas de vocês? E ainda têm a coragem de “inocentemente” perguntar: Por que? Ora, é que o Senhor tem visto como vocês têm sido desleais com tudo e todos, até mesmo com a mulher que tomaram na mocidade. Sim! o Senhor tem visto como vocês as tratam como objeto, esquecendo que ela é companheira, e a mulher com a qual um dia vocês fizeram um compromisso. Ninguém, com um resto de bom senso, trata assim aquela de quem diz que gerou uma descendência! Abraaão, de quem vocês dizem proceder, tratou com respeito aquela de quem fez vir a sua descendência. Sem tal respeito nenhum geração conhecerá a piedade e o compromisso no coração. Portanto, guarde seu espírito de toda dissolução interior, e que ninguém descarte a mãe de seus filhos como se fora uma coisa nojenta, porque, eu, o Senhor Soberano, declaro que detesto todo ato de repúdio, e que faz da mulher-mãe, uma pessoa desprezada e sem amparo na vida. Também odeio as ações de todo aquele que usa da violência como se fora seu próprio vestido e o seu mais belo adorno. Repudio a quem se orgulha de seu próprio mal! Portanto cuidem de seus próprios corações, para que o espírito de infidelidade não possua a mente de ninguém. Eu, Malaquias, lhes digo: Vocês cansam a Deus. Vocês o aborrecem. Vocês vivem de confissões de palavras vazias, e que deixam a Deus exausto de tanto as ouvir! Deus não agüenta mais tanto discurso e nem tantas pregações. Ele está cansado! E vocês ainda perguntam: Como Deus está cansado de nós? se só vivemos para falar bem de Seu Nome? Em que, então, temos trazido enfadado para Deus? Eu lhes digo: Vocês deixam a Deus esgotado de tanto viverem como se tanto fazesse a justiça ou a injustiça; a verdade ou a mentira; a luz ou as trevas; a bondade ou a perversidade! A declaração que a vida de vocês faz é diferente daquela que os lábios de vocês pronunciam. O que vocês dizem com seus atos equivale a afirmar que qualquer que faz o mal passa por bom aos olhos do Senhor. E ainda pior: é como se vocês dissessem que Deus gosta mesmo é dos maus. Afinal, vocês se dizem os “queridos” de Deus. E se Deus os chama de “queridos”, aos olhos dos que interpretam, isto equivale ao seguinte: Uns pensam: Deus se agrada é da maldade, pois, são esses os que em Seu Nome conseguem a Prosperidade. Outros dizem, ao ver a maldade de vocês: Será que Deus já não vê? será que Deus perdeu o juízo? Assim, a vida de vocês é uma provocação a Deus, e é como se com a própria boca vocês blasfemassem com arrogância, perguntando: Onde está o Deus do juízo? ************************************************** Capítulo III ************************************************** Eu, o Senhor, enviarei o meu mensageiro, para que prepare o caminho para a minha Visita. Quando ninguém esperar, eu, o Senhor, aparecerei no meio de vocês e visitarei o meu templo. Eu, a Quem vocês dizem desejar e buscar, mediante o Anjo do meu pacto, a quem vocês dizem anelar pela vinda, de repente visitarei o meu povo. Mas quem suportará o dia da vinda de meu Anjo? e quem subsistirá, quando Ele aparecer? Pois Ele será como o ardente fogo que usa o fundidor de metais raros, e será como o sabão que usam os lavandeiros. Sim, Ele será como fundidor e purificador de prata; e purificará os sacerdotes, e os refinará como ouro e como prata, até que entendam quais são as ofertas de justiça que eu espero receber. Nesse dia, então, a oferta do meu povo me será agradável, como nos dias da sinceridade. Eu me apresentarei como Aquele que mostra a Verdade do íntimo; e serei testemunha veloz contra os que tentam usar os poderes invisíveis a fim de manipular os meus filhos; e também me levantarei contra os que vivem de seduzir a quem não lhes pertence, violando a mulher de seu próximo. Sim, minha mão também será contra os que usam a lei e o juramento da verdade a fim de falsamente expropriarem e defraudarem o trabalhador em seu salário, a viúva em seu direito, e o órfão em sua impotência. Esses que pervertem o direito dos que não têm um chão no meio de vocês, e, assim, pervertem a minha justiça na terra, conhecerão, para o seu próprio mal, Quem Eu Sou. Eu sou Deus e o Senhor! Eu não mudo! E esta é a razão de vocês não terem sido ainda consumidos! A história de vocês, desde os seus pais—desde os tempos mais antigos—, tem sido uma história de desvios da minha Palavra. Vocês não têm prazer em guardá-la. Arrependam-se e voltem para mim, e, então, eu tornarei para vocês; digo eu, o Senhor de todos os Poderes. Mas vocês me perguntam: Em que temos que nos arrepender? Antes, porém, respondam-me: Roubará o homem a Deus? É claro que não!—vocês confessam com a boca. Eu, porém, lhes digo que mesmo sendo óbvia a resposta, ainda assim, vocês conseguem me responder, na prática, com a própria negação daquilo que vocês confessam com a boca. Sim, ninguém rouba nada de mim. Mas vocês me “roubam”, e ainda me perguntam: Em que roubamos a Deus? Eu, respondo: Vocês me roubam mediante a sonegação de um coração grato, pois, nem mesmo as contribuições que vocês me trazem, servem como demonstração de gratidão a mim, pois, vocês não se importam com o sustento de minha causa na terra. Desse modo, agindo assim, vocês se tornam amaldiçoados com a maldição da própria ingratidão de vocês. Sim, esse é um espírito que está presente na alma de toda a nação do meu povo. Tragam a mim as ofertas da alegria e da gratidão! Minha casa é o lugar onde vocês podem demonstrar na terra onde está aquilo que vocês consideram tesouro verdadeiro. Eu sou Deus, não preciso do ouro, da prata ou do dinheiro de vocês. Mas determinei que minha casa e minha causa, serão mantidos pela pelas ofertas que expressem a gratidão de vocês para comigo. Se alguém duvida, que me prove em fé e alegria, trazendo-me de modo grato os símbolos das ações de graças; e, então, experimentem o meu favor, e vejam se não derramarei um dilúvio de bênçãos dos céus sobre as vidas de você! Na ingratidão há roubo. Mas na gratidão haverá abastança que vocês não poderão medir e nem imaginar. Nesse dia vocês verão como o Meu Amor por todo aquele que possui um coração grato, repreenderá o Devorador das Alegrias; e ele não terá mais poder de destruir os frutos do trabalho das mãos de vocês. Então, nesse dia, vocês entenderão como até o inverno será estação de bons frutos. Quando isto acontecer, todos os que hoje olham para vocês e não entendem como um povo que diz crer num Deus tão poderoso, vive de modo tão mesquinho—sim, esses mesmos, olharão e verão a minha Graça em tudo o que vocês realizarem. Eles chamarão a vocês de bem-aventurados e de gente que vive com prazer e deleite. Vocês são brutos e estúpidos, e as palavras de vocês para mim estão carregadas de ingratidão, amargura e falsidade. Mas, ainda assim, vocês continuam a indagar: Em que, ó Senhor, nós temos falado contra ti? Eu lhes direi para sempre. Sim, todas as vezes que vocês me tratam como se de nada adiantasse me servir, crer em mim e confessar o meu Nome, com a própria vida, vocês declaram que é inútil servir a Deus. E há mesmo quem diga: Que nos aproveita termos cuidado em guardar a Sua Palavra, e em andar em contrição diante do Deus do Universo? E, assim, consideram felizes os soberbos, os arrogantes e os que cometem impiedade, pois, “eles prosperam”, dizem vocês. Sim, vocês pensam: “Eles tentam a Deus, e escapam!” Mas há no meio de vocês os que me amam e me temem, e esses são os que animam uns aos outros a prosseguirem me amando e me temendo. Para esses eu escrevi um memorial em minha presença, pois são esses os que amam e temem o meu Nome. E eles serão sempre meus, diz o Senhor dos Senhores. Sim, eles são minha possessão particular. E, no dia que prepararei para revelar o que está em todos os corações, eu mesmo irei poupá-los, como um homem poupa a seu filho, que o serve com amor e devoção! Nesse dia todos vocês aprenderão a diferença que há, aos meus olhos, entre um homem de coração grato e bom e um outro que me serve sob a mascara das exterioridades malignas e com um coração perverso. ************************************************** Capítulo IV ************************************************** O Dia vem! E vem ardendo como uma fornalha! Então, todos os soberbos e os arrogantes, bem como todos os que cometem o pecado da não-compaixão, serão atirados para dentro dessa Verdade, que é para o ser, como a fornalha é para o lixo. E o dia que está para vir abrasará os soberbos e os arrogantes, bem como todos os que cometem o pecado da não-compaixão, diz o Senhor do Universo. Assim será, de sorte que não lhes ficará no chão da terra nem raiz e nem ramo. Mas para os que me temem com amor, nascerá o sol da justiça, trazendo curas graciosas nas asas de Sua Luz. Nesse Dia cada um de meus filhos sairá ao campo aberto e saltará como o fazem os bezerros que se sentem libertos das cercas da estrebaria. Nesse dia os pés de meus filhos pisarão os impiedosos, pois, eles já se terão transformado em cinza no chão de morte que eles mesmos adubaram. Sim! assim será Naquele Dia que Eu, o Senhor de todos os Poderes, preparei para revelar a minha Soberania! Lembrem-se sempre da lei de Moisés, meu servo, a qual lhe mandei em Horebe para todo o Israel, a saber, estatutos e ordenanças. Lembrem-se da Lei, pois, somente assim seus corações poderão sempre saber o quão misericordioso Eu tenho sido a cada nova manhã. Antes que meu Anjo visite o meu povo, Eu, o Senhor, enviarei o meu mensageiro, no espírito do profeta Elias. Ele virá a fim de proclamar arrependimento e conversão, a fim de que aquele Dia não seja terrível para os que temem e amam o meu Nome. Sim! ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais. Esta é minha Graça. E assim é para que a terra não seja ferida com maldição e desamor, pois, por tais coisas, vem o Dia de meu Juízo. *************************************************** Fim, quero dizer: Começo! *************************************************** Nasceu Elias, seu nome era João Batista. A Virgem concebeu o Emanuel: Deus conosco! Nasceu o Sol da Justiça, trazendo curas graciosas em suas asas, e seu Nome é Jesus! Lembro da Lei de Moisés, e agradeço ao Senhor do Universo, o Deus Santo e Único, por não me tratar segundo as minhas transgressões, antes, louvo-o por ter me Justificado conforme a Salvação que para mim nasceu no Sol de minha Justiça, que é Aquele que me converteu a Si mesmo, e me fascinou para todo o sempre. Seu Nome é Santo e Gracioso. Ele é Jesus!