Português | English

Informativo

JIMMY SWAGGART DECLARA QUE MATARIA HOMOSSEXUAIS – por David

JIMMY SWAGGART DECLARA QUE MATARIA HOMOSSEXUAIS – por David

Domingo 31 de outubro de 2004

Domingo passado, em culto cuja transmissão é de alcance global, o Evangelista Cristão Jimmy Swaggart fez surpreendente revelação à sua congregação. No meio do sermão, Swaggart declarou que mataria qualquer homem que olhasse pra ele com intenções românticas.

O sermão de Swaggart é de tal forma ultrajante que passo a transcrevê-lo na íntegra:

“Nunca, em minha vida, vi um homem com quem eu quisesse me casar”.

(gritos, aplausos)

”E não faria rodeios, se algum deles olhasse pra mim com tais intenções, eu o mataria e diria a Deus que ele morreu."

(gargalhadas, aplausos)

Caso alguém aqui não saiba, Deus chama isso de abominação. É Abominação! É abominação!

(aplausos)

“Não estou, com isso, dando pancada nos coitados dos homossexuais. Não se trata disso. Eles necessitam de salvação tanto quanto qualquer outra pessoa... O que eu estou combatendo são os nossos legisladores inescrupulosos e patéticos. E dou graças a Deus porque o Presidente Bush afirmou que nós precisamos de uma emenda constitucional que declare que o casamento seja entre homem e mulher. "

(aplausos)

Ainda que posteriormente e Swaggart tenha reiteradamente admitido que os gays - "como qualquer outra pessoa" – sejam dignos da redenção divina, a tônica dominante de seu sermão é a de que violência contra gays é justificável. Trata-se de uma lógica simples, mas claramente não-Cristã: Sua vida não tem muito valor se Deus te considera uma abominação. Ainda no mesmo sermão, Swaggart elogia Bush por seu apoio a uma emenda constitucional que baniria o casamento gay – além do mais, fincando a percepção de que os Cristãos só poderiam votar nos Republicanos em novembro. (Por alguma razão, Swaggart não menciona que John Kerry também se opõe ao casamento gay sem, entretanto, acreditar que uma emenda constitucional seja apropriada ou necessária).

Como pode ser possível que, nos dias de hoje, líderes Cristãos distorçam os ensinamentos de Jesus a respeito do amor para todos os filhos de Deus? Esse padrão está nítido em várias áreas da igreja. Muitos Cristãos transformaram Jesus em promotor da guerra e não em pacificador. E ainda justificam sua posição utilizando a mesma lógica. Nossos inimigos no Oriente Médio são uma "abominação”.

Recebi, há pouco tempo, mensagem privada de um leitor do SojoMail cheio de blasfêmias e xingamentos. Meu agressor fechou sua nota perguntando como eu poderia intitular-me Cristão, diante da minha posição em relação à manutenção da paz no Oriente Médio às custas do apoio dos simpatizantes do "freedom fighters" no Iraque e do apoio indiscriminado ao Estado de Israel.
Geralmente eu não perco tempo respondendo a esse tipo de mensagens (acreditem ou não, recebo várias mensagens carregadas de ódio:-), mas desta vez eu respondi perguntando-lhe como poderia ele, por sua vez, denominar-se Cristão e usar palavras tão profanas e violentas contra um outro ser humano. A réplica foi absolutamente reveladora: "Eu posso me dirigir a você da maneira que eu bem entender, afinal, você não é um ser humano. Esse seu direito lhe foi confiscado, você não é nada além de ralé”.

Esta é a brecha teológica pela qual passa a moralidade Cristã de hoje em dia. Serve simplesmente para demonstrar porque a outra pessoa (ou raça), perdeu seu status como ser humano, e a partir daí, sentir-se no direito de fazer qualquer coisa contra ela. Aliás, é a mesma brecha teológica usada pela igreja na América Latina para justificar o massacre de milhões de indígenas no período da colonização. Os nativos não eram tidos como seres humanos.
Voltando ao Jimmy Swaggart, chego mesmo às lágrimas ao ver que um pregador consegue arrancar, de sua platéia, aplausos e gargalhadas com uma mensagem dessa natureza. Fico ainda mais perplexo diante do fato de que milhões de pessoas que assistem TV mundo afora ouvirão esta “palavra do evangelho Cristão"

Desde que pregou este sermão, Swaggart tem se desculpado, sem demonstrar remorso, da maneira mais comum que se vê hoje em dia: "Não fui sábio ao fazer aquela declaração. Todos nós já fizemos alguma declaração que preferiríamos não ter feito. Aquela foi a minha” mas o que está faltando é uma indicação clara de que ele reconhece que realmente houve algo de errado na sua declaração original, a qual ele denomina ser apenas uma "uma gozação sem importância que deveria não ter sido dita."

Quanto a mim, não deixarei que isso passe despercebido. Convido você a juntar-se a mim em fazer com que este líder Cristão seja responsabilizado por sua declaração. Vamos repassar este e-mail com notas testificando a verdade – sem ódio – pois Deus não negligencia ninguém do rebanho humano. Todas as pessoas são filhos de Deus e devem ser tratadas com a mesma dignidade e amor que Deus demonstra para cada um de nós.


---------------------------------------------------------------------


Sojourners publicará, no “Baton Rouge Advocate” deste domingo (jornal da cidade natal de Jimmy Swaggart) um artigo intitulado "Deus não é Republicano nem Democrata”. Envie uma mensagem para o Rev. Swaggart relembrando-lhe de que "A boca fala do que o coração está cheio " (Mateus 15:18), e sugerindo-lhe a leitura do jornal de Domingo.!

+ Clique aqui para enviar mensagem a Jimmy Swaggart: http://go.sojo.net/campaign/swaggart


+ Faça o download do vídeo e veja você mesmo.[Requer Windows Media Player]: http://www.oliverwillis.com/stuff/swaggart.wmv

Pela tradução,
Wanda de Melo